Cidadeverde.com

Wellington critica fala de Bolsonaro

O governador Wellington Dias criticou ontem dois pontos da curta fala do presidente Jair Bolsonaro sobre os governadores nordestinos, no final de semana.

O presidente disse, em conversa de pé de ouvido com o ministro Onyx Lorenzoni, antes de iniciar uma entrevista coletiva, que dos governadores Nordeste, que ele chamou de “Paraíba”), “o pior é o do Maranhão".

Em seguida, instruiu o ministro a não passar nada para o governador Flávio Dino (PCdoB). Sua fala foi gravada.

Depois, o próprio presidente se encarregou de dizer que sua fala foi distorcida pela imprensa, pois suas críticas eram dirigidas aos governadores do Maranhão e da Paraíba, não aos nordestinos.

Discriminação

Para Wellington Dias, a forma como o presidente criticou os governadores foi discriminatória com a região, chamada pejorativamente de “Paraíba”.

O governador criticou também o presidente por dizer que “não vai liberar nada para tal estado.”

Wellington defendeu que a relação entre o presidente da República e os governadores se dê de forma institucional e respeitosa. 

Além disso, ele propõe que as diferenças políticas sejam tratadas com maturidade.

O governador se pronunciou sobre o assunto em entrevista à TV e à Rádio Cidade Verde.

Palanque

Os governadores do Nordeste têm feito oposição ao presidente desde a sua posse, à qual não compareceram. Todos votaram no PT nas eleições passadas. E já lançaram várias cartas públicas com críticas ao presidente, além das que fazem ao seu governo pela mídia.

Está claro que até agora nem o presidente nem os governadores nordestinos desceram do palanque ainda. A região só tem a perder com esse confronto. O Brasil também. O caminho a seguir, portanto, é o indicado pelo governador Wellington Dias. É possível discordar sem discórdia.

 

 

Na toca dos leões

O presidente Jair Bolsonaro faz hoje a sua terceira visita ao Nordeste depois da posse. Ele vai inaugurar um aeroporto em Vitória da Conquista, na Bahia.

O governador Rui Costa (PT) anunciou ontem pelas redes sociais que não irá à inauguração, alegando que o governo federal tomou conta da festa.

Sem povo

Nas viagens anteriores, a primeira ao Recife, onde Bolsonaro participou de uma reunião da Sudene, e a segunda a Petrolina, para entregar chaves de imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida, o acesso popular também foi controlado.

A visita à Bahia ocorre na esteira na crise criada pela fala do presidente em uma conversa com o ministro da Casa Civil.

A obra

O aeroporto que será inaugurado hoje, batizado de Glauber Rocha, em homenagem ao cineasta baiano, custou cerca de R$145 milhões, oriundos dos governos federal e estadual.

A última parcela do financiamento federal foi paga no final de 2018, ainda no governo de Michel Temer.

Foto: Divulgação

Luz e ação - Os novos equipamentos de som e luz do Theatro 4 de Setembro e da Galeria do Club dos Diários foram entregues ontem pelo governador Wellington Dias e o secretário de Cultura, Fábio Novo. O evento foi prestigiado por membros do Conselho de Cultura, artistas e outras autoridades.

 

 

*O Centro de Tecnologia em Alimentos do Senai Piauí, está com matrículas abertas para cursos da área de panificação.

*As inscrições podem ser feitas para os cursos de padeiro, confeiteiro, preparador de pães caseiros, técnicas de congelamentos, bolos e tortas, pizzas doces e salgadas.

* Pré-candidato a presidente, o governador Flávio Dino está feliz da vida com a crítica que recebeu de Bolsonaro.

* Com elas, o governador está conseguindo os seus 15 minutos de fama e dando o seu recado.

 

 

Caçador de onça e caçador de voto

Do governador Wellington Dias, ontem, em entrevista à TV Cidade Verde, sobre a sucessão municipal em Teresina, que já tem muitos pré-candidatos a prefeito:

- Esse negócio de eleição é como caçador Quando a onça tá longe, todo mundo tem coragem. Mas, quando chega perto, a coragem desaparece.