Cidadeverde.com

Dívidas de precatórios não chegam a R$ 600 milhões

O governador Wellington Dias pediu à Assembleia Legislativa – e foi prontamente atendido – autorização para fazer um novo e bilionário empréstimo.

Conforme a justificativa do governo, os recursos serão usados para a quitação dos precatórios do Estado, nos próximos cinco anos.

O valor solicitado para o empréstimo é de R$1 bilhão e 500 milhões.

Acontece que, de acordo com o Balanço Geral do Estado, relativo ao ano passado, o total dos precatórios em 31.12.2018 era de R$ 577.893.289.

Desse total, R$ 425,6 milhões são referentes a pessoal e R$ 152,2 são de fornecedores.

É o que informa o Balanço Geral do Estado relativo ao exercício de 2018.

Então, Por que o governo pede autorização para fazer um empréstimo de até R$ 1 bilhão e meio para pagar precatórios?

Com essa operação de crédito, o Estado tem faz um empréstimo mais caro para pagar dívidas cujo custo é menor.

Das duas uma: ou o governo está aguardando mais precatórios, relativos a esse monte de empresas às quais não pagou do ano passado para cá; ou vai deixar de pagar contas novas, para gerar mais precatórios.

Ou, ainda, pode oferecer uma justificativa com força para jogar por terra essas duas conclusões.

 

 

Mais um empréstimo

O Governo do Estado encaminhará à Assembleia Legislativa, no começo de agosto, um novo pedido de empréstimo.

O valor ainda não foi definido, mas passará de R$ 1 bilhão.

Conforme o governo, os recursos serão para investimentos.

O Piauí já deve mais de R$ 5 bilhões de empréstimos feitos nos últimos cinco anos.

Brigas por cargos

O deputado Francisco Costa (PT) disse que os conflitos para preenchimento de cargos do governo no interior persistem em meia dúzia de municípios, entre eles Oeiras, Picos e Esperantina.

Ele acredita, porém, que em breve as lideranças chegarão a um acordo com o Palácio de Karnak.

O governador Wellington Dias já avisou a quem interessar possa que não aceitará pressão.

Nova reforma

O deputado federal Átila Lira (ainda no PSB) disse que, após a aprovação da reforma da Previdência, a próxima reforma a entrar na pauta de discussão do Congresso Nacional será a tributária.

Vários parlamentares já estão se movimentando nesse sentido.

Em tempo de crise econômica e financeira, a discussão certamente vai pegar fogo.

Formatura

Os bacharéis em Direito da Turma “Professor Clemente Fortes”, da UFPI, estarão comemorando 45 anos de formatura, amanhã, com missa em ação de graças que será celebrada na Igreja de Fátima, seguida de jantar.

A turma é composta pelos primeiros alunos do Curso de Direito do Campus da Ininga.

 

 

* O PT faz suas convenções municipais em setembro. A convenção regional será em outubro.

* Duas chapas estão sendo montadas para enfrentar o deputado federal Assis Carvalho, mas a reeleição dele como presidente do partido no Piauí é tranquila.

* A Prefeitura de Teresina contou 230 pessoas com 100 anos ou mais residindo na capital.

* Os hospitais não entraram nos critérios políticos para preenchimento de cargos do governo no interior.

 

 

Pobre de direita

O vaqueiro Joãozinho, de Dom Inocêncio, liga para o vice-prefeito Marcos Damasceno (PT) para falar sobre a reforma da Previdência, violentamente criticada pelo amigo:

O vaqueiro: - Mas tem pobre defendendo isso!

O vice-prefeito: - Meu amigo, pobre de direito é igual a cachorro de rico.

O vaqueiro: - Como assim?

O vice-prefeito: - Vive latindo para defender a mansão, mas dorme do lado de fora.