Cidadeverde.com

Enem ressuscita escritor sepultado pela Ufpi

Foto: Cidadeverde.com

Poeta H. Dobal

Causou um certo frisson entre professores de literatura em cursinhos de preparação ao Exame Nacional do Ensino Médio a inclusão de uma questão tendo como base um soneto do poeta H. Dobal, na prova do Enem realizada domingo.

A referência ao escritor surpreendeu os candidatos que fizeram a prova no Piauí, especialmente porque se trata de um ilustre desconhecido da maioria deles. Seu poema foi publicado no livro A Província deserta, de 1974.

H. Dobal, nascido em Teresina, figura na galeria dos maiores poetas do Brasil. Ele pertenceu à Academia Piauiense de Letras e morreu em 2008. Mas quase era enterrado vivo pela Universidade Federal do Piauí, como muitos outros escritores piauienses.

Quando a UFPi aderiu ao Sistema de Seleção Unificada (SiSU), em 2011, decretou o fim do estudo da literatura piauiense nas escolas de ensino médio. A partir daí, elas não se interessarem mais em estudar suas obras em sala de aula.

Por uma questão pragmática, toda a preocupação delas voltou-se exclusivamente para o Enem. Antes, em cada vestibular, pelo menos quatro autores piauienses eram estudados o ano inteiro. Como eles não iriam mais cair no concurso, foram imediatamente descartados pelas escolas.

Pá de cal

Depois que a Ufpi enterrou os escritores piauienses, mortos e vivos, a Universidade Estadual do Piauí jogou a pá de cal, no ano seguinte, 2012, quando também aderiu ao Sisu.

Desde então, o Enem passou a ser o único critério de avaliação para o ingresso de estudantes nas duas universidades. Como se sabe, as questões do Enem são elaboradas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em Brasília.

O Inep seleciona questões elaboradas em todo o país para o Banco Nacional de Itens (BNI), mas, desde 2011, esta é a primeira vez que cai uma questão citando um escritor piauiense. Quase uma loteria. 

O  poema de Dobal que caiu em uma questão do Enem

 

Ultrapassagem

Em sua última visita ao Tribunal de Contas do Estado, dia 30, o secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, informou que o Poder Executivo já ultrapassou o limite prudencial estabelecido pela LRF, que é de 46,55%, ao gastar 46,7% da Receita Corrente Líquida (RCL) com pessoal.

Desequilíbrio

O secretário disse também que o Governo aumentou as receitas próprias e conseguiu reduzir o custeio da máquina, mas o aumento das despesas previdenciárias causa um desequilíbrio nas contas públicas.

“Nós gastamos R$ 1,7 bilhão com pagamento de aposentadorias e benefícios previdenciários, mas arrecadamos apenas R$ 700 milhões para este fim. Ou seja, temos aí um déficit anual de R$ 1 bilhão”, assinalou.

Foto: Divulgação/CCom

Lançamento da Expoapi 2017, no Palácio de Karnak

Expoapi

A 67ª Exposição Agropecuária do Piauí (Expoapi), que será realizada entre os dias 2 e 10 de dezembro, deve movimentar cerca de R$ 12 milhões no mercado da pecuária piauiense.

O lançamento da exposição foi feito ontem no Palácio de Karnak. O evento será realizado no Parque de Exposições Dirceu Arcoverde, em Teresina, e traz na sua programação oito leilões de gado, provas equestres e provas de hipismo, vaquejada, além de shows em todos os dias e torneios leiteiros, dentre outras atividades.

Quem faz

A Expoapi será realizada através da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), com o apoio da Associação dos Vaqueiros Amadores do Piauí (Avapi), Associação Piauiense de Criadores de Gado Zebu (APCZ), Associação Piauiense de Criadores de Ovinos (Apicovi) e a Associação Piauiense de Criadores de Equinos (APCEQ) e Prefeitura Municipal de Teresina.

Ele não desiste

O presidente Michel Temer se reuniu ontem com líderes da base aliada do governo.

Ele garantiu que a recuperação do Brasil é visível. “Em 17 meses, demos um impulso extraordinário para o País e vamos continuar com as reformas. A próxima é a Previdência”, assegurou.

* A Fecomércio apresentou um projeto de parceria com o Governo do Estado para concluir o porto de Luís Correia.

* Segundo o presidente da entidade, Valdeci Cavalcante, com mais R$ 28 milhões o porto entra em operação.

* Além da crise econômica, a violência também vem fechando muitos negócios, especialmente no ramo de diversão.

* Haverá debandada em massa da bancada federal do PSB no Piauí. Os três parlamentares do partido já buscam abrigo em outras siglas.

Pesquisa eleitoral

Do site Sensacionalista:

- Lula tem 35% das intenções de voto para presidente; Bolsonaro tem 15% e o eleitor brasileiro tem titica de galinha na cabeça.

13º salário ameaçado

Cerca de 1,5 milhão de servidores estaduais correm o risco de não receber o 13º até o fim do ano. Segundo o jornal O Estado de São Paulo e a revista Veja, em situação fiscal delicada, os Estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Minas Gerais já enfrentam dificuldades mensalmente para levantar recursos para arcar com a folha de pagamento e seus funcionários devem penar para receber o 13º.

No Piauí, conforme reportagem publicada ontem pelos dois veículos, os servidores públicos já receberam 50% do 13.º, mas o Governo do Estado ainda não sabe como fazer para pagar a segunda parcela, no próximo mês.

A reportagem destaca que, com 99 mil servidores e uma folha de R$ 365 milhões, o Piauí já pagou aproximadamente R$ 180 milhões em 13.º salário neste ano, pois os funcionários recebem a primeira parcela no mês de aniversário.

Para quitar o restante, porém, ainda não há recursos disponíveis. O governo espera levantar recursos com o Refis recém-aprovado pela Assembleia Legislativa, que permitirá que os contribuintes parcelem suas dívidas.

Crise anunciada

A situação de penúria financeira dos Estados não apareceu de uma hora para outra. Ela foi construída ao longo do tempo. Claro que a crise econômica contribuiu para esse colapso, mas ele se deu principalmente por conta do descalabro administrativo e financeiro dos governantes.

Para atender a objetivos eleitorais e políticos, eles não hesitaram em inchar a máquina administrativa, produzindo despesas que ficaram fora de controle, especialmente com a folha de pessoal, por cima da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Mais uma vez, os servidores públicos serão penalizados, enquanto os gestores que causaram todo esse estrago seguramente serão premiados com novos mandatos eletivos. 

 

Foto: Cidadeverde.com

Tribunal de Contas retoma julgamento sobre licitação da água

Licitação

O Tribunal de Contas do Estado deve concluir na próxima quinta-feira o julgamento sobre a licitação para subconcessão dos serviços de água e esgoto de Teresina.

O TCE retoma a análise do processo depois da confirmação do Supremo Tribunal Federal de que ele tem atribuições para isso.

Contorno rodoviário

O senador Elmano Férrer (PMDB) se reuniu com o superintendente do Dnit, Paulo de Tarso Cronemberger, e técnicos do órgão para tratar sobre o projeto do Contorno Rodoviário de Teresina.

Na próxima semana, o parlamentar, juntamente com o superintendente Paulo de Tarso e técnicos do Dnit, estarão tratando sobre a execução do projeto em Brasília.

É pegar ou largar!

O Governo do Piauí não poderá mais realizar Programa de Refinanciamento (Refis) pelos próximos 5 anos.

A lei que prevê a medida foi aprovada na semana passada na Assembleia Legislativa.

O último Refis começa hoje, com adesão até 10 de dezembro para contribuintes com débitos tributários referentes a ICMS, IPVA, ITCMD e Taxas do Detran.

Os descontos

Os descontos de juros e multas chegam a 95% para pagamento à vista; 75% se parcelado em 6 vezes; 55% para parcelamento em 12 vezes e 50% de desconto para obrigação acessória com pagamento integral.

Para ICMS, pode aderir o contribuinte que tiver débito consolidado até 31 de julho de 2017.

Prorrogação

Já o Governo Federal prorrogou até o dia 14 deste mês o prazo para adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), conhecido como "novo Refis".

As funcionalidades de adesão estão disponíveis no sítio da Receita Federal na Internet. 

Expoapi

O Governo do Estado faz hoje, às 11 horas, no Palácio de Karnak, o lançamento da 67ª Exposição Agropecuária do Piauí (Expoapi), com apoio da Associação dos Vaqueiros Amadores do Piauí (Avapi), Associação Piauiense de Criadores de Gado Zebu (APCZ) e a Associação Piauiense de Criadores de Equinos (APCEQ).

Foto: Cidadeverde.com

João Mádison, presidente da APCZ

 

* Ninguém explicou até agora porque o Hospital Regional de Parnaíba ficou fora da lista dos que foram repassados à Fundação Hospitalar do Piauí.

* E agora, depois que o Governo Temer está só o osso, o ex-presidente FHC aparece com a sugestão para que o PSDB caia fora do barco.

* O presidente do Banco Central sugere que as pessoas só gastem o que cabe no bolso. Deveria passar essa receita era para o governo.

* Depois das puxadas de tapete na Assembleia Legislativa, o presidente do partido, deputado Júlio Arcoverde, tomou chá de doril e sumiu.

Proteção ao verde

Do humorista Fraga:

- Todo mundo defende as árvores. Mas ser enterrado ou cremado em caixão de plástico ninguém quer.

Juiz lança movimento contra aula aos sábados

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Juiz Márcio Braga Magalhães: não às aulas aos sábados

Uma proposta do juiz federal Márcio Braga Magalhães, professor da Universidade Federal do Piauí, pelo fim das aulas aos sábados, nas escolas da rede privada de Teresina, vem obtendo ampla repercussão.

Ele lançou a ideia, como pai, depois de fazer uma pesquisa entre pais e mães nas portas das principais escolas da capital. A pesquisa, realizada no início de outubro, durante uma semana, indicou que 95% dos entrevistados por ele são contrários às aulas aos sábados.

O juiz disse que começou a se incomodar com a situação há alguns anos, quando suas filhas passaram a estudar aos sábados. Hoje a mais velha já é universitária. A mais nova tem 15 anos.

Intrigado com a situação, ele começou a pesquisar se o fato de repetia em outras cidades. Constatou que não, especialmente em Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo.

As escolas de Teresina alegaram que há demanda dos pais por aulas aos sábados. A pesquisa feita pelo magistrado mostrou que não. Outro argumento das escolas é que esse ritmo de estudo mais puxado, com aulas nos fins de semana, ajuda na aprovação para o Enem e outros concursos disputados.

O juiz observou que as cidades que não têm aulas aos sábados também aprovam alunos no Enem e no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), por exemplo, em quantidade muito maior que Teresina.

Perdas

O juiz contou que, na pesquisa, cada pai ou mãe lhe dizia que o filho estava estressado e no psicólogo por causa da excessiva carga horária. Muitas das mães entrevistadas são também psicólogas e psicopedagogas.

“Com as aulas aos sábados, as crianças perdem tudo, desde o convívio familiar à saúde. Além disso, o domingo não é para descanso, mas para tarefas escolares”, critica.

Novo calendário

Márcio Braga Magalhães esclarece que a sua proposta não implicará a redução da carga horária. O magistrado observou que, em Teresina, as aulas do primeiro semestre terminam ali pelo dia 20 de junho, e retornam no final de julho ou começo de agosto.

No segundo semestre, as aulas acabam por volta de 20 de novembro e recomeçam no final de janeiro.

Em sua opinião, basta distribuir melhor os dias letivos, ampliando o período e reduzindo as férias, e a solução para o problema se dará sem traumas e sem prejuízos.

“O aluno não precisa de tantas férias, precisa é de mais tempo ao longo do ano”. Ou seja, o semestre letivo deve acabar mais tarde e começar mais cedo.

Petição

Márcio Braga Magalhães levou a ideia para a internet. Ele elaborou uma petição pelo fim das aulas aos sábados. Os interessados podem assiná-la no endereço www.petição24.com/sabados_sem_aulas.  No documento, ele expõe e propõe:

“É chegada a hora das escolas de Teresina refletirem sobre essa situação, pois já praticamente chegou-se ao limite! Vejam a quantidade de jovens deprimidos, tristes e ansiosos, muitos buscando tratamento especializado para esses problemas É o momento de se repensar  essa filosofia. Por tudo isso, AS MÃES E PAIS de Teresina REQUEREM que, a partir de 2018, uma nova política de ensino seja adotada, elaborando-se um novo modelo para as aulas durante os dias úteis, para que assim SEJAM EXTINTAS DEFINITIVAMENTE AS AULAS AOS SÁBADOS.”

A petição on-line foi postada na internet no dia 1º e ontem já registrava mais de 1.500 assinaturas. O documento será encaminhado ao Sindicato das Escolas Particulares, ao Ministério Público Estadual e às Secretarias Estadual e Municipal de Educação, para que busquem um diálogo com as escolas no sentido de acabar as aulas aos sábados.

PMDB fatura com aprovação de pacote fiscal

Foto: Divulgação/Alepi

Deputado Júlio Arcoverde, presidente do PP no Piauí

A bancada do PMDB na Assembleia Legislativa encontrou o que procurava: uma chance para chegar mais perto do governador Wellington Dias. O partido está no governo desde o início do ano, aquinhoado que foi com uma mão cheia de cargos. Mas vinha recebendo apenas tratamento protocolar.

A votação do novo e polêmico pacote fiscal do governo deu à bancada peemedebista a oportunidade que faltava. Como o PP, aliado de primeira hora do governador, decidiu dar os seus três votos na Assembleia contra o projeto, o PMDB correu em socorro de Wellington Dias.

Ao reagir retirando da Assembleia os dois suplentes do PP, o governador mandou para a Casa quatro deputados-secretários, dois deles do PMDB – Pablo Santos, presidente da Fundação Hospitalar do Piauí, e Zé Santana, secretário da Sasc. Com isso, conseguiu aprovar a matéria por 19 votos a 10. Precisava apenas da maioria simples – 16 votos.

A articulação contou com a participação direta do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho. Ele trabalhou abertamente e nos bastidores pela aprovação do projeto do governo.

O projeto aprovado cria um novo Programa de Refinanciamento de Créditos Tributários do Estado (Refis), concedendo descontos em juros e multas de débitos fiscais, e aumenta a alíquota de ICMS para vários produtos e serviços, inclusive combustíveis e telecomunicação. Também permite o uso de dinheiro de empréstimos para pagar a folha de aposentados. O governo já aumentou o ICMS dos mesmos produtos em julho passado.

Nada será como antes

O PP saiu do episódio desgastado com o governo e também desapontado com o Palácio de Karnak. Foram, afinal, duas investidas contra o partido. A primeira foi a surpreendente substituição de seus dois suplentes na Assembleia e a segunda a tentativa de retirar o presidente regional do partido, Júlio Arcoverde, da Comissão de Finanças para pôr um governista de quatro costados em seu lugar.

Os suplentes afastados da Assembleia estão de volta à Casa, depois da vitória do governo. O PP havia avisado que a discordância do governo era pontual, ou seja, resumia-se ao voto contra a aprovação de mais impostos. Poucos acreditam, no entanto, que a relação dos progressistas com o Palácio de Karnak seja a mesma.

O fato é que, no fim, a bancada do PMDB levou a melhor junto ao governador e faturou politicamente com o rapapé do PP, ficando ainda mais confiante de que aumentam suas chances de indicar o vice de Wellington Dias nas eleições de 2018. 

Aumento no ICMS vai parar na Justiça

Foto: Alepi

Projeto que aumenta ICMS passa na Assembleia

Deu o esperado: o governador Wellington Dias aprovou, com folga, ontem, o seu pacote fiscal criando um novo Refis, aumentando impostos e autorizando o Governo do Estado a usar dinheiro de empréstimo na folha de pessoal. A oposição prometeu brigar agora na Justiça para derrubar a matéria.

Para aprovar o projeto, o governador fez mudança de última hora na bancada aliada. Ele mandou quatro deputados-secretários de volta à Assembleia - Pablo Santos (PMDB), Zé Santana (PMDB), Gessivaldo Isaías (PRB) e Flávio Nogueira Júnior (PDT).

A manobra teve o objetivo de retirar da Assembleia os suplentes convocados Bessah Araújo e Belê Medeiros, ambos do PP. Eles acompanhariam o presidente do partido, Júlio Arcoverde, votando contra o projeto do governo.

Nessa manobra, acabaram deixando também a Assembleia por um dia os suplentes Mauro Tapety (PMDB) e Ismar Marques (PSB).

Tensão

Antes de votação em plenário, a Comissão de Finanças aprovou o parecer do relator do projeto, deputado Rubem Martins (PSB), com alterações na proposta de aumento das alíquotas do ICMS.

No relatório, houve a supressão do artigo que aumenta o imposto somente sobre o combustível e a retirada do uso de empréstimos para o Fundo Previdenciário. Também houve modificação no artigo sobre o Refis, estendendo o prazo para a renegociação de dívidas até dezembro. 

O voto do presidente interino da Comissão, Luciano Nunes, decidiu a votação. Ele acompanhou o parecer de Rubem Martins. Também votaram a favor do relatório os deputados Júlio Arcoverde (PP) e Dr. Pessoa (PSD).

Já a favor do parecer do deputado Cícero Magalhães, apoiando o projeto enviado pelo Governo, votaram os deputados Fernando Monteiro (PRTB) e João Madson (PMDB).

Os líderes das entidades empresariais chegaram cedo à Assembleia para acompanhar a discussão e votação na Comissão de Finanças. A entrada principal de acesso ao plenário chegou a ser bloqueada por policiais, sendo liberada depois. O projeto tramitou em regime de urgência urgentíssima.

Mais crise

O presidente da Associação dos Jovens Empresários (AJE) do Piauí, Landerson Carvalho, destacou que o aumento dos impostos atinge não somente a classe empresarial, mas todos os cidadãos.

Também presente à Assembleia, o presidente da OAB-PI, Chico Lucas, criticou a proposta. "A Ordem já se posicionou contra o aumento de imposto e nós acreditamos que onerar a cadeia produtiva vai trazer mais crise. Precisamos de outras soluções, como cortar despesas, não aumentar o ICMS", afirmou o advogado.

O presidente da Associação Industrial do Piauí (AIP), Gilberto Pedrosa, criticou o projeto dizendo que a medida é uma manobra para as eleições de 2018.

O presidente da Federação das Indústrias do Piauí (Fiepi), Zé Filho, também presente na Alepi, afirmou que o projeto é contra a população, pois quem paga a conta final é o cidadão.

No Maranhão, não tem disso, não!

Foto: Divulgação/EBC

O governador Flávio Dino decreta redução de ICMS no Maranhão

Às vésperas da votação do projeto de lei criando um novo Programa de Refinanciamento de Créditos Tributários do Estado (Refis) e aumentando impostos, na Comissão de Fiscalização, Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa do Piauí, surge mais uma pedra no caminho do governador Wellington Dias.

No Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB) assinou decreto fazendo justamente o inverso do seu colega do Piauí. Ele reduziu o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em atividades dos produtores de grãos e principais itens da produção agrícola no Estado.

Este é um dos assuntos que mais repercutiu ontem nas redes sociais, em Teresina, por conta da proposta do governador Wellington Dias aumentando impostos outra vez.

A redução de impostos decretada pelo governador do Maranhão baixa as alíquotas do ICMS de 12% para 2%, no seguimento da produção agrícola.  A redução tributária no Maranhão atinge também a cesta básica em grãos, como feijão e arroz.

Com a medida, o produtor maranhense terá um ganho de 10%, o que vai possibilitar que ele seja mais competitivo no mercado. O Governo do Maranhão destaca ainda que a redução do ICMS vai impulsionar a produção, estimulando o setor.

Caminho inverso no Piauí

Enquanto isso, aqui no Piauí, o Estado move céus e terra para aumentar a carga tributária, penalizando ainda mais os setores produtivos e o consumidor. O Projeto de Lei Ordinária encaminhado à Assembleia pela mensagem 40/2017, do Poder Executivo, aumenta as alíquotas de ICMS de vários produtos e serviços, como combustíveis, telecomunicações e fumo. Isso depois de aumentos de imposto para esses mesmos setores, seguidamente, nos anos de 2015, 2016 e 2017.

Por estas e outras, muitas empresas do Piauí já atravessaram o rio Parnaíba e foram se instalar no Maranhão.

 

Foto: Cidadeverde.com

Deputado Júlio Arcoverde, presidente do PP no Piauí

Contra-ataque

Por essa o PP não esperava: o governador Wellington Dias quase zera a bancada do partido na Assembleia Legislativa, depois que a sigla anunciou voto contra o pacote fiscal que aumenta as alíquotas de ICMS para vários produtos e serviços, a partir de janeiro.

O projeto será votado hoje na Assembleia Legislativa.

Mexida

Diante da decisão do PP, ontem o governador tirou da Assembleia os deputados Bessah Araújo Costa Reis Sá, o B. Sá  e Belê Medeiros, ambos progressistas.

Para tirar da Assembleia suplentes convocados para o exercício do mandato numa articulação direta dele, o governador mandou de volta para a Casa os deputados Gessivaldo Isaías (PRB), secretário do Trabalho e Empreendedorismo; Flávio Nogueira Júnior (PDT), secretário de Turismo; Pablo Santos (PMDB), presidente da Fundação Hospitalar do Piauí; e Zé Santana (PMDB), secretario de Assistência Social.

Os titulares retornarão aos seus cargos assim que a mensagem for votada em plenário.

A ver navios

A enérgica reação do governador deixou o PP a ver navios. O presidente estadual do Progressistas, deputado Júlio Arcoverde, afirmou que cabe ao governador promover as mudanças que desejar em sua base aliada.

Mas ele não escondeu a sua irritação com a postura do Palácio de Karnak.

Tragédia

A polícia confirmou ontem um desfecho trágico para o desaparecimento da universitária Camila Abreu, de 21 anos. Ela foi mesmo assassinada. O corpo dela foi encontrado à tarde no povoado Mucuim, localizado em uma entrada após o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR- 343, em Teresina.

PM é preso

A Secretaria de Segurança divulgou nota informando que o capitão da Alisson Watson, da Polícia Militar, foi preso ainda ontem à tarde como suspeito de assassinar a estudante.

O policial era namorado de Camila há oito meses.

 

* Uma chuva de 150 milímetros, caída na noite de segunda-feira, causou alagamento de ruas e muitos estragos em Floriano.

* O prefeito Joel Rodrigues informou que a meteorologia prevê mais chuvas na região até sábado.

* Em Bom Jesus, nos Cerrados, também choveu, informa o prefeito Marcos Elvas, mas sem provocar os prejuízos ocorridos em Floriano.

* A chegada das chuvas no Sul do Piauí traz um grande alento para todo o Piauí, que vem enfrentando um longo período de estiagem. 

Pecado capital

Do humorista Fraga:

- Se o dinheiro tivesse realmente algum valor não comprava coisas inúteis.

Piauí discute alternativas de desenvolvimento

Foto: Divulgação

O economista Raul Velloso abre o Fórum Piauí Brasil, na Fiepi

Empresários, gestores públicos e líderes políticos participaram ontem, em Teresina, do Fórum Piauí Brasil, promovido pela revista “Cidade Verde”. Na palestra de abertura do evento, o economista Raul Velloso propôs a transformação da Previdência em um regime autossustentável em longo prazo como solução para a crise brasileira.

Depois de lembrar que o Brasil vive a pior recessão de sua história, o economista se posicionou contrário à aprovação de impostos. "Não dá para aumentar impostos durante a recessão e quem fizer isso está se suicidando”, avisou, entre aplausos da plateia.

Raul Velloso informou que manteve entendimentos com o governador Wellington Dias e secretários da área econômica do Estado e recebeu deles informações alentadoras. Conforme os dados, o Piauí avançou, em relação a outros Estados, na questão previdenciária. Por isso, considera o Piauí um ponto fora da curva.

Cobertura

O evento foi realizado no auditório da Federação das Indústrias do Piauí (Fiepi), com transmissão ao vivo do portal Cidadeverde.com e cobertura dos demais veículos “Cidade Verde” – TV, Rádio e Revista. O público também pôde acompanhar o Fórum pelo celular, usando o aplicativo CV Play, que foi lançado recentemente para levar informações onde o internauta estiver.   

A saudação aos presentes, com votos de boas-vindas, foi feita pelo presidente do “Cidade Verde – Grupo de Mídia do Piauí”, Jesus Tajra Filho. Participaram do Fórum o governador Wellington Dias, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho, o prefeito Firmino Filho, o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Olavo Rebelo, e os senadores Ciro Nogueira (PP) e Elmano Ferrer (PMDB), além do reitor da Ufpi, José Arimatéia Lopes,do  presidente nacional do Sesi, João Henrique Sousa, representantes do Sebrae-PI e prefeitos do interior.

Os outros dois palestrantes do evento foram o engenheiro agrônomo André Pessoa, diretor da Associação Brasileira do Agronegócio, e o diretor-presidente da Mcroplan, Cláudio Porto. O primeiro falou sobre a "Inserção econômica do Piauí - uma visão do agronegócio" e o segundo sobre "Desafios da gestão pública e dos agentes privados na evolução do Piauí”.

Na pauta

A Mensagem nº 40/2017 do Executivo, que dispõe sobre o Programa de Refinanciamento de Créditos Tributários do Estado (Refis) e aumenta impostos, será votada amanhã na Comissão de Fiscalização, Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa.

Debate

“Na Comissão de Constituição e Justiça esse projeto foi amplamente discutido e polemizado. Mas lá nós votamos a sua constitucionalidade e legalidade. Agora, na Comissão de Finanças nós vamos discutir o mérito do Projeto e seus impactos que essa Lei danosa pode causar ao bolso do cidadão”, explicou o relator, deputado Rubem Martins (PSB).

O governo tem folgada maioria na Comissão.

Fim da recessão

Ontem, no Fórum Piauí Brasil, o economista Raul Velloso apresentou dados sobre o fim da recessão econômica, mas advertiu que o crescimento do país não volta amanhã.

- Temos que encontrar um jeito de injetar caixa na economia o mais breve possível – sugeriu.

Clube do Bolinha

As sociedades de advogados do Piauí, agora reunidas na secional piauiense do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados (CESA), mereceu uma crítica da advogada Geórgia Nunes, que integrou o Conselho Seccional da OAB-PI. Ela escreveu: Onde está Wally? Não está! Nem adianta procurar... não vamos encontrar mulheres advogadas nesta foto da primeira reunião realizada por uma entidade constituída para estudar as sociedades de advogados no Estado do Piauí. Pelo visto, apenas as sociedade de advogadOs, homens mesmo (e brancos)!”

Surpresa

A advogada prosseguiu: “Não é surpreendente? Em pleno século XXI, ano de 2017, com mulheres presidindo o Supremo Tribunal Federal e o Superior Tribunal de Justiça, na Chefia da Procuradoria-Geral da República, na Chefia da Advocacia-Geral da União, etc, as advogadas não serem chamadas para se sentarem à mesa de discussões sobre as questões de seu interesse? Para participarem da tomada de decisões que podem afetar diretamente a sua profissão?”

Foto: Divulgação

Advogados se reúnem em nova entidade

 

* A Polícia do Piauí está diante de um novo caso embaraçoso, o desaparecimento da universitária Camila, namorada de um oficial da PM.

* Aproximadamente duas mil cirurgias serão realizadas nos hospitais do Estado até o final do ano, em regime de mutirão.

* O PP confirmou ontem que vota em peso contra o projeto do governador Wellington Dias aumentando imposto.

* O partido tem uma bancada de três deputados. Ainda assim, o governo tem voto de sobra para aprovar a matéria.

 

O calor de Teresina

Do economista Raul Velloso, ao abrir ontem o Fórum Piauí Brasil, na sede da Federação das Indústrias do Piauí (Fiepi):

- Como sabem, nasci em Parnaíba. Mas morei em Teresina e me considero tão teresinense que não sinto calor quando estou aqui.

Contas que não batem

Foto: Divulgação

O protesto contra o novo aumento de impostos

O Governo do Estado e os líderes do setor empresarial – no qual se incluem ex-governadores e ex-secretários da área econômica – fazem contas muito diferentes sobre o pacote fiscal em tramitação na Assembleia Legislativa.

Trata-se do Projeto de Lei Ordinária 40/2017, do Poder Executivo, que cria o Programa de Recuperação de Créditos Tributários (Refis). A proposta também aumenta as alíquotas de ICMS de vários produtos e serviços. Este é o ponto de tensão entre governo e empresários, pois já houve aumento de imposto para esses mesmos setores, seguidamente, nos anos de 2015, 2016 e 2017.

Para justificar o novo aumento, a equipe econômica e o próprio governador Wellington Dias alegaram que precisavam de mais R$ 150 milhões para equilibrar as contas públicas.
Outra justificativa seria a necessidade imperiosa de mais recursos para o governo poder honrar o 13º dos servidores públicos.

Corte de energia

Nas negociações com os empresários, o governo propôs a retirada da energia do kit de produto e serviços que terão a alíquota de ICMS aumentada outra vez. Assim, o governo estaria abrindo mão de aproximadamente R$ 40 milhões da meta de R$ 150 milhões.
Ora, pelas contas das lideranças empresariais, somente o abusado reajuste de 27% que o governo Temer concedeu agora para a tarifa de energia vai gerar o aporte de R$ 145 milhões nos cofres da Fazenda estadual, via ICMS, praticamente zerando o alegado déficit.
Além do mais, os recursos oriundos do eventual aumento das alíquotas, caso o pacote seja aprovado, não têm como ser utilizados para o pagamento do 13º de 2017, devido ao princípio da anualidade. A não ser que o governo esteja planejando pagar a segunda parcela do 13º salário apenas em fevereiro ou março do próximo ano, o que parece muito pouco provável até agora.

Governo de fachada

A Secretaria da Fazenda vai pagar R$ 541.295,46 para a empresa Propag Comunicação Visual e Gráfica prestar “de serviços de comunicação visual padronizada para as fachadas do Posto Fiscal da Tabuleta, Agência de Atendimento do Aeroporto e da Gerência Regional de Atendimento Centro/Norte, em Teresina e Gerência Regional de Atendimento na cidade de Piripiri”, conforme estabelece o Processo Administrativo nº. 0066.000.01904/2017-2.  

O custo unitário de cada fachada será superior a R$ 130 mil.

Galpão

A Sefaz vai alugar um galpão na Rua Henrique Dias, nº 541, bairro São Pedro, em Teresina, para armazenagem e guarda com segurança dos bens e documentos fiscais sob a sua responsabilidade.

O custo anualizado do contrato de aluguel, a ser pago à Imobiliária Lima Aguiar, é de R$ 238.800,00 ou R$ 19,9 mil mensais.

E tem mais!

Outra aquisição da Sefaz, no valor de R$ 4.534.540,00, é de serviços técnicos especializados,  incluindo atualizações de versão, implantação e fornecimento de serviços de suporte de produtos Oracle, através da Unidade deTecnologia e Segurança da Informação – UNITEC”.

O valor será repassado à empresa Interlit Processos Inteligentes.

Sociedade de advogados

As sociedades de advogados do Piauí agora estão reunidas na secional piauiense do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados (CESA). A primeira reunião ocorreu na quinta-feira da semana passada, a última de outubro. O próximo encontro será dia 30 de novembro.

São dirigentes do Cesa no Estado os advogados Álvaro Mota (presidente), advogados Rafael Neiva Nunes do Rego (vice-presidente), Mário Roberto Pereira de Araújo (secretário-geral), Jairo Oliveira Cavalcante e Leonardo Cerqueira e Carvalho.

Primeira reunião

No primeiro encontro do CESA-PI participaram, entre outros, os advogados Carlos Yure, Sogifroi Moreno, Antônio Cláudio Portella, Lucas Villa, Álvaro Mota, Jairo Cavalcante, Mário Roberto Pereira, Celso Barros Neto, Alexandre Magalhães, Cláudio Rego, Rafael Neiva e Éfren Paulo, na foto de registro após jantar em restaurante na zona Leste.

Dívidas

A convite do prefeito do município de Simões José Ulisses, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Piauí - Faepi, deputado federal Júlio César (PSD), participou de encontro, no final de semana, na Câmara Municipal,  com a equipe do Banco do Nordeste, produtores rurais da região e lideranças políticas para debater e esclarecer dúvidas sobre a renegociação das dívidas  contraídas de créditos rurais.

Algodões

O Governo do Estado atrasou, de novo, o pagamento das parcelas da indenização das vítimas do rompimento da Barragem de Algodões, tragédia ocorrida em maio de 2009 que deixou um rastro de morte e destruição nos municípios de Cocal e Buriti dos Lopes.

O acordo para pagamento da indenização foi fechado em abril, entre o Governo do Estado e a Avaba (Associação das Vítimas e Amigos da Barragem de Algodões), com a intermediação do Tribunal de Justiça.

São R$ 60 milhões no total, divididos em 60 parcelas de R$ 1 milhão. O depósito de R$ 1 milhão referente a outubro deveria cair dia 25 nas contas das famílias beneficiárias. Até sexta, 27, não tinha caído.

Foto: Divulgação

Caravana - O vice-presidente regional do PMDB no Piauí, João Henrique Sousa, reuniu, na sexta-feira e no sábado passados, delegados e presidentes do partido das regiões de Uruçuí e Água Branca, respectivamente. Em pauta, a discussão da tese da candidatura própria da sigla ao Governo do Estado em 2018. Na reunião em Uruçuí, além de lideranças do município, também participaram delegados do PMDB de Porto Alegre do Piauí, Landri Sales, Bertolínia, Antônio Almeida e Ribeiro Gonçalves. Já o encontro em Água Branca contou com a presença de lideranças locais do PMDB, entre elas o vice-prefeito Nem Motos e o presidente da Câmara Municipal, e dos municípios de Curralinhos, Palmeirais, Hugo Napoleão, Jardim do Mulato, Amarante, Angical, São Pedro, Passagem Franca, Miguel Leão e Lagoa do Piauí.

 

 

*Ainda não se sabe de quem foi a iniciativa, mas o governador e o vice-prefeito de Parnaíba já se encontraram.  

A reunião foi depois do rompimento do vice com o prefeito Mão Santa. O vice saiu batendo adoiado.

* O deputado João Madson (PMDB) pediu ao Governo do Estado, via Secretaria Segurança e Comando Geral da PM, reforço policial para o município de Água Branca.

* Os ex-ministros João Henrique e Marcelo Castro, vice-presidente e presidente do PMDB do Piauí, quase se encontram em Água Branca, no sábado. Um esteve à tarde e o outro à noite na Câmara Municipal, pregando teses diferentes sobre a sucessão estadual de 2018. 

Os mistérios da leitura

O escritor O.G. Rego de Carvalho, autor do clássico Rio Subterrâneo, visita a terra-berço, Oeiras, em 1998, em companhia da esposa, Divaneide Carvalho, depois de longos anos ausente. Muito assediado por onde passava. Amadeuzinho Reis, figura popular na cidade e tio do promotor de Justiça e agitador cultural Carlos Rubem, puxa conversa com o romancista, seu amigo de infância, na Pousada do Cônego:

Amadeuzinho: - Olhe, tem um livro seu que eu li, reli e não entendi nada.

O.G - E qual foi?

Amadeuzinho - Aquele "Mar Mediterrâneo"!...

Bancada se articula contra retaliação

Foto: Cidadeverde.com

Deputado Átila Lira, coordenador da bancada do Piauí

Virada a página da votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, na Câmara dos Deputados, membros da bancada federal do Piauí estão se articulando em Brasília para levar um manifesto ao Palácio do Planalto.

Nesse manifesto, a bancada vai dirigir um apelo diretamente a Michel Temer para que o Piauí não sofra qualquer retaliação do governo federal, por conta da posição de parlamentares do Estado a favor da denúncia para investigar o presidente.

Na votação de quarta-feira passada, o presidente contou com apenas cinco votos dos piauienses. Posicionaram-se pelo arquivamento da denúncia os deputados Átila Lira e Heráclito Fortes, do PSB; Iracema Portella, do PP; Júlio César, do PSD, e Paes Landim, do PTB.

Votaram pelo prosseguimento da investigação contra o presidente os deputados Assis Carvalho (PT), Fabio Abreu (PTB), Rodrigo Martins (PSB) e Silas Freire (Podemos). O deputado Marcelo Castro (PMDB) se absteve e seu voto favoreceu o governo.

Os piauienses que apoiaram o presidente Michel Temer querem, no entanto, que o placar seja zerado, a fim de que os interesses do Estado não sejam prejudicados.

O governo pode perfeitamente atender ao apelo da bancada, pois ele ainda vai precisar de mais votos lá adiante, se quiser tocar as reformas. Resta saber se os que votaram contra o presidente estarão dispostos a acompanhá-lo em futuras votações ou se se manterão contra Temer em qualquer circunstância.

O coordenador da bancada federal do Piauí, deputado Átila Lira, acredita que o Estado não vai ser prejudicado porque alguns votaram contra o presidente. “O Governo Federal está transferindo os recursos normalmente, enfrentando a crise. Todo mundo recebe os recursos de emenda parlamentar normalmente", destacou.

Caça às bruxas

No dia seguinte à queda da denúncia na Câmara, entrretanto, o Diário Oficial da União já circulava com as primeiras exonerações de afilhados de políticos considerados infiéis. O acerto de contas alcançou apenas parlamentares de outros Estados.

Os do Piauí que votaram contra o presidente não têm cargos no governo federal. O único deles que havia indicado nomes para o governoTemer era Rodrigo Martins, que perdeu os cargos depois da primeira votação.

 

15 segundos de fama

A votação que derrubou a segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer, na Câmara Federal, na noite de quarta-feira, foi o espetáculo esperado.

Todos já sabiam que a oposição não tinha força para emplacar a denúncia. Ou seja, conheciam antecipadamente o resultado, mas aproveitaram a ocasião para fazer fita.

Na votação, o governo ganhou com folga. Precisava de 172 votos para engavetar a denúncia, mas obteve 251, enquanto a oposição chegou a 233.

Holofotes

Cada parlamentar teve direito a 15 segundos para declarar seu voto, diante da câmara de TV, com a sessão sendo transmitida ao vivo para todo o país.

Os deputados, porém, em sua esmagadora maioria, não justificaram o voto contra ou a favor do relatório, não disseram se ele tinha consistência ou não, nem se a denúncia era pertinente ou não.

Assim, uns, votaram envergonhados, sem mais delongas. Outros preferiram defender ou atacar fervorosamente o presidente, apontando acertos ou erros de seu governo, sem afastá-lo ou vinculá-lo, entretanto, à denúncia em pauta.

O que mais chamou a atenção, no entanto, foram os que, sabidamente eleitos e/ou reeleitos em esquemas que foram do mensalão ao petrolão, aparecerem com a cara mais limpa do mundo berrando contra a corrupção.

O que um político não faz por 15 segundos de fama! 

 

Festival

O Governo do Estado confirmou ontem o cancelamento do Festival da Uva, em São João do Piauí. O motivo alegado é a crise financeira.

Seria a 7ª edição do evento, que tem como objetivo fomentar a economia da região com a comercialização da fruta no sertão piauiense.

Segundo nota expedida pelo governo, os recursos que seriam destinados à realização do evento serão realocados na estratégia de garantir o pagamento em dia da folha do funcionalismo público, bem como o custeio de atividades essenciais como Saúde, Educação e Segurança Pública. 

Tristeza

A deputada federal Renaje Dias, secretária de Educação, idealizadora e entusiasta do Festival da Uva, divulgou nota sobre o cancelamento do evento: “Foi com tristeza que eu, juntamente com membros do grupo de Secretarias e órgãos públicos que organiza o Festival da Uva de São João do Piauí, comunicamos a suspensão do evento, programado para os dias 17, 18 e 19 de novembro de 2017.”

Crise

Segundo ela, a decisão foi tomada com muita responsabilidade, levando em consideração a delicada situação financeira que passa o nosso Estado. “Esperamos que os são-joanense e os piauienses de modo geral compreendam essa difícil decisão. Fazemos votos que em breve tenhamos as condições necessárias para retornar com o Festival que tanto encanta e divulga o nosso Estado.”

PF na rua

A Polícia Federal deflagrou ontem a Operação Argentum, que desarticulou uma organização criminosa com atuação no Ceará, Piauí e Maranhão.

Segundo a PF, a Controladoria-Geral da União constatou contratações irregulares e movimentações bancárias atípicas com recursos federais recebidos pelo município de Prata do Piauí, a 165 km ao Sul de Teresina, em dezembro de 2016.

Ao todo, 40 mandados foram expedidos. A ação mobilizou 110 policiais federais.

Corrupção

A Polícia Federal informou, ainda, por meio de nota, que os recursos eram provenientes de precatório da complementação da União para o Fundef no valor aproximado de R$ 2.730.000, atraindo a incidência dos delitos de apropriação e/ou desvio de recursos públicos, corrupção, associação criminosa/organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Os mandados foram expedidos pela 3ª vara da seção judiciária do Piauí.

O esquema

A investigação revelou que empresas, tendo como sócios parentes do ex-prefeito e que atuam nestas como “laranjas”, foram utilizadas para a ocultação de patrimônio em seu favor, em ação de lavagem de dinheiro, através da criação de uma farmácia e um posto de combustíveis.

Os mandados foram executados nas cidades piauienses: Teresina, Demerval lobão, Prata do Piauí, e nos municípios de Caxias e Timon, no Maranhão. No Ceará, os mandados foram cumpridos nas cidades de Crateús, Independência, Parambu e Tamboril.

Foto: Divulgação

Lançamento - O médico psiquiatra e escritor Edmar Oliveira, piauiense radicado no Rio de Janeiro há 40 anos, lança hoje, a partir das 19 horas, na Livraria Entrelivros (Avenida Dom Severino), seu novo livro: “Sitiado”.  Trata-se de um romance histórico que aborda a passagem da Coluna Prestes pelo Piauí. A obra tem o prefácio do escritor José Ribamar Garcia, da Academia Piauiense de Letras.

 

 

* A rede hospitalar privada retomou ontem o atendimento ao pacientes do Plamta, que estava suspendo desde o último dia 11, por falta de pagamento do Iaspi.

* Riachuelo inaugura hoje a sua 299ª loja, instalada no Caxias Shpping. O ato contará com a presenã do presidente do Grupo Guararapes, seu controlador, o empresário Flávio Rocha.

*O deputado federal Júlio César (PSD) apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 42/15, para criar o Fundo Constitucional de Segurança Pública.

* Os ministros Gilmar Mendes e Luis Roberto Barroso bateram boca ontem no Supremo. Por pouco, não se atracaram.

 

Empurrando com a barriga

Do humorista Fraga:

- Existe um momento perfeito pra deixar tudo pra depois. É agora.

Posts anteriores