Cidadeverde.com

Governadores mudam o tom

Foto: Divulgação/Secom/BA

Governadores divulgam "Carta do Nordeste"

 

Os governadores do Nordeste, que estão em rota de colisão com o presidente Jair Bolsonaro, decidiram trocar os ataques ao seu governo por exigências.

Ontem, em Salvador, na primeira reunião após serem chamados de "governadores de Paraíba" pelo presidente, eles mudaram de estratégia.

Assim, argumentando que é melhor focar em ações do que em conflitos, os governadores estruturaram uma agenda de trabalho própria e cobraram do Governo Federal medidas e recursos que podem contribuir com a redução dos déficits estaduais e com a melhoria da segurança pública na região.

Mesmo o governador da Bahia, Rui Costa (PT), anfitrião do evento, preferiu baixar a bola, depois de ter se recusado a participar da inauguração do Aeroporto de Vitória da Conquista ao lado do presidente, na semana passada, e bater boca com ele publicamente.

“Entendemos que concentrar energias nas questões políticas ou de retórica, dilui a atenção do problema central do Brasil, que é a economia, o emprego e a renda. Todos aqui acham que esse debate é secundário, pois deveríamos estar concentrados nas ações”, explicou o governador, em entrevista ao site Congresso em foco.

As reivindicações

Entre os pedidos dos governadores ao Planalto estão a aprovação das regras do Novo Fundeb, a implementação do Plano Mansueto, a compensação das perdas de arrecadação decorrentes da Lei Kandir, a possibilidade de securitização dos títulos públicos e o compartilhamento das receitas provenientes da exploração e da comercialização do petróleo.

Os governadores do Nordeste também pediram a liberação imediata dos recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública por parte da União, recursos que, segundo os estados, chegam a  R$ 1,1 bilhão.

A nova estratégia dos governadores é mais consequente. Nada traz de novo ao debate político, mas contribui para que não se desperdice energia com temas que só interessam aos políticos, enquanto as urgências e necessidades do país e dos estados são outras.

 

 

Gastança

O Diário Oficial do Estado traz, em sua penúltima edição, de 25 de julho, uma mostra de como se torra os recursos públicos em festanças pelo interior do Piauí.

Nas páginas de 42 a 49, são publicados extratos de inexigibilidade de licitação e de termos de ratificação de dispensa de licitação para a contratação de bandas de forró para mais de dez eventos da Secretaria de Turismo.

Em apenas alguns extratos são revelados os valores dos contratos, que variam de R$ 30 a R$ 60 mil.

Os eventos

Os eventos são os mais variados, indo de festa de emancipação política de município a festejo da padroeira, passando por carnaval.

E existem eventos curiosos, como a contratação da Banda Waldo e Felipe para a Semana Santa de Juazeiro do Piauí.

Ou ainda a contratação da mesma banda para animar a 4ª Vinagreira Fest, em Lagoa Alegre do Piauí e também a XXIII Regata de Canoas de Buriti dos Lopes.

Farra das emendas

Também estão entre os eventos curiosos patrocinados com recursos oficiais do Estado, através de emendas parlamentares, o “Picos Fest Berro”, a maratona de Ciclismo Desafio das Opalas 2019 e a VI Etapa do “Caminhos do Marchador”, esta uma realização do Núcleo Piauiense dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador.

Nesse caso, a água correndo para o mar, pois esse esporte é coisa de rico. Pobre anda mesmo é de jumento.

E por aí vai o sumidouro dos recursos...

No Diário Oficial, os extratos de dispensa de licitação para contratação de bandas de forró

Consórcio

O objetivo principal da reunião dos governadores “paraíba”, ontem, em Salvador, foi a formalização do Consórcio Nordeste.

Eles definiram o plano de trabalho desse projeto, que vai permitir que os estados nordestinos trabalhem juntos em planos de desenvolvimento econômico para a região.

Ao final do evento, eles lançaram uma nova carta com suas posições e reivindicações.

 

 

* Nos últimos nove anos, o Piauí desativou 400 leitos de internação pediátrica, destinados a crianças que precisam ficar por mais de 24 horas no hospital.

* Os dados contam de levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

* Em 2010, o Piauí possuía 1.605 leitos. Já em 2019, o número diminuiu para 1.205 leitos.

* A pesquisa aponta ainda que os leitos disponíveis no sistema de saúde privado e no SUS caíram ao longo dos nove anos.

* No SUS, em 2010, eram 1.444 leitos. Em 2019, diminuiu para 1.060. No sistema de saúde privado, a redução foi bem menor, sendo que em 2010 eram 161 leitos e em 2019 são 145.

 

 

Assinatura de risco

Em São Paulo, o engenheiro Dirceu Arcoverde Filho faz assinatura para entrar na coluna do jornalista Arimatéia Azevedo, agora de acesso somente para assinantes. E liga para dar a boa-nova ao jornalista:

Dirceu: - Olha, fiz a assinatura de tua coluna por seis meses.

Arimatéia: - Só?!

Dirceu: - Rapaz, com o risco desses processos que você responde lhe levarem para a cadeia, o mais certo mesmo seria uma assinatura semanal...