Cidadeverde.com

A fila anda depois da prisão de Lula

A fila anda, depois da prisão do ex-presidente Lula, condenado a 12 anos de cadeia por corrupção. Pivô do mensalão tucano, o ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo - já condenado em segunda instância pela Justiça mineira - pode ser preso ainda este mês.

O julgamento dos embargos infringentes está marcado para o próximo dia 24. Este é o último recurso capaz de alterar a sentença da 9ª Câmara Criminal de Belo Horizonte. Caso seja negado, o ex-senador Eduardo Azeredo poderá ser preso, assim como ocorreu com o ex-presidente Lula.

Prescrição

A demora no julgamento do caso fez com que o ex-governador esteja prestes a ser beneficiado pela prescrição. Condenado a 20 anos e dez meses de prisão, por peculato e lavagem de dinheiro, Azeredo completa 70 anos em 9 de setembro. Segundo a legislação, o tempo de prescrição de crimes cai pela metade quando o réu atinge essa idade. 

O Caso do Mensalão do PSDB já se arrasta desde dezembro de 2005, quando o Supremo Tribunal Federal autorizou a abertura de inquérito para investigar o tucano.

O Mensalão do PSDB

Segundo denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República, em 2007, Azeredo teria desviado em 1998 cerca de R$ 3,5 milhões de estatais mineiras para pagar despesas de sua campanha à reeleição. Ele acabou derrotado pelo ex-presidente Itamar Franco (PMDB-MG).

O esquema teria patrocinado eventos esportivos para desviar os recursos. A empresa SMP&B Comunicações, de propriedade do publicitário Marcos Valério, também envolvido, condenado e preso no mensalão petista, recebeu os recursos desviados.

Sem choro nem ranger de dentes

O STF só acolheu a denúncia em 2009, transformando o tucano em réu. O acórdão da segunda instância determina que Azeredo seja preso e comece o cumprimento provisório da pena assim que forem esgotados os recursos no TJ-MG.

A decisão seguiu o entendimento em vigor no STF, estabelecido em 2016, que permitiu prisões após sentenças em segunda instância.

Se a prisão do tucano se efetivar, seguramente não haverá nem choro nem ranger de dentes, nem vigília e muito menos manifestações para tentar impedir que ele pague pelos seus crimes.

 

Foto: Divulgação

Governadores barrados na visita a Lula, em Curitiba

Barrados no baile

Os governadores do Nordeste, do Acre e do Amapá estiveram ontem em Curitiba para visitar o ex-presidente Lula na prisão, porém foram impedidos de entrar na sede da PF por determinação judicial.

Revoltados, eles deixaram uma carta de solidariedade para ser entregue ao ex-presidente.

Aos navegantes

O governador Wellington Dias avisa pelas redes sociais a quem interessar possa: “Estarei amanhã (no caso, hoje, quarta-feira, 11) em José de Freitas, para acompanhar de perto os trabalhos que estão sendo realizados pela força-tarefa do Governo do Estado na Barragem do Bezerro.”

Já era tempo!

Crime

Estima-se que foram furtadas pelo menos 100 carradas de pedra da parede da Barragem do Bezerro, em José de Freitas.

Ora, não se faz um furto desses da noite para o dia. Como a gestão municipal não tomou conhecimento do crime?

Foto: O Antagonista

Elmano Férrer com senadores do Podemos

Efeito Álvaro Dias

Com o título acima, deu no site O Antagonista, de Diogo Mainard: “Em menos de um ano, o Podemos conseguiu formar uma bancada de cinco senadores.

Elmano Férrer (PI) e Rose de Freitas (ES) são os novos filiados.”

Aécio na vez

O Supremo Tribunal Federal marcou para a próxima terça-feira, dia 17, o julgamento do recebimento de uma denúncia da Procuradoria Geral da República contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

O tucano foi denunciado em junho do ano passado sob acusação de corrupção passiva e obstrução à Justiça.

Se os ministros da Primeira Turma receberem a denúncia, Aécio vira réu no Supremo.

Foto: Divulgação/TJ-TO

Homenagem - Os desembargadores Edvaldo Moura e Fernando Lopes foram homenageados em Palmas com o Diploma e a Medalha Desembargador  Antônio Rulli Júnior. A homenagem foi prestada pelo Colégio de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura, em reconhecimento do trabalho de ambos em defesa do ensino e aperfeiçoamento continuado dos magistrados. A homenagem encerrou, na sexta-feira passada, a programação do XLVII Encontro do Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura (Copedem).

 

 

* Uma ala do PSDB de Teresina quer cassar o mandato do vereador Joninha, por infidelidade partidária.

* Ele deixou o ninho tucano para ser candidato a deputado federal pelo Avante, ex-PTdoB.

*Quem, afinal, banca a vida de uns que aparecem por aí de quatro em quatro anos disputando a Presidência da República?

* Refiro-me àqueles e àquelas sobre quem não se tem notícia alguma de que tenham dado um prego em uma barra de sabão nos últimos 4 ou 8 anos. Ou mais.

 

Temperatura máxima

Do senador Ciro Nogueira, após a decretação da prisão do ex-presidente Lula e no calor das manifestações contra a ida dele para a cadeia:

- Estão querendo apagar fogo com gasolina.

 

Dilma mete Wellington Dias em saia justa

A declaração da ex-presidente Dilma Rousseff, negando-se a dividir um palanque com o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, põe o governador Wellington Dias e o PT do Piauí em uma saia justa.

Segundo a jornalista Cristiana Lobo, essa foi uma das alegações da ex-presidente para descartar a opção de ser candidata a senadora pelo Piauí. Ela vai concorrer por Minas Gerais, depois de transferir seu domicílio do Rio Grande do Sul.

Dilma ressalvou que nada tem contra o Piauí, mas jamais subiria ao mesmo palanque com o senador. Ela ainda guarda mágoas de Ciro Nogueira ao avaliar que o PP – hoje Progressistas – foi o último partido de sua base a abandoná-la para cavar o seu impeachment.

A mágoa de Dilma era também a mesma de boa parte do PT até pouco tempo. O senador Ciro Nogueira e sua mulher, a deputada federal Iracema Portella, passaram a ser os principais alvos dos petistas no Piauí. Acusados de golpistas, eles eram vaiados por onde passavam. O senador recebeu vaia até na ausência, apenas por ter seu nome citado em solenidade.

A volta por cima

Depois, já homem forte do governo Temer, Ciro Nogueira andou declarando que seu candidato ao Planalto seria o ex-presidente Lula. Claro que se tratava de uma estratégia sua para acalmar os petistas. De certo modo, ela funcionou. As vaias cessaram.

A chave 14 que o senador aplicou no PT do Piauí funcionou tão bem que hoje ele é o candidato número 1 do governador Wellington Dias ao Senado. O governador ainda está em dúvida quanto ao número 2, embora a senadora Regina Sousa esteja na vez.

O jogo de cintura demonstrado tanto pelo senador quanto pelo governador são próprios da cena política. A propósito, os dois são craques nisso.

No final de semana, se, de um lado, a ex-presidente Dilma criou algum desconforto para o governador, com sua declaração contra o senador Ciro Nogueira, de outro, o ex-presidente Lula – que é quem conta, afinal, no PT – encheu a bola de Wellington, chamando-o de o índio mais sabido do Brasil.

Dilma não se mostrou nem se mostra afeita a esse tipo de jogada, razão principal de sua queda da presidência.

 

Foto: Cidadeverde.com

Barragem do Bezerro, em José de Freitas, ontem

Barragem do Bezerro

O Piauí está às voltas com mais um perigo de acidente ambiental. No final de semana, foi emitido o sinal de alerta máximo sobre a Barragem do Bezerro, em José de Freitas.

As últimas chuvas encheram o reservatório, que, por falta de manutenção, apresentou falhas em seu maciço, com vazamentos na parede e risco de arrombamento.

Força-tarefa

Uma força-tarefa foi mobilizada para evacuar a área e realizar serviços emergenciais para evitar o acidente.

Com a ajuda do Exército, a Defesa Civil retirou mais de 40 famílias da área que fica abaixo do açude.

O Corpo de Bombeiros e o Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi), além da Prefeitura de José de Freitas, participam da ação.

Algodões

Toda essa mobilização faz sentido. Há nove anos, o Piauí viveu a maior tragédia ambiental de sua história, com o rompimento da Barragem de Algodões, no município de Cocal da Estação.

Então, todo cuidado é pouco. Daí a situação é de alerta máximo na Barragem do Bezerro.

Cavalo de pau

A saída do senador Elmano Férrer do MDB é o que se pode chamar de ‘cavalo de pau’ na política. Ele filiou-se, ao Podemos sem avisar, no sábado, último dia de vigência da ‘janela partidária’.

O senador se coloca agora como uma opção para disputar o Governo do Estado pela oposição.

A lembrar que ele não tem nada a perder, pois ainda tem quatro anos de mandato.

Balanço

Na Assembeia Legislativa, o PSD perdeu dois deputados – Dr. Pessoa, agora no SD, e Edson Ferreira, que foi para o PSDB.

No PTB, o deputado Hélio Isaias foi para o Progressistas e a deputada estadual Liziê Coelho filiou-se ao MDB.

O PDT teve uma baixa de dois parlamentares – Robert Rios, que está no DEM, e Ziza Carvalho, agora no PT.

O PSDB perdeu para o Progressistas o deputado Firmino Paulo, que era presidente regional da sigla.

O PSB perdeu o deputado Wilson Brandão para o Progresistas e recebeu a deputada Juliana Moraes Sousa, que não disputa a reeleição.

Mais um

Agora é que o ex-presidente Lula não terá sossego. A Justiça Federal em Brasília marcou para o dia 21 de junho o interrogatório dele no processo da Operação Zelotes, que apura irregularidades na compra de caças suecos durante o governo Dilma Rousseff.

Lula é réu no processo, junto com um dos filhos, por supostos tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O ex-presidente sempre negou as acusações.

Ficha não caiu

Do Blog do Noblat: “Ainda não caiu a ficha de Lula. Levará mais algum tempo para cair, e ele dar-se conta de que permanecerá preso. Por ora, está indignado. A fase do choro e do inconformismo será a seguinte. Só depois, a da resignação, sem perder a esperança na liberdade.”

 

 

* Faleceu ontem, em Teresina, o auditor fiscal aposentado da Receita Federal, João Soares da Costa. Ele foi vítima de um infarto e estava internado há quase quarenta dias com problemas cardíacos.

* O PT avalia a transferência de sua sede nacional para Curitiba enquanto durar a prisão do ex-presidente Lula.

* Não seria descabido sugerir também a transferência do Governo do Piauí para lá.

* O governador Wellington Dias estará hoje na capital do Paraná para visitar Lula e não vai sair de lá no período do cárcere.  

 

 

Às pressas

Do presidente regional do MDB, deputado federal Marcelo Castro, sobre a surpreendente saída do senador Elmano Férrer da sigla, no sábado:

- Imagino que a causa foi de emergência, pois não deu tempo nem de ele comunicar ao partido a sua desfiliação.

 

Carta fora do baralho

A prisão do ex-presidente Lula finalmente se efetivou, no final de semana, mas ela não é página virada. Essa novela ainda não acabou. O PT já iniciou uma estratégia para politizar a prisão do ex-presidente.

Com isso, o partido vai tentar manter o discurso de que Lula está sendo vítima da Justiça brasileira. Será também uma tentativa de minimizar os impactos da prisão, o mais duro golpe já sofrido pelo PT, além de tentar manter o eleitorado cativo do partido.

Quanto à candidatura de Lula à Presidência da República, o PT avalia que ela está inviabilizada. Portanto, já jogou a toalha. Mesmo assim, o plano da sigla é manter essa candidatura em qualquer circunstância, até que ela venha a ser barrada no TSE, com base na Lei da Ficha Limpa.

O PT terá, desse modo, um tempo para recuperar o fôlego e começar a traçar o Plano B para a sucessão presidencial. O nome mais forte hoje ainda é o do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

Curiosamente, mesmo propagando que a ex-presidente Dilma foi vítima de um golpe, o Partido dos Trabalhadores não cogita lançar o nome dela ao Planalto. Assim, a ex-presidente está decidida a concorrer ao Senado por Minas Gerais.

Cada partido tem a sua estratégia. E, no PT, Dilma é carta fora do baralho.

 

 

Má companhia

Repercutiu muito nos meios políticos, no final de semana, a declaração publicada pela imprensa dando conta de que a ex-presidente Dilma descartou concorrer ao Senado pelo Piauí por se recusar a fazer uma dobradinha com o senador Ciro Nogueira (PP), que votou a favor do impeachment dela. A ex-presidente foi curta e grossa:

- Jamais subiria em um palanque ao lado do Ciro Nogueira.

PT quer Ciro

Por um lado, o senador se sentiu aliviado, mas, por outro, certamente ele ficou encabulado, pois tem é se esforçado para se aproximar dos petistas.

Já chegou até a declarar em mais de uma ocasião que votaria em Lula para presidente.

Ciro está aliado com o PT do governador Wellington Dias.

Oposição

O pré-candidato ao Governo do Estado pelo PSDB, deputado Luciano Nunes, participou no sábado de seminário de formação política realizado em Paulistana. O evento reuniu representantes de 15 municípios do território de desenvolvimento do Vale do Rio Itaim.

O tucano disse no evento que o Piauí está esquecido e precisa de gestão participativa.

Novo ministro

O Palácio do Planalto confirmou ontem que o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, assumirá o Ministério de Minas e Energia.

O antigo titular de Minas e Energia era o deputado Fernando Coelho Filho, que deixou a pasta para disputar as eleições.

 

 

* No final de semana, o prefeito Firmino Filho declarou que vota no deputado Luciano Nunes, do PSDB, para  governador.

* Não adiantou, contudo, se fará campanha para o tucano, mas a sua declaração foi recebida com entusiasmo pela oposição.

*O prefeito estava bicudo com os tucanos e aliados, porém, não quer embates públicos com elas, alegando que roupa suja se lava é em casa.

* De José de Freitas vem a denúncia de que roubaram as pedras de contenção da Barragem do Bezerro. Com isso, a represa está para ruir.

 

O encantador de cachorro

Durante café com o ex-senador João Vicente Claudino, o deputado Dr. Pessoa (SD) contou que estava absolutamente admirado com a capacidade de envolvimento do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (PMDB). E contou o motivo:

- Não tem cerca pra ele. Ele chega aonde quer. Lá em casa, por exemplo, eu tenho três cachorros. E tenho uma cachorra que é arisca, estranha todo mundo, só se dá comigo. Pois não é que bastou o Themístocles ir lá em casa uma vez e, quando ele voltou, a cachorrinha já foi recebê-lo abanando o rabo?

 

Por que não fizeram antes?

Fotos: Divulgação/CCom

Lançamento do Plano Estadual de Segurança

O Governo do Piauí lançou, na sexta-feira passada, o Plano Estadual de Segurança Pública, que deverá nortear as políticas públicas voltadas para o setor em todo o estado. O lançamento marcou a despedida do deputado federal Fábio Abreu do cargo de secretário de Segurança.

Muita badalação em torno desse plano. Segundo Fábio Abreu, o Plano Estadual de Segurança Pública já é uma realidade e está referenciado nas demandas da população.

De acordo ainda com ele, os eixos do programa são baseados em audiências feitas pelos órgãos de segurança do estado que reuniram quase duas mil pessoas em diferentes pontos do Piauí.

Dentre as linhas de ação, estão políticas na área da atenção à saúde do profissional da segurança, aposentadoria, política habitacional, estruturação de carreira, formação continuada e equidade de gênero, de raça e etnia.

Ainda segundo a Secretaria de Segurança, o plano também abarca políticas para a área de monitoramento e inteligência estratégica, integração de unidades de segurança e modernização das estruturas do setor.

Os temas se subdividem em oito programas que, por sua vez, abrigam 20 projetos para a área.

Bem, não resta dúvida que um plano dessa natureza é relevante e sua criação deve ser apoiada e aplaudida.Mas, como indagava aquela propaganda política, por que não fizeram antes?

Por que só agora, praticamente ao apagar das luzes da gestão, estão lançando esse plano de segurança?

Quer dizer que, em termos de segurança, se passou todo o governo atirando no escuro?

Então, só posso concluir que foi por isso que os bandidos agiram tanto às claras, ou seja, à luz do dia.

 

Lançamento marcou despedida do deputado Fábio Abreu

 

O troca-troca partidário

Os partidos promoveram, nos últimos dias, verdadeiras festas para receber seus novos filiados. Os atos de filiação se intensificaram com a aproximação do fim do prazo fixado pela “janela partidária”. Ele acaba amanhã para quem pretende concorrer às eleições deste ano.

Sob os mais diferentes pretextos, políticos deixam suas legendas para trás e, sem-cerimônia, ingressam em outras, nas quais são recebidos como heróis. Muitos até estão retornando aos seus antigos partidos. Outros mudaram de legenda há pouco, muito pouco tempo, e já estão mudando de novo...

Nesse troca-troca, os partidos imaginam que estão se fortalecendo politica e eleitoralmente. Poucos atentam para o fato de que os novos filiados estão apenas se aproveitando das siglas nas quais buscam abrigo para levar adiante as suas pretensões eleitorais.

Incoerência e oportunismo

Mais adiante, se eleitos, não terão a menor dificuldade em chutá-las, pois a rigor não têm por elas a menor consideração, como não tiveram pelas legendas anteriores que lhes deram guarida.

Todos os líderes proclamam que uma democracia se faz com partidos fortes. Mas como fazer partidos fortes diante de um entra e sai como esse, que muitas vezes transformam os partidos apenas em siglas de aluguel?

Há quem veja nesse troca-troca partidário um espetáculo da democracia. Pode ser, mas ele está mais para um deprimente espetáculo de incoerência e oportunismo.

 

Lula na prisão

O juiz Sérgio Moro, coordenador da Lava Jato, não deixou a poeira sentar e ontem mesmo decretou a prisão do ex-presidente Lula.

Pelo decreto, o ex-presidente tem até às 17 horas de hoje para se apresentar voluntariamente à Polícia Federal, em Curitiba.

O ex-presidente foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Cela especial

O decreto de Sérgio Moro ressalta que a prisão deverá ser feita sem o uso de algemas, e que Lula deverá ficar numa cela especial em função da “dignidade do cargo que ocupou”.

Se o ex-presidente não se apresentar, será preso pela Polícia Federal.

Foto: Divulgação

Zé Filho: de volta ao PSDB

Chegou o Zé!

“Ninguém se perde no caminho de volta”. Foi com essa frase que o ex-governador Zé Filho assinou ontem a ficha de filiação ao PSDB. O ato foi abonado pelo deputado estadual Luciano Nunes, presidente do diretório estadual da sigla e pré-candidato ao Governo do Estado pelo partido. Zé Filho já foi filiado ao PSDB, durante o período em que foi prefeito de Parnaíba, entre 1997 e 2001. Ele será candidato a deputado nas próximas eleições.

Fórum

A Editora Fórum realizará, nos dias 12 e 13, em parceria com o Tribunal de Contas do Estado, o Fórum Ambiental, que objetiva colocar em discussão temas como o Estatuto das Cidades, Desertificação, Saneamento e Licitações Sustentáveis e os aspectos jurídicos e suas implicações.

O evento será realizado no auditório do TCE, e terá entre os palestrantes o presidente e editor da Editora Fórum, Luis Cláudio Rodrigues, a vice-governadora Margarete Coêlho e a conselheira Lílian Martins.

Mandatos recuperados

O ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral, suspendeu ontem à tarde decisão do Tribunal Regional Eleitoral que cassou os mandatos de seis vereadores de Valença do Piauí.

O ministro acolheu ação cautelar ajuizada pelo advogado Norberto Campelo em defesa dos vereadores.

Fantasmas

O TRE havia acolhido denúncia de que as coligações dos vereadores tinham incluído candidaturas fantasmas de mulheres, incorrendo em fraude eleitoral.

Os seis vereadores cassados já foram afastados e seus suplentes devidamente empossados.

Agora, com a decisão, devem ser afastados e voltam os seis titulares.

Foto: Divulgação

Gol de placa - O deputado Fábio Novo deixa a Secretaria de Cultura com um gol de placa. Além de tocar uma gestão realizadora, a melhor deste século na área cultural, ele sai do cargo nas graças dos servidores do órgão. Fábio conseguiu com o governador Wellington Dias o encaminhamento do projeto de lei que regulamenta o Plano de Cargos, Carreira e Salários dos Servidores da Secult, uma luta de mais de 30 anos.

 

 

* A pré-candidata à presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, suspendeu sua visita ao Piauí, marcada para o dia 8.

* O presidente regional do partido, Osmar Junior, informou ontem, em nota, que a visita foi cancelada porque a pré-candidata está participando de agendas em solidariedade ao ex-presidente Lula.

* O ex-senador João Vicente Claudino faz hoje o caminho de volta ao PTB. Não será certo, no entanto, se concorrerá às próximas eleições.

* O presidente Michel Temer jantou na quarta-feira na casa do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, com o anfitrião e a bancada do partido.

 

Viver e conviver

Do humorista Fraga:

- A verdade é a seguinte: nossa sociedade não tem condições de viver em sociedade.

 

STF abre portas da cadeia para Lula

Foto: Divulgação/STF

Supremo libera prisão de Lula voto voto de minerva

 

O Supremo Tribunal Federal demonstrou ontem, mais uma vez, ser o mais político dos Poderes da República. No julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula, a Corte se dividiu ao meio e a prisão do petista foi confirmada pelo voto de minerva da presidente do STF, ministra Carmen Lúcia.

A decisão do STF de rejeitar o habeas corpus de Lula, tomada na madrugada de hoje, com placar de 6 a 5 contra o ex-presidente, extinguiu também a liminar que impedia sua prisão.

Votaram contra a concessão do habeas corpus os ministros Edson Fachin (relator), Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Carmen Lúcia.

A favor da liberdade de Lula votaram os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio e Celso de Melo.

Contorcionismos

Para chegar a esse veredito, o Supremo deu muitas voltas, durante as dez horas da sessão. O decano da Corte, ministro Celso de Melo,  fez um périplo pelo mundo ao expor seu voto a favor do ex-presidente.

Na defesa da presunção de inocência, o ministro citou Revolução Francesa, Pentateuco (parte do Velho Testamento), Voltaire, Declaração de Direitos do Homem, Pacto de São José, Declaração Islâmica de DH etc. E juntou ainda a Constituição Brasileira, que prevê presunção até trânsito em julgado.

O voto de maior contorcionismo foi, porém, o do ministro Gilmar Mendes. Ele deu ontem um voto contrário ao que proferiu em 2016 sobre a prisão em segunda instância e justificou que estava mudando de posição por conta da superlotação de pobres nos presídios. Fez isso em consideração aos pobres.

Bandidos soltos

O ministro Barroso foi o voto mais veemente da sessão. Ele afirmou que “não prendemos os verdadeiros bandidos do Brasil”. E disse que menos de 1% dos corruptos vão para trás das grades. 

Também argumentou que de 2016 para cá, quando o Supremo firmou seu entendimento sobre a prisão em segunda instância, não aconteceu nada de relevante no país para alterar essa posição. “Por que razão mudarmos isso agora? Mudar para quê? Para quem?”.

Segundo o ministro, o devido processo legal não é o que não acaba nunca, com os recursos protelatórios.

Prisão liberada

Com a decisão da madrugada de hoje, no Supremo, Lula agora está nas mãos do TRF-4. A defesa do ex-presidente tem até amanhã para abrir citação eletrônica do Tribunal e se manifestar sobre os embargos declaratórios que foram negados no mês passado.

Trocando em miúdos, Lula está a caminho da cadeia.

 

 

Chapa da oposição

Agora é que o prefeito Firmino Filho não encosta mesmo no palanque das oposições.

Informou-se ontem que o deputado Dr. Pessoa (SD) será o segundo candidato a senador na chapa encabeçada pelo seu colega Luciano Nunes (PSDB).

Robert suplente

Nessa chapa, o primeiro candidato ao Senado será o ex-governador Wilson Martins (PSB).

O segundo candidato seria o deputado estadual Robert Rios (DEM), que agora passa a ser suplente do Dr. Pessoa na eleição pela cadeira de senador.

Sucessão

É aí que o prefeito Firmino vai se arrepiar. No Palácio da Cidade, faz-se a conta de que, em caso de eleição do Dr. Pessoa para o Senado, ele será imbatível na disputa pela Prefeitura de Teresina, em 2020.

Aí Robert Rios chega ao Senado.

O cálculo não deixa de ser por demais otimista!

Foto: Divulgação

O julgamento - O PT reúne-se hoje para uma tomada de posição oficial ante a confirmação da prisão do ex-presidente Lula pelo Supremo. O petista acompanhou o julgamento em São Paulo, cercado de várias lideranças do partido, entre elas os governadores Fernando Pimentel, de Minas, e Wellington Dias.

 

 

* A senadora Regina Sousa (PT) cobrava ontem uma manifestação firme contra a fala do ministro do Exército, general Villas Boas.

* Nas redes sociais, o ministro repudiou a impunidade e defendeu o respeito à Constituição à véspera do julgamento do HC de Lula no STF.

* O PSB do Piauí realiza hoje ato de novas filiações, entre elas a da deputada Juliana Falcão, que deixa o MDB.

* O PPS regional recebeu ontem os seus novos filiados para as eleições deste ano.

 

Mudança

Do ex-deputado Zé Hamilton (PTB), ao examinar o quadro político do Piauí e as possibilidades de mudança do cenário:

- Tudo é possível. Só não é possível um boi de tamanco subir num coqueiro em dia de chuva.

 

 

Brasil nas cordas

O Supremo Tribunal Federal conclui hoje o julgamento do habeas corpus que pode mandar o ex-presidente Lula para a cadeia ou livrá-lo do cárcere.  A pressão ao STF contra e a favor da prisão do petista chegou à temperatura máxima.

Se o país se divide em dois, com um lado defendendo a prisão do ex-presidente e outro advogado a sua liberdade, toda a nação está junta, no entanto, em outro aspecto. É quando desconfia do Supremo. As duas partes fazem o mesmo julgamento do STF.

Na possibilidade de o Supremo manter o ex-presidente solto, fica dado automaticamente o sinal verde para a candidatura dele ao Planalto nas eleições deste ano.  Nesse caso, também, será decretado o fim da Lava-Jato.

Os que defendem a absolvição do ex-presidente, como o governador Wellington Dias, justificam que o julgamento é político e visa tirar Lula da corrida presidencial. “Não teremos apenas o julgamento de um brasileiro. É o julgamento do que a nossa Suprema Corte quer do que está escrito na nossa Constituição!”, acredita o governador.

Wellington Dias afirma que conhece o processo e confia que a lei será cumprida, com base na Constituição. “Desde que foi escrita, em 1988, a Constituição é a mesma para qualquer brasileiro, seja ele professor, agricultor ou ex-presidente. Nela, está escrito claramente que "qualquer pessoa será inocente, até que se prove o contrário", opina.

A ministra Rosa Weber é apresentada como fiel da balança no julgamento do habeas corpus de Lula, hoje, no Supremo. Assim, para o lado que ela pender, sairá a decisão.

Como os ânimos estão exaltados e as posições radicalizadas, o país acompanhará o julgamento sob clima de grande tensão.

 

 

Foto: Divulgação

Themístocles na posse e na despedida de secretários

Ausente

A vice-governadora Magarete Coelho (PP), sempre presente às solenidades oficiais, foi ausência notada e sentida na posse coletiva dos novos secretários e demais auxilares do governador Wellington Dias, na segunda-feira, no Palácio de Karnak.

O presidente da Assembleia, deputado Themístocles Filho, disse sim e distribuiu abraços, tapinhas nas costas e sorrisos aos presentes.

No limbo

O ex-ministro Joaquim Barbosa confirmou para sexta-feira a filiação dele ao PSB. Mas não confirmou se será candidato a presidente da República, como quer o partido.

Está na mesma situação do ex-senador João Vicente Claudino, que volta ao PTB, mas não há garantia de sua candidatura ao governo.

Mosca azul

O ministro da Fazenda, Henrique Meireles, assinou ontem ficha de filiação ao MDB com discurso de candidato.

Bateu forte no governo petista da presidente Dilma, de quem por pouco não foi ministro também.

Foto: Divulgação/MDB

Meireles com lideranças do MDB

Na base

O ex-deputado Zé Hamilton afirmou que o PTB ficará até o fim com o governador Wellington Dias, independente da refiliação do ex-senador João Vicente Claudino à sigla, marcada para sexta-feira.

O assunto já foi discutido entre a bancada estadual do PTB e o ex-senador.

Nessas condições, as chances de vingar a candidatura de JVC ao governo são remotas.

Segurança

Leio na mídia local que o deputado federal Fábio Abreu sai da Secretaria de Segurança, no sábado, deixando o Plano Estadual de Segurança.

Ora, ele deveria ter esse plano em mãos era na chegada e não na saída.

 

 

* O prefeito de Piripiri, Luiz Menezes, vai se filiar amanhã ao PSDB, junto com o ex-governador Zé Filho.

* Também foi anunciada a filiação do prefeito Mão Santa, de Parnaíba. Não é provável.

* Mão Santa e seu sobrinho Zé Filho ficam no mesmo palanque, mas no mesmo partido, jamais!

* No Senado, corre célere o projeto que cria o Dia Nacional do Estagiário, 18 de agosto. Que tal?

 

Lula livre

Do governador Wellington Dias, sobre o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula, hoje, no Supremo Tribunal federal:

- O que se deseja para o presidente Lula  é que ele não esteja acima da lei, mas também que não esteja abaixo dela. Por essa razão nós queremos Lula livre.

 

A que será que se destina?

Não está fácil sentir o pulso do governador Wellington Dias para as próximas eleições. Na semana passada, ele participou de uma solenidade na qual se encontravam as principais lideranças estaduais do MDB e declarou que o partido tinha cacife para participar da chapa majoritária.

Quem acompanha a política estadual entendeu a declaração como uma senha para o MDB seguir em frente com o pleito para ocupar a vaga de candidato a vice-governador, a única carta que o partido jogou na mesa para a sucessão estadual deste ano.

Ontem, o governador lançou critérios para a composição da chapa majoritária. O primeiro deles é ter densidade eleitoral. Nesse pré-requisito, se encaixam tanto ele quanto o senador Ciro Nogueira, os dois nomes previamente escolhidos.

Mas, como na canção telúrico-filosófica “Cajuína”, de Caetano Veloso, a quem será que se destina o recado de ontem? As duas outras vagas da chapa são disputadas pelo PT (reeleição da senadora Regina Sousa) e pelo PSD (para o deputado federal Júlio César concorrer ao Senado); e PP e MDB (vice-governadoria).

O PT teria densidade eleitoral para indicar dois dos quatro candidatos da chapa majoritária – o governador e um senador, em prejuízo dos demais aliados? O PP também teria tal cacife – um senador e a vice-governadoria, também sacrificando os demais aliados?

A resposta, segundo se especula nos meios políticos, não sai já.

 

 

Marcha do MP

Depois de aparecer com movimentos em defesa dos próprios interesses, como o auxílio-moradia, o Ministério Público Federal abraça, enfim, uma pauta institucional, de interesse do país.

Membros do MPF e da magistratura de todo o Brasil fizeram ontem à tarde uma Marcha sobre Brasília.

Prisão já

O movimento foi para entregar ao Supremo Tribunal Federal um abaixo-assinado pela manutenção da prisão após condenação em 2ª instância.

O documento, chamado de ‘Nota Técnica’, foi entregue nos gabinetes da presidente e dos ministros do STF.

Efeito cascata

O texto afirma que "a mudança da jurisprudência, nesse caso, implicará a liberação de inúmeros condenados, seja por crimes de corrupção, seja por delitos violentos, tais como estupro, roubo, homicídio etc".

As lideranças do movimento apelam para que o Supremo ponha a mão na consciência e veja que o fim da prisão em segunda instância vai gerar efeito cascata em todo o Brasil.

Caso Lula

Amanhã, o STF julga o habeas do ex-presidente Lula, que está no centro do debate.

A defesa do petista quer evitar que ele comece a cumprir pena depois de ter sido condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, a segunda instância.

No Brasil, já tem muita gente curtindo cadeia com base nessa decisão, que, no entanto, pode ser revista agora.

A Marcha sobre Brasília, hoje, foi uma maneira de pressionar o Supremo a evitar uma mudança no entendimento deste assunto.

Hugo Napoleão

O município de Hugo Napoleão, no Médio Parnaíba, comemora 54 anos de emancipação. O ex-governador e ex-senador Hugo Napoleão lembrou ontem que participou da primeira campanha eleitoral do novo município:

- Eu fui ao comício do primeiro prefeito eleito em 1964, Cícero Lino do Nascimento, do PSD, tendo Regino Carvalho como vice. Ainda tenho um cartaz. Naquele tempo, o orador falava de cima de um tamborete e, à falta de energia, usava um megafone a pilha.

Foto: Francisco Leal/CCom

Prata da casa - O governador Wellington Dias optou pela prata da casa na composição de sua nova equipe. Ou seja, foram escolhidas para substituir os secretários candidatos pessoas já integradas à equipe.

Com isso, o governo espera manter o ritmo da gestão, que agora será tocada pelo time reserva, pois os titulares caem em campo em busca de voto.

 

 

* O ex-deputado federal Jesus Rodrigues anunciou ontem que concorrerá ao Senado pelo PSol nas próximas eleições.

* O julgamento do Mandado de Segurança no processo do concurso de cartórios no Piauí foi adiado para o dia 23.

* O 1º Concurso Público para Outorga de Delegação de Serviços Notariais e Registrais do Estado do Piauí foi iniciado em 2013.

* O Ministério Público do Piauí, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Altos, ajuizou uma ação contra a Prefeitura de Altos, por atraso de salários dos servidores temporários.

 

 

A máquina

Do pré-candidato a senador pelo PSol, Jesus Rodrigues, ex-deputado federal pelo PT:

- No Piauí, a máquina administrativa mais parece uma máquina eleitoral.

 

No país das jaboticabas

As pesquisas de opinião pública realizadas e publicadas até agora mostram que o brasileiro está inconformado e indignado com a situação política do país.

Um relatório do Fórum Econômico Mundial divulgado no ano passado revela que, entre 137 países avaliados, o Brasil é o último colocado em termos de confiança da população na classe política.

A desconfiança da população tem sentido. O país vive um escândalo político atrás do outro, com um crescente desgaste para a sua representação política, em todos os níveis.

Além do mais, os graves problemas do Brasil não são atacados com vigor e apenas de agravam de governo para governo e de ano para ano.

Sem mudanças

Ao mesmo tempo em que há pesquisas indicando o descontentamento da população com a situação do país, outras sinalizam que são muito tímidas as possibilidades de mudança na representação através do voto.

Ou seja, pelo que se desenha, os mesmos serão reeleitos e tudo vai continuar como está, com discretíssimas alterações.

Não deixa de ser curiosa essa contradição, própria do país das jabuticabas.

 

 

"Teje preso"!

Quem se desplugou na semana santa e está voltando agora ao mundo real precisa saber desta: na quinta-feira, foram presos a pedido do Ministério Público Federal, com autorização do ministro José Roberto Barroso, do Supremo, três amigos do presidente Temer.

A operação da PF foi deflagrada dentro do inquérito que investiga se empresas do setor portuário, em especial a Rodrimar, pagaram propina para serem beneficiadas com um decreto presidencial assinado por Temer.

"Teje solto"!

A prisão temporária dos suspeitos se estenderia até hoje, mas já no sábado de aleluia todos foram soltos pelas mesmas autoridades.

E fica a dúvida sobre a necessidade de tais prisões.

Estrago

No Palácio do Planalto, a avaliação é de que  a revogação das prisões alivia um pouco a tensão dos últimos dias, mas o "estrago político está feito".

Isto é, o governo terá ainda mais dificuldades daqui para a frente.

Reprodução/Twitter

Saúde e marketing - A pedagoga Vanessa publicou em sua conta no Twitter: @Vanss07698411:  “Estive agora com meu pai no Hospital Laura Vasconcelos em Bacabal. O atendimento foi excelente não deixa a desejar nenhum hospital particilar. Toda a equipe, desde o maqueiro até os médicos estão de parabéns.”

 

 

* O governador Wellington Dias anuncia hoje os 21 nomes que vão compor sua nova equipe.

* A reforma administrativa é em virtude das eleições 2018. Os titulares saem para disputar mandatos, mas deixam gente de confiança em suas cadeiras.

* A Rede lançou no sábado de aleluia a pré-candidatura do juiz aposentado Márlon Reis ao Governo do Tocantins.

* Ele é o idealizador da Lei da Ficha Limpa e advogado da Rede. Tenta a sua primeira candidatura, após 17 anos na magistratura.

 

 

As pernas da mentira

Do humorista Fraga:

- Lembram que a mentira tinha pernas curtas? Esqueçam. Agora ela usa próteses atléticas de titânio.

 

Os estresses da sucessão estadual

Por um longo período, as oposições do Piauí anunciaram um estrondoso racha na base governista para a sucessão estadual de 2018. Ainda há tempo para que a previsão se confirme, mas, por enquanto, é a oposição que vem sofrendo estresse.

O PSDB, o principal partido de oposição no Piauí, tenta montar um palanque suprapartidário para o deputado estadual Luciano Nunes concorrer ao governo.

O PSB do ex-governador Wilson Martins e o DEM dos deputado Heráclito Fortes e Robert Rios já se apresentaram como voluntários.

PSDB menor

Ocorre que o PSDB chega à sucessão estadual de 2018 praticamente só com a cara e a coragem. O partido vem sendo desidratado desde a sucessão de 2014. O segundo nome da legenda, o ex-prefeito Silvio Mendes, filiou-se ao PP ainda no ano passado.

O prefeito Firmino Filho, a principal liderança da sigla no Piauí e uma aposta das oposições para a sucessão deste ano, não fez por onde entrar na disputa.

Como não participou dos encaminhamentos para a montagem do palanque tucano, também não se sente na obrigação de subir nele.

Não ficou só nisso. Sem perspectiva de reeleição na sigla, o presidente regional do PSDB, deputado Firmino Paulo, pediu desfiliação e está avaliando por qual partido disputará um novo mandato.

O parlamentar é sobrinho do prefeito de Teresina e decidiu debandar da legenda depois que viu a primeira-dama Lucy se filiar ao PP do senador Ciro Nogueira. Ele entendeu que foi um recado do prefeito de que não o apoiaria mais este ano.

Lá vem o Zé!

Mas nem só de baixas vive o PSDB do Piauí. A direção do partido anunciou para o dia 5, quinta-feira, a refiliação do ex-governador Zé Filho. Ele será candidato a deputado estadual e vem com a promessa de uma boa votação do Norte do Estado.

Isso não deve ser comemorado, porém, como uma conquista da oposição. Zé Filho já era oposição. Aliás, um dos poucos que assumiram essa postura com convicção, uma oposição de verdade.

O prefeito Firmino Filho não quis se pronunciar sobre o estresse no PSDB. Alegou que o período da Páscoa é época de recolhimento e silêncio. Mas prometeu quebrar o jejum verbal a partir desta semana.

A situação dele é de absoluto desconforto.

 

Posts anteriores