Cidadeverde.com

Estados perderam R$ 276 bi com a crise

A recessão custou R$ 278 bilhões aos Estados, entre 2015 e 2017. O cálculo é do economista Raul Velloso, especialista em contas públicas, e foi divulgado pelo jornal O Estado de São Paulo.

Segundo o economista, esses R$ 278 bilhões equivalem à quantia extra que os Estados teriam tido de receita tributária se tivessem mantido, durante a recessão, a média de crescimento registrada na arrecadação entre 2002 e 2014.

Por conta desse quadro, muitos dos futuros governadores vão encontrar caixas quebrados e fila de pessoas com quantias a receber, avisa o economista.

Ação no STF

O Governo do Piauí entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), em conjunto com outros 24 Estados, para tentar receber R$ 21 bilhões da União.

Os recursos são referentes ao ano de 2017 e equivalem a 20% da parcela relativa à Desvinculação das Receitas da União (DRU).

Só o Piauí teria direito a R$ 900 milhões, de acordo com o governador Wellington Dias.

 

 

Foto: Divulgação

Associação Industrial do Piauí discute a privatização da Cepisa

Privatização

A privatização da Eletrobras-Piauí (Cepisa) foi o tema principal da reunião de ontem à noite da Associação Industrial do Piauí (AIP), com a presença do atual presidente da empresa, Arquelau Amorim.

O projeto da Subestação de Energia Elétrica do Polo Industrial Sul de Teresina também esteve em discussão.

Canário na muda

O presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho, recebeu a visita do governador Wellington Dias.

O presidente da Assembleia entrou no encontro calado e saiu mudo.

Mano a mano

O ex-governador Wilson Martins (PSB) está certo de que, nestas eleições, o governador Wellington Dias está em uma situação tão delicada para se reeleger que não terá tempo para cuidar da campanha de senador.

Além disso, o governador não terá mais nem Lula nem Dilma como puxador de voto, calcula Wilson Martins, até aqui o primeiro colocado nas pesquisas de intenção de voto para o Senado.

É muito patriotismo!

Com 10 nomes da disputa, o Piauí é o quarto Estado em número de candidatos a governador, conforme levantamento do jornalista Délio Rocha, correspondente do Grupo Cidade Verde em Brasília.

Afora o governador Wellington Dias, os demais acham que o Estado está quebrado.

É muita vontade de servir ao povo, essa dos que querem entrar numa casa de palha pegando fogo!

Sesc Picos

O presidente da Fecomércio e dos Conselhos Regionais do Sesc e do Senac, Valdeci Cavalcante, inaugura amanhã à noite o Centro de Atividades Rosalvo Rufino Leal, o Sesc  Picos.

O novo equipamento do Sesc fica na Rua Maria dos Remédios Nogueira Barros, no Junco, e está dotado de Laboratório de Informática, Galeria de Artes, Centro Educacional, Clínica Odontológica, Refeitório, Biblioteca, Auditório e Mesa Brasil.

Foto: Divulgação

Sarau literário - O presidente da Academia Piauiense de Letras, Nelson Nery Costa, foi o homenageado de ontem à noite no Café Literário de Agosto, na Livraria Anchieta, juntamente com Hilda Hilst. Na ocasião, ele lançou sua mais recente obra, “História Piauiense: aventura, sonho e cultura”, publicada pela Editora Vozes. Rosinha Amorim, acompanhada por Geraldo Brito, encantou com o seu repertório da fina flor da MPB. A professora Jozelita Izabel, da UESPI, fez uma apresentação sobre a poética de Hilda Hilst, homenageada este ano na Feira Literária Internacional de Paraty (Flip). Além de professores, intelectuais e outros convidados, alunos e professores da Escola Municipal da Santa Maria da Codipi participaram do evento poético e musical.

 

 

* É geral a grita contra os serviços do Cartório o 2º Ofício de Notas e Registros de Imóveis de Teresina, na zona Leste. Os demais que funcionam no Centro também pioraram muito.

* O coordenador da campanha do governador Wellington Dias é o ex-deputado federal e ex-vice-governador Osmar Júnior (PCdoB).

* Por essa o PSDB não esperava: o coordenador da campanha do Dr. Pessoa a governador pelo SDD é o tucano Jeová Alencar, presidente da Câmara Municipal de Teresina.

* As apostas estão abertas: quem pegou mais balão do PT – João Vicente Claudino, Ciro Gomes ou Themístocles Filho?

 

 

No páreo

Da jornalista Cláudia Brandão, editora-chefe da Revista Cidade Verde, sobre o lançamento da candidatura da professora Lourdes Melo a governadora, pelo PCO, já depois das convenções partidárias:

- A professora Lourdes Melo é uma candidata competente. Está sempre competindo.   

 

TCE investiga "premiação" de prefeitos

O Tribunal de Contas do Estado está fazendo o levantamento dos prefeitos, presidentes de Câmaras Municipais, secretários e outros gestores públicos que receberam premiações e condecorações de entidades e instituições promotoras de eventos no país.

O objetivo do levantamento é descobrir se essas premiações foram pagas com recursos públicos e se houve gastos irregulares com viagens, diárias, hospedagem e outras despesas.

A investigação é realizada pela Diretoria de Fiscalização da Administração Municipal (DFAM) e Diretoria de Gestão Estratégica da Informação e Combate à Corrupção (Dgecor). São levantados dados relativos ao período de 2014 a 2018.

O diretor da Dgecor, José Inaldo Oliveira, explicou que os gestores que comprovadamente tenham efetuado pagamentos irregulares com dinheiro público serão responsabilizados na forma da lei.

Jumento premiado

O foco da apuração do TCE-PI são as premiações e condecorações de prefeitos e outros gestores piauienses pela União Brasileira de Divulgação (UBD), de Recife, e pelo Instituto Tiradentes, de Minas Gerais, que foram objeto de reportagem exibida pelo Fantástico, da Globo, no último domingo (5).

A UBD, por exemplo, foi mostrada condecorando um jumento no evento “Os 100 Melhores Prefeitos do Brasil”.

No Piauí, vários prefeitos que receberam essas ‘homenagens’ estão mandando deletar de portais de notícias e de redes sociais as imagens e as notícias das ‘premiações’. É trabalho perdido, pois os técnicos do TCE já conseguiram as listas dos “homenageados”.

Agora que o escândalo explodiu muitos gestores estão posando de inocentes. Mas tanto eles sabiam que esses títulos eram fajutas, e que não se faziam merecedores de homenagens como gestores, que se dispuseram a pagar pelas que lhes foram oferecidas.

 

 

Polícia nas ruas

A delegada de polícia civil Cassandra Moraes Sousa estreou como candidata a vice-governadora pelo DEM, na chapa do tucano Luciano Nunes, falando do que ela entende mais.

A candidata defendeu o fortalecimento da segurança pública no Estado, com o aumento do efetivo e a volta do Projeto “Ronda Cidadão”, desativado pelo atual governo.

As duas medidas resultariam, segundo ela, na presença de mais polícia nas ruas.

Projeto de poder

Ainda repercutem nos meios políticos as declarações do ex-ministro João Henrique Sousa, vice-presidente do MDB do Piauí, dadas na véspera e durante a convenção do partido em Teresina.

Segundo ele, o PT quer implantar um projeto permanente de poder no Piauí.

Por isso, conforme o ex-ministro, o partido rejeitou a indicação do nome do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB), como candidato a vice-governador na chapa de reeleição do governador Wellington Dias.

Aviso aos navegantes

Na análise do ex-ministro, a indicação da senadora Regina Sousa como candidata a vice de Wellington atende a esse projeto de poder sem limite de tempo.

João Henrique disse que sempre alertou o MDB que o PT não daria a vaga de vice para o Themístocles Filho.

"Forças ocultas"

O senador Elmano Férrer, candidato a governador pelo Podemos, ainda bate cabeça para fechar a sua chapa.

A luta contra as “forças ocultas” está é grande.

Foto: Philipe Nagô/Divulgação

Greve de fome - A senadora Regina Sousa visitou domingo, em Brasília, os seis militantes de movimentos sociais que estão em greve de fome, há sete dias, reivindicando a libertação do ex-presidente Lula e denunciando o caos social que se alastra pelo país. “A greve de fome é parte do processo histórico de luta do povo oprimido brasileiro”, afirma a senadora.

 

 

* Começa a ficar animada a campanha para renovação do Conselho da Ordem dos Advogados do Brasil, seção do Piauí.

* Pelo andar da carruagem, o general Mourão, vice do deputado Bolsonaro, é o Ciro Gomes de farda.

* O senador Fernando Collor se lançou candidato a governador de Alagoas na última hora pelo PTC.

* O Brasil vai ficar devendo esta a Collor, se ele derrotar o senador Renan Calheiros (MDB) e seu pimpolho Renan Filho, que é governador do Estado.

 

 

Fênix

Do humorista Fraga:

- Candidato é esse desacreditado que de quatro em quatro anos consegue o inacreditável.

 

Prefeitos gastam com prêmio fajuta

O Ministério Público tem material de sobra à sua disposição para abrir uma investigação contra gestores públicos do Piauí. É a reportagem exibida no domingo pelo Fantástico, da Rede Globo, denunciando o comércio ilegal de diplomas de mérito para vereadores, prefeitos e secretários municipais. 

Segundo a reportagem, as empresas que fornecem os prêmios são a União Brasileira de Divulgação, ou UBD, de Pernambuco, e o Instituto Tiradentes, de Minas Gerais.

Para mostrar a falta de critérios na concessão desse tipo de premiação, a reportagem da TV Globo conseguiu negociar a compra de um diploma de “Gestor Nota 10” para um jegue – o jumento Precioso.

Premiados do Piauí

Do Piauí, vários prefeitos receberam o diploma no final do mês passado, em Recife. Eles foram classificados entre os 100 melhores prefeitos do Norte e Nordeste, nos primeiros 180 dias de 2018, em uma tal Pesquisa Nacional de Utilidade Pública realizada pela própria União Brasileira de Divulgação (UBD).

Entre os “premiados”, estão José de Ribamar Carvalho, o Professor Ribinha (PT), de Campo Maior; Padre Walmir (PT), de Picos; Rubens Vieira (PSDB), de Cocal; e ainda Ricardo Sales (PSD), de Murici dos Portelas.

Ontem, diante da descoberta da mutreta e da repercussão do caso na mídia, os prefeitos der Campo de Maior e de Picos se apressaram em divulgar notas repudiando a ação da UBD.

Ludibriado

O prefeito de Campo Maior se declarou indignado com os procedimentos da União Brasileira de Divulgação, dando conta de que a premiação denominada ‘Gestão Nota Dez’ não possui a idoneidade propalada.

Ele garante que não teve conhecimento ou qualquer participação em suposta compra de diploma com recurso público.

O professor Ribinha alega que só compareceu ao evento porque foi informado que a empresa organizadora era uma instituição com mais de 18 anos de experiência nesse tipo de certificação.

Em sua nota, a Prefeitura de Picos repudia a postura do instituto denunciado, “que ludibriou a população com atos extremamente inaceitáveis”.

A prefeitura nega participação na fraude e ressalta que a gestão se sente lesada pelo instituto por ter correspondido e confiado nos critérios utilizados para avaliação.

A nota informa também que Prefeitura informa que acionará a Procuradoria Geral do Município (PGM) para pedir na justiça esclarecimentos e reparos quanto aos danos causados pela UDB à imagem e credibilidade da atual gestão.

Desconfiado

Se fossem mais atentos ou responsáveis, os gestores do Piauí que se envolveram com a UDB teriam feito como o secretário municipal de Educação de Teresina, professor Kleber Montezuma. Ele recebeu correspondência da entidade com o comunicado e o convite para receber o prêmio, mas, desconfiado, não pôs os pés no evento.

No Rio Grande do Sul, o Ministério Público já denunciou políticos gaúchos pelo uso de dinheiro público para pagar a inscrição nos eventos promovidos por uma terceira empresa.

Em geral, os políticos recebem esse tipo de diploma usando dinheiro público para pagar as inscrições e também para as despesas com passagens e hospedagens. E ainda para fazer propaganda da ‘homenagem’.

Não seria descabido, então, o Ministério Público ingressar com ação na Justiça para obrigá-los a devolver aos cofres públicos o dinheiro que gastaram nessas homenagens fajutas.

(Com informações do portaldeolho.com.br e riachaonet.com)

 

 

No lugar certo

O cantor Frank Aguiar, candidato a senador pelo PRB, disse ontem que se encontrou no palanque da oposição.

O candidato afirmou que não teria condição de fazer campanha ao lado do governo que aí está.

Humm!...

Plano B do PT

O ex-prefeito Fernando Haddad, lançado candidato a vice-presidente da República na última hora, é o Plano B do PT para as eleições deste ano.

Os petistas engatam o nome do ex-prefeito de São Paulo para ser o seu candidato ao Planalto, no caso de o ex-presidente Lula não sair da cadeia até a eleição.

Menos laranjas

A obrigatoriedade da destinação de 30% dos recursos do Fundo Eleitoral para as mulheres, a partir das eleições deste ano, restringe o número de candidatas laranjas nas campanhas eleitorais.

No máximo, serão tangerinas.

 

 

* Mal começou a campanha eleitoral e os candidatos já voltaram a falar na duplicação dos acessos a Teresina pelas BRs-316 e 343.

* A promessa de alargamento dessas estradas vem de três governos. E são menos de 10 quilômetros de cada lado.

* O general Mourão, lançado candidato a vice-presidente na chapa do deputado Bolsonaro, tem raízes familiares no Piauí (Pedro II).

* O governo ainda não indicou o novo vice-líder do governo, vaga aberta na Assembleia com a adesão do deputado Evaldo Gomes (PTC) à oposição.

 

 

Aau!

Do cantor Frank Aguiar, candidato a senador pelo PRB, ao alertar para uma campanha que, segundo ele, será lançada para queimar sua imagem através das redes sociais:

- A menor coisa que vão dizer de mim é que canto ruim.

 

Oligarquia nunca é demais!

 

Quando me iniciei no jornalismo político, em 1986, o pecado maior da política piauiense era a oligarquia. Ela era representada, naquele tempo, por dois primos – Hugo Napoleão e Freitas Neto, herdeiros do esquema político do senador Petrônio Portella.

Então, bater pesado na oligarquia tornou-se a principal bandeira da oposição, naquela e em outras campanhas eleitorais do Piauí. Isso rendia voto.

Lembro que nas eleições de 1998, o apelo eleitoral contra a oligarquia ainda era muito forte.

No segundo turno da eleição, o prefeito de Teresina, Firmino Filho, uma liderança emergente, aderiu ao governador Mão Santa (PMDB), que concorria com o senador Hugo Napoleão (PFL). O tucano lançou um slogan que incendiou a campanha:

- Oligarquia nunca mais!

O exemplo que vem de cima

Pois bem! Mão Santa foi reeleito, teve o seu mandato esbulhado na Justiça Eleitoral, em 2001, elegeu-se senador no pleito seguinte e a vida continuou.

O PT, já quase cansado de guerra, chegou enfim ao poder em 2003. Na sua pregação histórica, estavam a defesa da ética na política e o combate sem trégua ao nepotismo.

Com o exemplo vindo de cima, nos três mandatos do governador Wellington Dias nunca se viu tanto parente na política.

Uma nova leva

As convenções encerradas ontem despejaram mais uma leva de parentes na política piauiense. Eles estão tanto no palanque do governo quanto nos palanques da oposição.

O governador Wellington Dias manteve sua esposa Rejane Dias na disputa pela reeleição de deputada federal pelo PT.

O senador Ciro Nogueira, seu principal aliado e que já tem a esposa Iracema Portella como deputada federal, escolheu a própria mãe para a sua suplência.

A vice-governadora Margarete Coelho será candidata a deputada federal e o cunhado Hélio Isaías, como ela também do Progressistas, disputa a reeleição de deputado estadual.

O presidente regional do PSD, deputado federal Julio César, vai novamente para a campanha com o filho Georgiano Neto concorrendo à reeleição de deputado estadual.

O presidente estadual do PDT, Flávio Nogueira, concorrerá outra vez à Câmara Federal e seu filho, Flávio Júnior, disputará reeleição de deputado estadual.

Já o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB), sai candidato à reeleição e lança o filho, Marco Aurélio, à Câmara Federal.

A deputada estadual Flora Izabel concorre à reeleição pelo PT e seu primo Jesus Rodrigues, ex-deputado federal, sai candidato a senador pelo PSol. 

Um dos candidatos a suplente do senador Ciro Nogueira é o ex-prefeito de Picos, Gil Paraibano, que tem uma sobrinha concorrendo à Assembleia com o apoio dele, a ex-deputada Belê Medeiros.

Tem mais!

Na oposição, o ex-governador Wilson Martins (PSB) concorrerá novamente ao Senado com um irmão, Rubem, disputando a reeleição de deputado estadual e um sobrinho, Rodrigo, tentando voltar à Câmara Federal.

Os ventos do Norte sopraram a delegada de polícia Cassandra Moraes Souza, filha do prefeito de Parnaíba, Mão Santa (SDD), como candidata a vice-governadora na chapa encabeçada pelo tucano Luciano Nunes.

Ainda na oposição, o candidato a governador Dr. Pessoa (SDD) foi salvo pelo gongo, na última hora.

O filho dele, João Pessoa, o Pessoinha, era candidato a deputado estadual pelo PMN, na vaga do pai, mas foi rifado no último momento pelos aliados, temendo a força eleitoral do pai.

A candidata a vice-governadora na chapa do Dr. Pessoa, Vanessa Tapety, é sobrinha do ex-deputado Mauro Tapety, que busca um novo mandato pelo MDB.Ela é filiada ao PTC.

Voo alto

O ex-prefeito de Novo Oriente, Marcos Vinícius, estreia na política estadual como candidato a senador também pelo PTC, no palanque do Dr. Pessoa, e a mulher dele concorre à Câmara Federal.

Trata-se da doutora Marina, filha da ex-prefeita do município de Francisco Santos, por cinco mandatos, Carleusa Santos, e do ex-deputado estadual Isaac Batista, ex-prefeito de Santo Antônio de Lisboa, já falecido.

O ex-deputado e suplente de deputado Henrique Rebelo tenta voltar à Assembleia pelo PTC. Ele é irmão do candidato a governador pelo PSC, Valter Alencar.

Ah! O ex-vereador Antônio José Lira, irmão do deputado federal Átila Lira (PSB), candidato à reeleição, discrepou da família e disputa uma cadeira de senador no palanque do candidato a governador pelo PSL, Fábio Sérvio.  

E agora ?

Por fim, o prefeito Firmino Filho, autor da célebre frase de 1998 (“Oligarquia nunca mais!) lançou a mulher, Lucy, à Assembleia Legislativa, onde o sobrinho Firmino Paulo já tem uma cadeira e está na luta para mantê-la.

Então, diante do que se vê nestas eleições, só resta pedir desculpas públicas à velha e comedida oligarquia do Piauí e atualizar a máxima do prefeito de Teresina.

Ela ficaria mais adequada reescrita assim: Oligarquia nunca é demais!

As fraudes no transporte escolar

Foto: Cidadeverde.com

PF faz operação na Seduc

 

A Secretaria de Educação, a principal da estrutura administrativa do Estado, ganhou as manchetes nos últimos dias por dois fatos inusitados: um princípio de incêndio e, logo depois, a sua ocupação pela Polícia Federal.

O princípio de incêndio repercutiu porque, em outubro de 2011, a Secretaria de Saúde, a segunda maior do Estado, foi inteiramente destruída pelo fogo. Até hoje, aquele incêndio não foi esclarecido devidamente, mas ele alimentou todo tipo de teoria sobre suas casas. As duas Secretarias ficam no Centro Administrativo.

Já a ocupação da Seduc pela PF, na quinta-feira, decorreu da Operação Topique, deflagrada para apurar denúncias de desvios de quase R$ 120 milhões de recursos do transporte escolar.

O episódio também vem alimentando todo tipo de teoria, especialmente nos meios políticos. Muitos jogam lenha na fogueira em função da campanha eleitoral, cuja temperatura começa a subir.

A Operação

Na Operação Topique, foram mobilizados 170 policiais federais e de 9 auditores da CGU. A batida policial resultou na prisão de 23 pessoas, sendo dois servidores da Secretaria de Educação e 21 empresários ou funcionários de empresas contratadas para o transporte de alunos.

Foram expedidos 14 mandados de prisão preventiva, 9 mandados de prisão temporária e 40 mandados de busca e apreensão.

Com o auxílio do ministério da Transparência e da Controladoria Geral da União, a PF apura o desvio de recursos do transporte escolar no período de 2013 a 2017.  

A PF e a CGU informaram que mais de 40 prefeituras fizeram pagamentos irregulares com os recursos do programa. A empresa contratada pela Seduc e por dezenas de prefeituras para fazer o transporte de alunos é a Locar.  

Quadrilha

A investigação revelou a existência de um grupo de empresas que atuava na realização de fraudes em licitações, com a participação de agentes públicos, resultando na contratação com valores superiores ao valor real do serviço, causando um prejuízo aos cofres públicos na média de 40% dos valores pagos às empresas contratadas.

Segundo a PF, as empresas investigadas receberam, entre 2013 e 2017, pelo menos R$ 297 milhões pagos por mais de 40 prefeituras municipais e pelo Governo do Estado do Piauí, envolvendo transporte escolar e locação de veículos. O valor do prejuízo no período é superior a R$ 119 milhões.

O serviço é custeado pelos recursos do Programa de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB).

Mudanças no transporte

A Secretaria de Educação divulgou nota informando que estava colaborando com as investigações e que já vinha adotando providências para evitar fraudes no transporte escolar.

A Seduc informou também que uma série de procedimentos já foram efetuados a fim de melhorar a fiscalização e a operacionalização do serviço, visto que, desde 2013, os procedimentos são alvos de investigação e questionamentos. 

Em nota, a Secretaria destacou que todas as alterações foram amplamente discutidas e aprovadas pelos órgãos de controle, atendendo inclusive recomendação do Ministério Público de Contas e orientações da Controladoria Geral do Estado.

As ações foram implementadas por meio de lei aprovada na Assembleia Legislativa e a reestruturação dos convênios com os municípios foi efetuada por decreto.

As medidas executadas pelo governo ocasionaram em uma redução de cerca de 30% das despesas, segundo a nota. 

Sob suspeita

Pelo que a Polícia Federal divulgou, as fraudes não foram causadas pelos contratantes, mas pelas empresas contratadas. Mesmo assim, o episódio traz grande desgaste para o Governo do Estado, que é colocado na condição de suspeito antes mesmo da conclusão da investigação.

No ano passado, o Governo tomou várias providências para dar maior segurança e mais transparência ao processo. Elas entraram em vigor este ano, quando as contratações passaram a ser feitas através de pregão eletrônico do Banco do Brasil.

Entre as alterações introduzidas no processo de contratação das empresas de transporte escolar, está a do critério de pagamento por aluno transportado, ao invés do quilômetro rodado. Com a medida, que entrou em vigor este ano, a economia passou a ser de R$ 4 a R$ 5 milhões por mês.

Apesar dessas providências saneadoras, o governo enfrenta desgaste com o episódio porque foram muitas e reiteradas as denúncias e reclamações de desvios e irregularidades no transporte escolar, inclusive  sobre o recente atraso no pagamento, o que resultou na suspensão do serviço em muitos lugares. Não foi difícil jogar o caso em sua conta.

As voltas que a política dá

O Piauí teve ontem um dia de intensa movimentação na política, destacando-se:

1. A Operação da PF na Seduc

Logo cedo, a Polícia Federal deflagrou na Secretaria de Educação do Estado a Operação Topique, para investigar fraudes no programa de transporte escolar.

Foram presas 23 pessoas, sendo dois servidores da Seduc e 21 empresários ou funcionários de empresas contratadas para o transporte de alunos. A polícia cumpriu também mandados de busca e apreensão.

Com o auxílio da Controladoria Geral da União, a PF apura o desvio de quase R$ 120 milhões no período de 2013 a 2017.

A Secretaria de Educação divulgou nota no final da manhã informando que estava colaborando com as investigações e que já vinha adotando providências para evitar fraudes no transporte escolar.

Pelo visto, esse controle não funcionou.

Foto: Cidadeverde.com

Elmano novamente no páreo para governador

2. Elmano renuncia à renúncia

Uma semana depois de anunciar que estava desistindo de concorrer ao Governo do Estado nas próximas eleições, o senador Elmano Férrer (Podemos) surpreendeu ontem com a renúncia à renúncia.

Ele comunicou que estava novamente no páreo da sucessão estadual. O parlamentar recebeu o apoio do PRP, PV, PMN, Podemos, PPS, Avante e Patriota.

Sua candidatura a governador foi homologada ainda ontem, em convenção realizada na Câmara Municipal de Teresina.

Elmano apontou “forças ocultas” para abandonar a candidatura, há uma semana. Sua volta deve ter sido obra também das tais “forças ocultas”.

3 . Wilson no palanque de Pessoa

Se ainda há rusgas no palanque do governador Wellington Dias, por conta da composição da chapa majoritária e das alianças para deputado, elas se manifestam também no campo da oposição.

Há dois dias, circula nos meios políticos a informação de que o ex-governador Wilson Martins (PSB), pré-candidato a senador na chapa do deputado Luciano Nunes (PSDB), estaria com um pé no palanque do deputado Dr. Pessoa, candidato a governador pelo SDD.

Ontem, o ex-governador negou a adesão, mas manifestou queixas com a sua coligação. “É preciso que se coloque todos os pingos nos is e que se tenha a consciência de que esta fazendo um entendimento para uma chapa majoritária. Não pode ter uma vírgula e um ponto fora do lugar. Tem que estar tudo em seu lugar. Não pode ter uma chapa que é votada por líderes de forma diferente", reclamou.

Tradução: o que o ex-governador está querendo é que o prefeito de Teresina vote nele.

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) é o candidato número 1 do prefeito, embora esteja aliado com o governador Wellington Dias.

O candidato número 2 de Firmino seria o deputado Robert Rios (DEM). Nesse caso, Wilson, mesmo votando no candidato do PSDB a governador, sobra.

Foto: Cidadeverde.com

Wilson Martins com Luciano Nunes: pingos nos is

4. Margarete perde vice pela 2ª vez

A senadora Ana Amélia(PP-RS) será a candidata a vice-presidente na chapa encabeçada pelo ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB). Ela vinha relutando a aceitar o convite, mas ontem foi finalmente convencida a entrar na disputa.

A senadora foi indicada pelo chamado Centrão, composto por PP, DEM, PR, PRB e Solidariedade.

A escolha de Ana Amélia é mais um golpe no presidente nacional de seu partido, senador Ciro Nogueira. Ela não reza na cartilha dele.

Quem também perde com a escolha é a vice-governadora Margarete Coelho, que teve o seu nome cogitado para a vice de Alckmin.

O senador Ciro Nogueira não moveu, no entanto, uma palha para sacramentar o nome dela, para não criar arestas com o governador Wellington Dias, seu aliado número 1 nesta campanha.

MDB e PT novamente juntos e misturados

Como esperado, o MDB digeriu o tombo na escolha da candidatura a vice-governador e está junto e misturado novamente com o governador Wellington Dias, para o que der e vier. Apenas o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho, segue arredio com o governador.

Themístocles avisou ontem, na reabertura da Assembleia, que passará apenas 30 segundos, amanhã, na convenção do MDB que sacramentará a coligação com o PT e o Progressistas e demais partidos aliados para as próximas eleições no Piauí.

O emedebista até arranjou uma desculpa oportuna para justificar a sua passagem “the flash” pela convenção de seu partido. Ele alegou que tem que ir à Parnaíba recepcionar o presidente Michel Temer, que cumpre agenda no litoral piauiense amanhã.

Chapa branca

O deputado João Mádison disse ontem que o MDB está recarregando suas barterias para participar da campanha eleitoral, pedindo voto com entusiasmo para a reeleição do governador e a eleição do deputado Marcelo Castro para o Senado.

A expectativa do parlamentar é que o seu partido eleja pelo menos seis deputados estaduais nas próximas eleições, com a prevalência do tal chapão para as eleições proporcionais.

Ele disse ainda que o MDB espera eleger também o candidato Marco Aurélio para a vaga do deputado Marcelo Castro na Câmara Federal.

O MDB mostra, pois, mais uma vez, que sabe fazer política com pragmatismo. E que ser governista é a especialidade da casa.

 

 

PTC fora do governo

O PTC decidiu desembarcar do governo Wellington Dias. O partido não se curvou à decisão da cúpula governista de entrar no chapão.

Desde as eleições de 2010, o PTC aposta na tal chapinha para as eleições de deputado e a estratégia do partido vem dando certo.

A sigla caminha agora para o palanque do Dr. Pessoa, o candidato do SDD a governador.

Além disso, o PTC lançará ao Senado o ex-prefeito de Novo Oriente do Piauí, Marcos Vinícius.

Dinheiro na mão é vendaval

Dinheiro no cofre do Piauí nunca faltou.  Nem falta.

Nas eleições passadas, o escândalo da campanha eleitoral foi a compra de R$ 5 milhões de um único livro em uma livraria de ponta de rua de Teresina.

Agora a promessa de escândalo sai do contrato de um link para transmissão de áudio e vídeo pela bagatela de R$ 4 milhões 433 mil.

Como em 2014, mais uma fez a Secretaria de Educação está na linha de frente.

Bandeira branca

O Governo do Estado e a rede hospitalar conveniada com o Plamta chegaram a um entendimento.

Com isso, o atendimento aos usuários do plano de saúde do Estado foi retomado ontem, para alívio dos servidores públicos e seus dependentes.

O governo concluiu o pagamento das faturas de abril e programa para a partir do dia 10 os pagamentos de maio.

Ciro isolado

O candidato do PDT a presidente da República, Ciro Gomes, vai acabar falando sozinho.

O PT fechou ontem com o PSB, um dos poucos partidos que restavam para apoiar o ex-ministro.

Pelo acordo, os socialistas ficam neutros e Ciro isolado.

 

 

* O governador Wellington Dias, o senador Ciro Nogueira e o deputado Marcelo Castro cumpriram ontem uma agenda conjunta em Brasília.

* Quem viu o trio, observou que Marcelo Castro não foi visto com cara de tanto contentamento nem quando foi escolhido ministro da Saúde.

* A propósito, o deputado disse que, com as bênçãos do ex-presidente Lula, a chapa governista haverá de ser eleita no Piauí.

* O senador Elmano Férrer tirou licença do mandato e dispensou o carro oficial de seu gabinete. Isso n~eo é comum em Brasília.

 

 

Dose cavalar

Do deputado e criador João Mádison, ao ser indagado se as feridas do MDB já estão curadas, depois da queda na disputa pela candidatura de vice-governador:

- Ainda não, mas estamos usando muita criolina.

 

No Ceará, não tem disso, não!

O PT não vai apoiar a candidatura à reeleição do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). A posição da sigla foi manifestada pela presidente nacional do partido, senadora Gleisi Hoffmann, em uma rede social: “Nem o PT decidiu apoiá-lo nem o apoiará”, despachou a senadora.

A decisão do PT diminuiu a possibilidade de aliança entre o MDB de Eunício e a campanha de reeleição do atual governador do Ceará, o petista Camilo Santana.

Essa parceria era dada como natural e certa no Ceará, em função da proximidade do senador emedebista com o ex-presidente Lula.

Petista é rifado

O PT decidiu, porém, não indicar nomes para a disputa ao Senado em 2018. A decisão foi tomada por 200 votos a 70 no Encontro Estadual de Tática Eleitoral do partido, realizado no sábado passado, em Fortaleza.

Com isso, o Partido dos Trabalhadores rifa a candidatura do à reeleição do senador José Pimentel, um dos políticos mais combativos da sigla.

A alegação é de que o partido vai se concentrar nas candidaturas de Lula e Camilo Santana, que vai tentar se reeleger governador, e na ampliação das bancadas do Senado e da Câmara, além do bloco partidário na Assembleia Legislativa do Ceará.

O governador do Ceará fez uma aliança para votar no ex-governador Cid Gomes (PDT) para o Senado. O irmão do presidenciável Ciro Gomes lidera as pesquisas de intenção de voto.

Outro acordo feito com a inferência de Cid Gomes e de seu irmão Ciro vai tentar salvar o mandato do presidente do Senado. Por  esse arrajnjo político de cúpula, o PT do Ceará dará à reeleição do senador Eunício Oliveira um apoio por tabela, envergonhado.

PT não perdoa

Os petistas cearenses não perdoam o presidente do Senado por ter sido um dos articuladores do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

No Piauí, o presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira, vai buscar a reeleição no palanque do governador Wellington Dias, esquecido, talvez, de que os petistas piauienses não esqueceram que ele também figura na lista principal dos chamados golpistas.

 

 

Investigação

Da senadora Regina Sousa (PT), sobre a reabertura do Caso Vladimir Hergoz, assassinado nos porões da ditadura:

- Justiça, ainda que tarde! A contra gosto, mas vão reabrir o caso Herzog, por pressão internacional. Mas nós queremos reabrir os mais de 400 casos de desaparecidos da ditadura, para que a gente nunca esqueça, para que não mais aconteça.

Slogan

O candidato a presidente pelo PSL, Jair Bolsonaro, lançou mão de um slogan que durante muito tempo foi usado pelo prefeito Firmino Filho, nas suas campanhas em Teresina. Com a palavra Bolsonaro:

- Enquanto insistem em falar de "ditadura", o povo está sofrendo com mais de 14 milhões de desempregados, com mais de 60 mil homicídios por ano, com mais de 50 mil mulheres estupradas. É disso que o povo quer saber. Eu vencendo, é daqui pra frente!

Oh, Minas Gerais!

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) são os preferidos dos eleitores mineiros para ocupar as duas vagas de Minas Gerais no Senado que estarão em disputa nas eleições de outubro.

Pesquisa da CNT/MDA divulgada ontem mostra que a petista tem 21,5% das intenções de voto, seguida pelo senador tucano, que aparece com 15% da preferência. 

 

 

* O PSL, o partido do deputado federal Jair Bolsonaro, tem oito candidatos a governador, um deles no Piauí.

* O coronel Carlos Pinho será o candidato a vice-governador na chapa encabeçada pelo publicitário Fábio Sérvio (PSL). O militar é filiado ao Pros.

* No Piauí, os partidos alinhados ao governo fazem as suas convenções na sexta, dia 3. Os de oposição no domingo, dia 5.

 * Em Teresina, a Fundação Municipal de Saúde dá assistência a 496 moradores de rua.

 

 

Feira

Do deputado Robert Rios, pré-candidato a senador pelo DEM, ao criticar a corrida de parlamentares da oposição para o governo Wellington Dias:

- Uns foram por um bombom; outros por uma talhada de melancia. Pra mim ofereceram uma Ceasa, mas não fui. O povo me botou foi na oposição.

 

Margarete ainda no páreo para vice

Os partidos do chamado “Centrão”, grupo que formalizou aliança em torno da candidatura do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), já estabelece pré-requisitos para indicar um vice para a chapa do tucano. Desde a recusa oficial de Josué Gomes – filho de José Alencar, vice dos dois mandatos presidenciais de Lula –, os articuladores do grupo composto por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade procuram um companheiro de chapa para o ex-governador.

Nos últimos dias, os nomes dos deputados do DEM Mendonça Filho (PE) e Tereza Cristina (MS), o da vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho (PP), e do ex-ministro Aldo Rebelo (Solidariedade) foram cogitados para vice de Alckmin. Dos quatro, três cumpririam os principais pré-requisitos do “Centrão” para a chapa.

Segundo o Estadão, além de rejeitar a ideia de ter ex-ministros de Temer e de Lula na chapa (o que excluiria Mendonça Filho da lista), o Centrão não quer indicados nascidos em São Paulo ou respondendo a processos.

Assim, o nome mais forte até o fim da manhã de ontem era o de Margarete Coelho. O de Tereza Cristina deixou de ser citado durante o fim de semana. O ex-deputado Aldo Rebelo, que foi ministro de Lula, negou qualquer negociação com o tucano.

Dificuldades com DEM

As demais siglas do grupo não querem ver o DEM com a vaga de vice do ex-governador paulista por entenderem que o partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), já tem espaço demais.

Por causa de alianças estaduais, o DEM também não garantirá palanques ao tucano pelo país, disse Rodrigo Maia, após a convenção do partido no Rio de Janeiro.

Com candidatos próprios em Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás, Sergipe e Santa Catarina, o Democratas deve concorrer diretamente contra o PSDB.

O presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira, interrompeu sua agenda política no Piauí para participar diretamente das negociações acerca da escolha do candidato a vice na chapa de Alckmin. (Com informações do Estadão e do Congresso em foco)

 

 

Chapinha

O Partido Renovador Trabalhista Brasileiro - PRTB do Piauí realiza amanhã, no Atlantic City, a sua Convenção Estadual.

O presidente regional do partido, deputado Fernando Monteiro, comunicará que a sigla irá fazer uma chapinha para as eleições proporcionais.

O PTC também caminha para a mesma decisão.

Nesse caso, os dois partidos divergem da orientação do Palácio de Karnak.

Foto: Cidadeverde.com

Matias Matos: morte aos 73 anos

Morre Matias Matos

Morreu ontem, aos 73 anos, o agrônomo Matias Matos, servidor aposentado da Embrapa.

Ele ocupou várias secretarias municipais na Prefeitura de Teresina, como Agricultura, Administração e Governo, nas gestões dos prefeitos Wall Ferraz, Francisco Gerardo, Firmino Filho e Silvio Mendes.

Em sua primeira gestão, no segundo mandato do prefeito Wall Ferraz, ele implantou as hortas comunitárias da capital.

Agenda 2030

Depois da aposentadoria, Matias Matos dedicava-se à pesquisa. Ele publicou dois livros.

Um deles foi sobre a gastronomia piauiense, intitulado “Pelas quebradas, várzeas e chapadas”, lançado em 2004, e “Avenida Frei Serafim”, editado em 2011.

Atualmente, ele coordenava o Programa Agenda 2030, da Prefeitura de Teresina.

Previdência

Começa amanhã, em Teresina, o III Congresso de Direito Previdenciário do Piauí. O evento discutirá a Reforma da Previdência e suas implicações.

O tema será abordado pelos mais renomados profissionais da área, no Auditório da OAB-PI,  até sexta-feira.

 

 

* Deputados, prefeitos e outras lideranças políticas participaram ontem da missa em ação de graças pelo aniversário do deputado Heráclito Fortes (DEM).

* A celebração foi realizada no Santuário de Nossa Senhora da Paz pelo 18º ano consecutivo.

* O presidente Michel Temer cumpre agenda no Piauí na próxima sexta-feira, ao lado do prefeito de Parnaíba, Mão Santa.

* O deputado federal Marcelo Castro desmentiu as especulações de que trocará o MDB pelo PT, se for eleito senador. E precisa mudar?

 

 

Aviso aos navegantes

Da senadora Regina Sousa, escolhida pelo PT como candidata a vice-governadora nas próximas eleições, sobre o tititi de aliados contra a chapa petista:

- Ninguém é obrigado a ficar numa coligação.

 

Fundo de Participação do Estado cai 40%

As notícias de falta de dinheiro no caixa do Governo do Piauí partem de todos os lugares. Já são muitas as informações sobre atraso de pagamentos em vários setores.

Os mais divulgados são os dos hospitais conveniados pelo Plamta e do transporte escolar.

Mas os atrasos estão em muitas outras áreas, atingindo principalmente os terceirizados e os fornecedores. As obras públicas estão paralisadas em vários setores por falta de pagamento.

Isso apesar de o Estado ter arrecadado R$ 228 milhões a mais no primeiro quadrimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 201, conforme relatório apresentado na Assembleia Legislativa, na primeira quinzena deste mês, pela equipe econômica do governo.

O relatório informou ainda que as metas fiscais previstas na Lei Orçamentária de 2018 foram cumpridas no período, alcançando um superávit primário de R$ 982 milhões.

Em queda

A situação é, então, muito preocupante, sob todos os aspectos, e tende a ficar ainda mais grave.

O próprio Governo do Estado calcula que vai fechar este mês com uma queda de 40% no Fundo de Participação. Com isso, o Estado vai deixar de receber R$110 milhões.

No mês passado, o FPE do Piauí foi de R$ 285 milhões. A estimativa da Secretaria de Fazenda é que esse valor caia para R$ 175 milhões.

Desafio

Historicamente, julho, agosto e setembro têm valores menores nas transferências do Fundo de Participação, em relação aos outros meses. Para este mês, porém, os números são assustadores.

Isso porque, enquanto o FPE cai 40%, as despesas obrigatórias seguem no mesmo patamar.  No Piauí, metade das receitas do Estado ainda vem do FPE.

Soma-se ainda a esta aritmética negativa a retenção de repasses que ao longo dos últimos quatro anos, nas contas do Governo do Piauí, totalizam mais de R$ 600 milhões, além da queda nos programas sociais que irrigavam a economia, como os investimentos no Programa Minha Casa, Minha Vida, dentre outros.

Assim, o Governo do Estado tem pela frente mais um grande desafio – justamente esse de ver o FPE despencar, estar devendo a Deus e ao mundo e manter o Estado com os seus serviços essenciais em funcionamento.

 

 

Veín Dançador

O pré-candidato a governador pelo SDD, deputado Dr. Pessoa, tomou do senador Elmano Férrer (Podemos) o troféu de Veín Dançador.

No final de semana, os grupos de WhatsApp receberam vídeos com o deputado dançando forró e rodopiando mais que uma carrapeta.

Dilma vem aí!

O deputado federal Heráclito Fortes  (DEM) foi informado por um petista de estrela reluzente que a ex-presidente Dilma Rousseff virá ao Piauí para fazer campanha em favor da eleição do deputado federal Marcelo Castro (MDB) para o Senado.

Marcelo foi ministro da Saúde e ficou com Dilma até o fim, votando contra o seu impeachment.

Golpe em Ciro

Se a vinda da ex-presidente se confirmar, na verdade ela estará querendo acertar as contas com o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas.

O partido do senador votou em peso pela queda de Dilma.

Foto: Divulgação

Convenção do PSD - O ex-senador Hugo Napoleão participou da Convenção Nacional do PSD, realizada em São Paulo, no final de semana, e que indicou o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) como candidato a presidente da República. Depois, participou de almoço com o presidenciável, juntamente com outras lideranças do PSD, como o ministro Gilberto Kassab (Comunicações), Cláudio Lembo, Afif Domingos, Kassab, Guilherme Campos e Jorge Bornhausen.

 

 

* O aniversário do deputado federal Heráclito Fortes (DEM), que transcorre na quarta-feira, será comemorado antecipadamente hoje.

* Como acontece todos os anos, haverá celebração de Missa em Ação de Graças no Santuário de Nossa Senhora da Paz, na Vila da Paz, às 8 horas.

* O governo do presidente Temer acabou há muito tempo, mas de fato chega ao fim agora.

* Os principais partidos da base – agrupados no Centrão – refugaram o candidato do MDB, Henrique Meireles, e se abraçaram com o tucano Alckmin.

 

 

Lá e cá

Do deputado federal Heráclito Fortes (DEM), sobre a posição dele nesta campanha eleitoral, quando busca sua reeleição e a eleição do deputado estadual Luciano Nunes (PSDB) para o governo e a do ex-governador Geraldo Alckmin para a Presidência da República:

- Estou com um olho na missa e o outro no padre.

 

Posts anteriores