Cidadeverde.com

Empresas só têm coração para os políticos

O Brasil posa com ar de surpreso, escandalizado e indignado com a descoberta de conluios entre grandes empresas e partidos políticos e também políticos. Ora, onde está a novidade? Essa relação sempre foi marcada pela promiscuidade, em todos os níveis.

Para começo de conversa, o que leva um cidadão a disputar um cargo eletivo gastando mais, muito mais, do que vai receber durante todo o exercício do mandato? O sistema político brasileiro leva a estas e outras aberrações.

O custo de uma eleição já foi mais modesto. Houve um tempo em que alguém era capaz de se eleger pela folha de serviços prestados ou pelo discurso. Esse tempo ficou para trás. O custo do mandato cresceu exponencialmente nos últimos anos, inviabilizando a eleição dos sem-dinheiro.

Poucos conseguiram mandatos eletivos sem o derramamento de dinheiro em suas campanhas. E poucos tiraram dinheiro de seu bolso para financiar suas candidaturas. Os recursos apareceram através de doações que teoricamente saíram dos cofres das empresas.

Dinheiro púbico

Mas não foi bem assim. As empresas fizeram caixa com tais recursos a partir do superfaturamento de obras e serviços públicos. Daí repassaram as sobras para as campanhas políticas. Ou deve-se ingenuamente imaginar que de fato foram doações espontâneas?

Ora, no Brasil, ao contrário do que ocorre em países desenvolvidos, as empresas não têm a prática de fazer doações. Para nada. Não dão bolsas de estudo para os jovens nem financiam projetos sociais, ambientais ou culturais, muito menos de inovação tecnológica.

Também não fazem doações para creches, nem para abrigos de idosos ou para hospitais. Por que, então, essas empresas teriam bom coração e abririam seus cofres apenas para os políticos, beneficiando justamente os mais conhecidos pela sua reputação duvidosa?

Só por aí já daria para desconfiar da marmelada revelada pelo mensalão e pela Lava-Jato. 

Foto: Cidadeverde.com

Advogada Geórgia Nunes: aprovação a toque de caixa

Fundão

Estão a pleno vapor no Congresso Nacional as articulações para a aprovação, antes do final de julho, de um pacote eleitoral que inclui a criação de um fundo de financiamento de campanhas com dinheiro público.

E não será pouco dinheiro: R$ 3,5 bilhões para as eleições de 2018.

Nova sangria

Os articuladores de mais essa facada no Tesouro Nacional são o PMDB, PSDB, DEM, PSB, PP, PR e PSD.

Juntos, esses partidos têm voto de sobra para aprovar a sangria nos cofres públicos.

Olho vivo!

A advogada Georgia Nunes, especializada em Direito Eleitoral, diz que é importante um debate acerca da proposta.

Ela desconfia que a PEC tratando do assunto vai correr no Congresso a toque de caixa.

E agora?

Quando a presidente Dilma tinha entre 10 e 12% de aprovação, o então vice-presidente Michel Temer, já em rota de colisão com ela, declarava ser impossível governar com tamanha popularidade.

Ele está com miseres 7%, segundo o Datafolha, mas deve ter mudado de ideia.

PT, o preferido

E o que dizer do resultado da mesma pesquisa que mostra o PT como o partido com a maior popularidade entre os eleitores brasileiros?

Segundo o levantamento, 18% dos entrevistados têm preferência pela legenda dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.

O PSDB do senador Aécio Neves e o PMDB do presidente Michel Temer aparecem empatados na segunda posição, com 5% do eleitorado.

A maioria dos entrevistados, porém, não é particularmente simpática a nenhum partido: 59% disseram que não têm preferência alguma.

Taxa do lixo

O prefeito Firmino Filho considera que a taxa do lixo, a ser cobrada a partir de agora em Teresina, é apenas “simbólica”.

Para bom entendedor, o prefeito disse que no futuro a taxa do lixo vai pesar no bolso.

Custos

De fato, a limpeza da cidade é uma das maiores despesas da Prefeitura. Somente no ano passado, o custo com o lixo chegou a R$ 78 milhões.

O município espera arrecadar este ano algo em torno de R$ 7 milhões com a taxa do lixo. Ou seja, menos de 10% do custo de todos os serviços de limpeza.

Exposição

Seriam os Piauienses da Serra da Capivara os Homens Mais Antigos das Américas? A indagação dá título à exposição sobre o Parque Nacional Serra da Capivara que será aberta no Teresina Shopping a partir de domingo, dia 2 de julho.

O evento traz registros fotográficos e audiovisuais realizados pelo fotojornalista André Pessoa.

Férias

A mostra conta com debates científicos a origem do homem no continente americano.

Antes de chegar ao país, Seriam os Piauienses da Serra da Capivara os Homens Mais Antigos das Américas? estreou na Alemanha, em maio, na Embaixada do Brasil em Berlim, onde permanece até o dia 31 de junho.

André Pessoa informou que a exposição constará de 30 fotos e ficará no Teresina Shopping por 40 dias, durante as férias escolares. 

Foto: Zózimo Tavares

André Pessoa: exposição da Alemanha para Teresina

* O novo bispo de Floriano, dom Edivalter Andrade, tomou posse no sábado, em ato que contou com a presença do governador Wellington Dias.

* O deputado Rubem Martins (PSB) alertou que a greve dos servidores da Adapi ameaça trazer de volta o risco da aftosa nos rebanhos piauienses.

* Se estavam esperando algo acontecer para o Aeroporto Internacional de Parnaíba se tornar mais inútil do que é, ela aconteceu.

* O Ceará inaugurou sábado, com muita festa, o Aeroporto Internacional de Jericoacoara, um dos destinos turísticos mais procurados do país.

Pragmatismo tucano

Na sexta-feira, a Prefeitura de Teresina fez o plantio de árvores na área do campinho de futebol do Parque Ambiental da Floresta Fóssil. Deram ao prefeito Firmino Filho uma muda maior, já quase adulta. E antes que alguém perguntasse o motivo, já foram justificando:

- Quem deve plantar uma árvore que dá sombra é o prefeito.

(Colaborou Elivaldo Barbosa)

 

PEC mais que triplica o Fundo Partidário

Foto: Reprodução TRE/MS

 

No bojo da reforma política a ser discutida na Câmara dos Deputados, em breve, há uma proposta de deixar qualquer um de queixo caído: um aumento que triplica o valor do Fundo Partidário. Com a proposta, o dinheiro público usado para financiar os partidos salta de R$ 867 milhões para R$ 3,5 bilhões no próximo ano.

A bolada do Fundo Partidário é rateada entre 35 partidos políticos, sendo que nove deles sequer possuem representantes eleitos no Congresso Nacional. Hoje 5% dos recursos do fundo são distribuídos em partes iguais a todos os partidos e os outros 95%, proporcionalmente, conforme votos obtidos na última eleição para a Câmara dos Deputados.

Quem leva mais

Neste ano, somente dos 5% iguais, cada partido receberá cerca de R$ 1,2 milhão. Outros R$ 807 milhões serão distribuídos conforme número de cadeiras que as legendas possuem. Assim, quem mais elegeu parlamentares leva uma fatia maior do bolo. É o caso do PMDB, PT, PSDB e PP.

Se aprovado, o aumento do Fundo Partidário sairá dos cofres públicos. A medida visa compensar o fim do financiamento das campanhas eleitorais pelas empresas. Os partidos buscam uma fonte extra de recursos, já que atualmente só podem receber doações de pessoas físicas.

A reforma proposta concentrará os recursos somente na mão daqueles partidos que conseguirem atingir o mínimo de 2% dos votos válidos em pelo menos 14 unidades da federação.

Na contramão

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que está em discussão foi aprovada no Senado no fim de 2016 e está na Câmara. O texto ainda poderá passar por modificações.

O Fundo Partidário tem subido vertiginosamente. Seu valor em 2015 era de R$ 289 milhões. No ano seguinte, quando foram realizadas as eleições municipais, saltou para R$ 867 milhões, já preparando o grande salto para as eleições dos congressistas, em 2018, quando, pela proposta chegará a R$ 3,5 bilhões.

Os parlamentares querem aumentar o Fundo Partidário num momento de grave crise econômica, que impõe cortes implacáveis nos orçamentos públicos por falta de recursos. No fundo, eles querem tirar recursos de áreas essenciais, como educação, saúde e segurança, para suas campanhas.

 

HSM volta a atender pacientes do Sus

O Sistema Único de Saúde (Sus), administrado em Teresina pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), e o Hospital São Marcos (HSM) entraram em acordo quanto ao atendimento dos pacientes portadores de câncer. Os termos do acordo não foram divulgados, mas asseguram a volta da prestação de serviços aos doentes oncológicos através do Sus.

O presidente da FMS, Silvio Mendes, gestor do Sistema Único de Saúde na capital, informou que o atendimento foi restabelecido ontem mesmo. “As dificuldades do hospital serão tratadas com boa vontade, dentro das regras do Sus”, enfatizou o presidente da Fundação Municipal de Saúde.

O HSM comunicou a suspensão do atendimento aos pacientes do Sus, nos casos de intercorrências de baixa e média complexidade, em função dos custos dos procedimentos e da defasada remuneração pela prestação de serviços. A tabela de preços do Sus não é corrigida desde 1996.

O São Marcos tem 330 leitos e 1.800 funcionários, produzindo 14.300 atendimentos e 16.200 exames a cada mês. Dos atendimentos realizados pelo São Marcos, 89% são de pacientes do Sus, que respondem por 37% do seu faturamento, porém geram um prejuízo anual superior a R$ 1 milhão e 300 mil, segundo a sua direção.

Em Teresina, o Sus não pode alterar os valores, mas o Ministério da Saúde está sendo acionado pelos prestadores de serviço dos setores público, privado e filantrópico para reajustar a tabela de preços. 

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Deputado Marcelo Castro: palestra na Fiesp

Marcelo na Fiesp

O deputado federal Marcelo Castro (PMDB) será um dos palestrantes do Debate Reforma Política Já, á ser realizado na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na próxima segunda-feira, dia 26.

O evento reunirá autoridades, empresários, cientistas políticos, juristas e estudantes.

Paralisação

Os ônibus intermunicipais que servem ao Piauí ficaram parados ontem de 5 da manhã até às 11 horas. A paralisação decorreu de um protesto  realizado na Rodoviária de Teresina pelos empregados das empresas de transportes rodoviários.

Eles alegam que estão com os salários atrasados e defasados. Prometeram um novo protesto para breve, se a situação não for normalizada.

Sem fiscalização

Os proprietários de ônibus alegam, por sua vez, que estão enfrentando graves dificuldades financeiras em função da crise econômica e da concorrência desleal e predatória do transporte irregular de passageiros.

Também reclamam que a fiscalização da Secretaria de Transportes faz vistas grossas para os ônibus ilegais.

Taxa de lixo

Os teresinenses vão pagar pela coleta de lixo. A primeira cobrança está chegando às residências e empresas e deve ser paga até 31 de julho.

A taxa será paga anualmente, como o IPTU, e pode ser parcelada em até 6 meses.

A Prefeitura espera arrecadar R$ 7 milhões com a taxa do lixo. O município gastou no ano passado R$ 78 milhões com a limpeza pública.

Diário Oficial

Desde abril passado, o Diário Oficial do Estado está apenas com a sua versão eletrônica. A edição impressa deixou de circular, por conta de lei aprovada na Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Wellington Dias.

Apesar disso, o Tribunal de Contas do Estado tem dificuldade em autorizar apenas a versão digital do Diário dos Municípios.

Debandada

O deputado federal Silas Freire (Podemos) discursou para um plenário vazio criticando a ausência de parlamentares na Câmara Federal.

Quase todos viajaram na quarta-feira para passar as festas de São João em seus estados.

BR-222

Uma comitiva de deputados estaduais acompanhou ontem a entrega de várias obras no município de Batalha. Além disso, foi dado início ao processo para a obra da BR-222 no Piauí, considerada de extrema importância e que vem sendo defendida há mais de 15 anos pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho.

Exército

O Exército irá executar a primeira etapa da obra e posteriormente será feito o processo de licitação para a conclusão da obra da BR-222, que tem apenas um trecho de pouco mais de 100 km que ainda não está asfaltado.

O governador Wellington Dias participou dos eventos.

Foto: Divulgação/Alepi

Themístocles e Wellington acompanham obras na BR-222

*A missa de 7º dia do empresário Marco Veloso será celebrada amanhã, às 8 horas, na Igreja de Nossa Senhora de Lourdes, no bairro Vermelha.

* O Estado do Piauí tem seis contratos com o BNDES, desembolsando mensalmente R$ 13 milhões para o pagamento das parcelas.

* A partir de agosto, com o alongamento da dívida, o Estado passa a economizar esse valor. Em tempos bicudos, um alívio.

B. O.

Do humorista Fraga:

- No Brasil ocorre de tudo, mas o que mais costuma ocorrer é boletim de ocorrência.

FMS e São Marcos buscam solução para atendimento a pacientes do Sus

A Fundação Municipal de Saúde e o Hospital São Marcos abriram negociações ontem em torno da decisão que restringe o atendimento, através do Sus, a pacientes portadores de câncer. A medida foi confirmada em nota divulgada pelo hospital.

Como o São Marcos é um hospital filantrópico, a lei o obriga a disponibilizar 60% da oferta para pacientes do Sus. O hospital está hoje com 90% e alega que não pode manter esse patamar, pois vem acumulando prejuízos que ameaçam a sua sobrevivência.

Com a mudança, o HSM se dispõe a dar treinamento para equipes hospitalares da rede municipal, a fim de capacitá-las a acompanhar pacientes cancerosos.

A nota informa que o hospital mantém o tratamento oncológico de alta complexidade, suspendendo o atendimento dos casos de intercorrências de baixa e média complexidade. Estes passariam a ser feitos pelos hospitais do município.

São consideradas intercorrências clínicas oncológicas todas as reações provenientes dos tratamentos de câncer, como febres, pneumonias e dores abdominais.  Elas ocorrem muitas vezes por conta das quimioterapias e radioterapias, que provocam, entre outros efeitos colaterais, a queda da imunidade.

O Hospital São Marcos informou que 40% de sua capacidade instalada eram ocupados por pacientes de baixa e média complexidade, que podem se atendidos por unidades de saúde de retaguarda, de modo satisfatório em casos de mal-estar, vômitos, diarreias, dores no corpo e sangramentos.

A Fundação Municipal de Saúde não se posicionou publicamente sobre a decisão do HSM, o que deve fazer após a conclusão das conversações com a sua direção.

Defasagem do Sus

Uma comissão de deputados estaduais esteve ontem no Hospital São Marcos, conversando com sua direção sobre a suspensão dos atendimentos de urgência a pacientes com câncer pelo SUS (Sistema Único de Saúde). O líder do Governo, João de Deus (PT), informou que vários hospitais filantrópicos existentes no país foram fechados por causa da defasagem dos valores pagos pelos SUS.

Presentes, os deputados João de Deus (PT), Aluísio Martins (PT), Belé Medeiros (PP) e Firmino Paulo (PSDB), que é o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa. Eles foram informados que o HSM tem 330 leitos e 1.800 funcionários, que realizam 14.300 atendimentos e 16.200 exames a cada mês.

Dos atendimentos realizados pelo São Marcos, 89% são de pacientes do SUS, cuja tabela foi reajustada em 1996.

O hospital argumenta que há um déficit provocado pelo atendimento de pacientes do SUS, que correspondem a 37% de seu faturamento. Por um procedimento que custa R$ 26 mil, o São Marcos recebe R$ 1.200 do SUS. Segundo o hospital, isso gera um déficit de R$1,3 milhão por ano.

Divulgação/Alepi

Deputados com a direção do Hospital São Marcos


Temer perde ação

O presidente Michel Temer perdeu na primeira instância, em Brasília, a ação contra o empresário Joesley Batista, dono da Friboi, por injúria, calúnia e difamação.

Em entrevista à revista Época, o empresário apontou o presidente como chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil.

Argumento

Conforme o juiz, o empresário apenas repetiu o que disse em sua delação premiada ao Ministério Público Federal.

Em função disso, negou o pedido do presidente para processar Joesley.

Delação

O magistrado decidiu acertadamente. As denúncias de Joesley na delação ainda não foram validadas, mas também não foram refutadas. E estão sendo investigadas. Portanto, tanto podem ser infundadas quanto verdadeiras.

The flash

O que não havia era a necessidade de o presidente mover um processo tão depressa contra o seu delator. Nem que o juiz se apressasse tanto em julgar o caso.

A ação foi impetrada na segunda-feira.

Elas voltaram

As andorinhas azuis voltaram. Elas vêm do Canadá. Voaram 13 mil quilômetros para passar a lua de mel em Teresina, no bairro Ilhotas.

Todos os anos a cena se repete, por esta época: elas povoam os prédios, bebem a água do Poti e se acasalam por aqui.

Foto: Luiz Ayrton Santos

As andorinhas voltaram

Reforma

A oposição faz muita festa em cima da derrota da proposta de reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). A matéria foi rejeitada por 10 a 9. O resultado não muda a tramitação do projeto.

A proposta já passou na Comissão de Economia e tem amplas chances de ser aprovada na Comissão de Constituição e Justiça, onde está sendo discutida.

O que vale mesmo, no entanto, é a votação do plenário.

Puxão de orelha

O Tribunal de Contas do Estado deu um puxão de orelha na Prefeitura de Teresina.

O TCE alertou que a Prefeitura já ultrapassou o limite prudencial de gastos com a folha de pessoal.

O mesmo alerta foi feito para 114 municípios piauienses.

Foto: Reprodução

Ofício do TCE a Firmino Filho e a mais 113 prefeitos

*O Governo do Estado decretou situação de emergência no Complexo Turístico Porto das Barcas, em Parnaíba.

*E anuncia uma intervenção no espaço, através da Secretaria de Cultura. Com a emergência, não precisa fazer licitação.

* Deputados desconfiam que estão sendo monitorados pelo “guardião”, instalado para investigar bandidos.

* Na política tumultuada de hoje, é prudente não comemorar a prisão do adversário. Ninguém sabe o dia de amanhã.

Loroteiro

Das redes sociais:

- “A entrevista de Joesley Batista tem muito de conversa para Friboi dormir.”

São Marcos restringe atendimento ao Sus

Vem aí um problema em escala industrial, na área de saúde: o Hospital São Marcos confirmou ontem, em nota, que restringiu o atendimento, através do Sus, de pacientes portadores de câncer. A nota informa que não houve a suspensão de tratamento oncológico de alta complexidade e sim de intercorrências de baixa e média complexidade a pacientes oncológicos.

São consideradas intercorrências clínicas oncológicas todas as reações provenientes dos tratamentos de câncer, como febres, pneumonias e dores abdominais. Estes sintomas ocorrem muitas vezes por conta das quimioterapias e radioterapias, que provocam, entre outros efeitos colaterais, a queda da imunidade.

O Hospital São Marcos responde por 99% dos atendimentos oncológicos no Piauí e informou ainda que a medida visa a melhorar o tratamento de pacientes que precisam de procedimentos de alta complexidade, como radio e quimioterapia, além de cirurgias e internações decorrentes destes procedimentos.

Segundo ainda a nota, 40% da capacidade instalada do Hospital eram ocupados por pacientes de baixa e média complexidade, que podem se atendidos por unidades de saúde de retaguarda, de modo satisfatório em casos de mal-estar, vômitos, diarreias, dores no corpo e sangramentos.

Quem assume

Com a decisão, a rede hospitalar do município de Teresina deve assumir este tipo de atendimento, para não deixar a população sem assistência. E aí é que está o problema, pois os relatos de pacientes atendidos na rede pública municipal são desanimadores.

O Hospital Universitário anunciou a inclusão de pacientes oncológicos em seus atendimentos, mas até aqui recebe um número reduzido de doentes de câncer.

A Fundação Municipal de Saúde prometeu cobrar explicações do São Marcos, que é filantrópico e tem o compromisso de atender pacientes do Sus. Informou-se que a decisão do hospital foi motivada pelo acúmulo de prejuízos nesse tipo de atendimento, pois em muitos casos os repasses do Sistema Único de Saúde não cobriram os custos dos procedimentos. Assim, o hospital acabava pagando para atender. Acesse a nota do HSM: https://www.facebook.com/saomarcospi/posts/1430556163656806:0

Foto: Divulgação

Reunião da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, ontem

Dívida

O governador Wellington Dias passou o dia ontem no Senado, em articulações para a aprovação do projeto de resolução que trata da renegociação das dívidas dos Estados.

O senador Elmano Férrer (PMDB) defendeu a proposta e pediu urgência para a sua aprovação na CAE.

A matéria foi aprovada por unanimidade na Comissão de Assuntos Econômicos e também no Senado.

Alívio no caixa

Wellington explicou que a matéria foi discutida com o presidente Michel Temer, na semana passada, durante a reunião com os governadores e todos chegaram a um consenso sobre a aprovação da resolução.

O governador disse que só o Piauí terá uma folga a mais de R$ 180 milhões por ano com a aprovação do alongamento da dívida por dez anos.

O senador Elmano Férrer apressa votação

BR-135

O deputado federal Marcelo Castro (PMDB) garantiu ontem que a bancada federal está unida em torno da obra de alargamento da BR-135, no Sul do Piauí.

Ele disse que os 10 deputados federais e os três senadores estão juntos nessa causa. E não é de hoje.

Ô bancada fraca, então!

Reforma

O governo Temer sofreu ontem uma derrota no Senado. O relatório da reforma trabalhista foi rejeitado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

O texto, elaborado pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), havia sido aprovado pela Câmara, mas foi rejeitado por 10 votos a 9, ontem.

A reforma trabalhista ainda vai passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, por fim, pelo plenário do Senado.

Quiosques

Os quiosques Caneleiro, Carnaúba e Cajueiro, instalados na Avenida Raul Lopes, serão deslocados para outra área.

A Justiça Federal no Piauí, por meio do Centro de Conciliação em Políticas Públicas (CEJUC), coordenado pela juíza federal Marina Rocha Cavalcanti Barros Mendes, realizou, ontem, uma audiência de conciliação sobre o caso.

Novo espaço

Uma nova proposta foi apresentada para a instalação dos quiosques, na área localizada abaixo da ponte da JK, pelo lado Leste, por se tratar de uma área antropizada e a sua não utilização está gerando assaltos, o que impõe que a região seja ocupada.

O município propõe ao Estado que a área seja devolvida ao município na situação em que estava antes da obra da ponte, com piso reconstruído, iluminação, entre outras intervenções. O Estado aceitou a proposta.

Educação

O prefeito Firmino Filho se reuniu ontem no FNDE - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

Ele foi acompanhado do deputado federal Atila Lira, secretário de Planejamento, Washington Bonfim, e secretário de Educação, Kleber Montezuma.

Foto: Divulgação

O prefeito Firmino Filho em audiência no FNDE

* O governador Wellington Dias fez um charme, mas acabou reconduzindo o promotor de Justiça Cleando à chefia do Ministério Público Estadual.

* O IBGE lança dia 27, na APPM, o Censo Agropecuário 2017, que será a maior operação de levantamento da situação no campo brasileiro.

* No Piauí, os 224 municípios piauienses que serão visitados por técnicos do IBGE, para o registro de informações envolvendo aspectos como produção e situação do trabalho, dentre outras. 

* Quando se apregoava que ontem sairia a prisão do senador Aécio neves (PSDB), o Supremo mandou soltar a irmã dele, Andrea.
 

O sonho

Na porta da escola:

Aluno 1 – Meu sonho é ganhar uns 50 mil reais por mês que nem o papai.

Aluno 2 – Teu pai ganha tudo isso?

Aluno 1 – Não. É o sonho dele também.

Alargamento da BR-135 não sai tão cedo

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Paulo de Tarso Cronemberger, superintendente do Dnit, nos estúdios da Rádio Cidade Verde

As obras de melhoria da BR-135, a estrada da morte, não serão feitas tão cedo. O superintendente do Dnit no Piauí, Paulo de Tarso Cronemberger, informou ontem que o projeto executivo para a obra está pronto, mas dependente da liberação de recursos para sair do papel.

Ele disse que o projeto prevê o alargamento da pista da estrada de 6 para 7 metros, com a implantação de mais 2,5 metros de acostamento cada lado, como área de escape em caso de necessidade. São necessários R$ 350 milhões para a obra.

Em sua opinião, essa seria a solução ideal, no momento, porém os recursos só podem ser viabilizados para o orçamento do próximo ano. Isso, claro, a depender ainda do interesse e do empenho da bancada federal, se entender a intervenção como prioritária.

A outra solução, conforme o superintendente do Denit, seria retirar recursos para a manutenção da malha rodoviária federal no Piauí para priorizar o trecho da BR-135 que corta o Sul do Estado. Somente este ano, esse trecho já registrou 31 mortes, o dobro do número de mortes em todo o ano passado.

Mais uma tragédia

O último acidente com vítimas fatais na estrada ocorreu no sábado passado, em Redenção do Gurguéia, envolvendo um ônibus de turismo. No desastre, morreram nove passageiros e 19 ficaram feridos, alguns gravemente.  30 pessoas viajavam no onibus, sendo 28 passageiros e dois motoristas.  

Pista estreita, sem acostamento, e altura irregular do pavimento, chegando em alguns trechos a 35 centímetros de altura, em função do recapeamento constante, são algumas das irregularidades da estrada.

Se o motorista tirar o pneu do carro da pista, por algum motivo, capota inevitavelmente. Quando não é precipício, é uma barreira vegetal dos dois lados da pista.

Projeto engavetado

Os caminhões, com os retrovisores, dão 2 metros e 80 centímetros. Os carros pequenos medem de 2 metros e 40 a 2 metros e 60 centímetros. Não sobra nada de folga. Quando duas carretas se encontram, uma para e a outra passa bem devagar.

Todos os outros Estados estão alargando as rodovias federais para 12 metros, menos o Piauí. Já existe há muito tempo um projeto para alargar a BR-135. Ele está engavetado por falta de iniciativa dos representantes políticos do Piauí.

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Secretário Franzé Silva, na Rádio Cidade Verde

Recadastramento

A Secretaria de Administração e Previdência fará um novo recadastramento dos servidores estaduais. Ele começa na próxima quinta-feira, dia 22.

O secretário Franzé Silva esclareceu que o recadastramento tem o objetivo de atualizar os dados cadastrais dos servidores e conhecer as suas expectativas.

Tesourada

 No último recadastramento, realizado há dois anos, o Estado identificou 7 mil servidores em situação irregular.

Eles foram retirados da folha de pagamento e o governo passou a economizar R$ 20 milhões com a medida, informou o secretário.

Cuidado com o AVC

O neurocirurgião Benjamin Vale disse ontem que os portadores de doenças sistêmicas, como diabetes, hipertensão e colesterol alto, estão mais sujeitos aos acidentes vasculares cerebrais.

O Dr. Benjamin Vale é o fundador e coordenador da Campanha “Pense Bem AVC”, de conscientização sobre os riscos e a prevenção de Acidentes Vasculares Cerebrais.

Equilíbrio

Ele orienta que o ideal para evitar esse tipo de doença e outras mais é buscar o equilíbrio.

A solução, alerta o médico, não está nos remédios, mas na mudança de hábitos e de estilo de vida.

Celebração

Na próxima quinta-feira, às 17 horas, nas paróquias situadas em algum trecho próximo à BR-135, no Sul do Piauí, serão celebradas missas pelas vítimas da “estrada da morte”.

A iniciativa é da Diocese de Bom Jesus do Gurgueia, segundo o prefeito Marcos Elvas.Jesualdo Cavalcanti: internado

*O governador Wellington Dias convidou os promotores de Justiça Cleandro Moura, Paulo Rubens e Hugo Cardoso para conversar.

*Eles compõem a lista tríplice para o cargo de chefe do Ministério Público Estadual. O atual procurador Cleandro Moura foi o mais votado.

*Se não tivesse alguma dúvida quanto à recondução dele, o governador já teria feito a escolha.

* Com pouca mobilização da categoria, foi realizada ontem a eleição para escolha da diretoria do Sinte-Pi.

Caça-fantasma

Do secretário de Administração e Previdência, Franzé Silva, ao anunciar um novo recadastramento dos servidores:

- No último recadastramento, descobrimos que apenas em uma conta alguém recebia indevidamente três contracheques. Nos cortamos e até hoje ninguém apareceu para reclamar.

Mais 9 mortes na BR-135. População se revolta

Foto: Enock Porto Santos

BR-135, entre Cristino Castro e Alvorada do Gurgueia 

Revolta. Esta é a palavra que traduz o sentimento da população dos municípios do Sul do Piauí que utilizam a BR-135, conhecida como “Estrada da Morte”. Somente este ano, a rodovia já registrou, no trecho que corta o Piauí, 31 mortes. É o dobro do número de mortes registrado em todo o ano passado, que totalizou 16.

O último acidente com vítimas fatais na estrada ocorreu no sábado passado, em Redenção do Gurguéia, envolvendo um ônibus de turismo. No desastre, morreram nove passageiros e 19 ficaram feridos, alguns gravemente.  Os acidentados mais graves foram transferidos para os hospitais de Bom Jesus e Floriano para realização de procedimentos cirúrgicos.  Algumas pessoas sofreram amputação de membros. 

O ônibus  saiu de Boa Viagem (CE) com destino a São Paulo e tombou no Piauí. De acordo com a PRF, o veículo, pertencente à empresa Gênesis, perdeu controle no final de uma curva fechada em declive, bateu no guard rail (defensa) e tombou sobre o asfalto. Nele viajavam 30 pessoas, sendo 28 passageiros e dois motoristas.  

A BR-135 liga São Luís do Maranhão a Belo Horizonte, cortando o Sul do Piauí, onde possui o trecho mais crítico de todo o seu percurso. São quase 500 quilômetros, entre Eliseu Martins a Cristalândia.

Pista estreita, sem acostamento, e altura irregular do pavimento, chegando em alguns trechos a 35 centímetros de altura, em função do recapeamento constante, são algumas das irregularidades da estradas.

A largura normal de uma rodovia federal é de 7 metros, mas a BR-135 tem apenas 5,8 metros, para um tráfego intenso de carretas bitrens carregadas de soja, caminhões, ônibus, automóveis e motocicletas.

Foto: PRF/Cidadeverde.com

O ônibus tombou em uma curva da BR-135

Manifesto

Indignados com a situação e a falta de previsão para uma solução em curto prazo, moradores da região utilizaram as as redes sociais e deram início a um abaixo-assinado, dirigido ao governador Wellington Dias e a outras autoridades, cobrando providências urgentes. A estrada é de responsabilidade do Governo Federal. Eis o manifesto:

 

"SOS BR 135 - RODOVIA DA MORTE

Nós, Piauienses, solicitamos de Vossa Excelência, a viabilidade do projeto de execução de melhorias na Rodovia BR 135. Conforme laudo da PRF de Sergipe emitido em março de 2017, logo após acidente com vítimas fatais próximo a cidade de Cristalândia: a rodovia apresenta condição classificada como “Ruim”, e a geometria da via foi considerada “péssima”. Com base no relatório da PRF listamos as benfeitorias e obras que devem ser realizados na BR-135:
Alargamento da pista para 7 metros nos pontos tem apenas 5,2 metros;
Eliminação do efeito degrau (que chega a medir 35 cm em vários trechos da rodovia);
Implantação do acostamento, inexistente em boa parte da via;
Revitalização da sinalização vertical (placas) e horizontal (pintura da pista);
Drenagem das águas pluviais;
Recuperação do asfalto;
Implantação de radares para reduzir velocidade;
Em especial do trecho que de Elizeu Martins à Cristalândia, que só esse ano já registrou o dobro de acidentes de todo o ano de 2016.
A Rodovia acima mencionada apresenta um grande fluxo de veículos de passeio e carga pesada. O tráfego na rodovia há anos é intenso, mas o número de acidentes graves e com mortes se tornou absurdo e intolerável.
Pedimos essa obra com urgência, pois nosso cemitério está cheio de famílias, jovens e crianças, enterrados vítimas de acidentes nessa rodovia.
Esperamos que Vossa Excelência nos atenda com a urgência que o caso requer.”

Mutirão

O Piauí retoma hoje a sua rotina para dar cabo ao serviço acumulado no feriadão.

O Tribunal de Contas do Estado, por exemplo, realizará sessão ordinária nesta segunda-feira  para o julgamento de processos da pauta da sessão plenária da última quinta-feira, 15 de junho, quando a Corte de Contas não funcionou em função do feriado de Corpus Christi. 

Julgamento

Estão na pauta de julgamento 21 processos – entre eles tomada de contas especial na Secretaria de Administração e Previdência (SeadPrev), pedido de inspeção na Secretaria Estadual de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect) e da prestação de contas da Secretaria de Educação, exercício de 2012, de responsabilidade do então secretário Átila Lira. 

Saúde

Na rede hospitalar, muitos procedimentos foram suspensos, alguns deles marcados há meses.

Não foi divulgada informação sobre a remarcação desses procedimentos.

Foto: Divulgação

O prefeito Mão Santa homenageia Wilson Martins

Comendador

O ex-governador Wilson Martins foi homenageado no final de semana pelo prefeito de Parnaíba, Mão Santa (SD), de quem recebeu a Medalha do Mérito Municipal, a mais importante comenda do município.

A entrega da medalha foi no evento popular dos 30 dias de festas juninas, na Praia da Pedra do Sal.

Luto

A inesperada morte do empresário e produtor musical Marco Veloso, dono da banda piauiense Top Gun, chocou ontem o meio artístico, a família e os amigos. Ele tinha 45 anos e morreu vítima de um AVC.

O sepultamento do corpo será hoje, às 10 horas, no Cemitério Jardim da Ressurreição.

Trajetória

Marco Veloso era muito querido no meio artístico. Ele já foi dono também da extinta Banda Bali, que fez grande sucesso. Era casado com a jornalista Mônica Craveiro, com quem teve três filhos. 

Ele era filho do empresário Luis Antônio Veloso, ex-presidente do Sindicato dos Lojistas de Teresina.

Exagero

Em sua edição desta semana, a revista Época, das Organizações Globo, exagerou na dose, ao mostrar na capa o dono da Friboi, Joesley Batista, acusando o presidente Michel Temer de ser o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil.

Matematicamente, não dá! Como pode um mero vice-presidente da República e presidente de um partido que o governo comprava na hora que queria, ser o chefe de tudo?

Delação

Não se pode comprar Temer e seu partido como santos, mas, se as verdades do dono da Friboi, até há pouco um dos maiores anunciantes da Globo, são desse tipo, então a sua delação deve ser revista com urgência.

Como no futebol, nesse caso a regra também é clara: quem rouba, mente; quem é corrompido e quem corrompe, também.

 

* Talvez seja uma herança de Portugal, que ainda sonha com a volta de Dom Sebastião:  o Brasil também é dado a um salvador da pátria.

* No julgamento do mensalão, foi o ministro Joaquim Barbosa; no julgamento da chapa Dilma-Temer, o eleito como herói nacional foi o ministro Hermman Benjamim.

* O Vaticano estuda excomungar da Igreja Católica mafiosos e corruptos, anuncia a mídia internacional.

* Ora, o Vaticano não conseguiu excomungar nem os corruptos de lá mesmo!

A entrevista

A jornalista Jeane Melo, já homenageada pela União Brasileira de Escritores (UBE), seção do Piauí, e pelo Sindicato dos Jornalistas do Piauí como uma das revelações da crônica jornalística, que ela publica quinzenalmente na Revista Cidade Verde, conta na nova edição da publicação um episódio de seus primeiros tempos de jornalismo. Ela foi entrevistar um criador de codornas. E mandou brasa:

- Dá para criar essas aves soltas?

O entrevistado olhou para ela com a cara de quem iria dar uma resposta técnica bem elaborada, mas falou sereno:

- Até que dá, mas vão todas embora!

FHC propõe renúncia como saída para a crise

Foto: PSDB/MG

FHC dá uma nova guinada

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso voltou à cena política, no final de semana, com uma guinada espetacular. Há menos de um mês, FHC, na contramão da pregação do PT, dizia que antecipar as eleições presidenciais seria um golpe.

Mas ele mudou de ideia. E apenas três dias depois de o seu partido renovar a aliança com o governo, após a absolvição da chapa Dilma-Temer no TSE. O ex-presidente apareceu agora com a proposta de eleição direta já para presidente.

Como se sabe, o PMDB e o PSDB são as principais bases de sustentação do atual presidente, que há mês balança, mas não cai. Sem o apoio dos tucanos, Michel Temer lá teria descido a rampa do Planalto.

Espírito público

FHC cobra agora espírito público e grandeza para o país vencer a crise. Ele cobra espírito público dos outros, naturalmente, pois, em relação ao presidente licenciado de seu partido, o senador afastado Aécio Neves, delatado pelo dono da Friboi, ele não dá uma palavra.

É o velho Fernando Henrique Cardoso em seu melhor estilo e em sua melhor forma. Ele passou os oito anos de seu mandato no Palácio do Planalto com o PT gritando em sua porta: “Fora, FHC!”, “Fora, FHC!”, “Fora, FHC!”...

Mesmo com uma crise atrás da outra, o tucano só saiu do Planalto, entretanto, depois de bancar a emenda da reeleição e cumprir integralmente seus dois mandatos.

Agora o ex-presidente passa a defender a renúncia já de Michel Temer, por conta da crise política que abalou não apenas o governo, mas igualmente o presidente do partido do qual FHC é presidente de honra.

Na política, porém, tem disso: sempre aparece um artista querendo dar uma de Tiradentes, o herói da pátria. Mas com o pescoço dos outros!

 

Crise no governo completa um mês

Foto: Agência Brasil

Michel Temer faz pronunciamento sobre gravação

O presidente Michel Temer estava em meio às comemorações pela geração de 59.856 empregos no Brasil em abril. De fato, havia motivo para festa, afinal era o primeiro resultado positivo na oferta de novos postos trabalho para o mês desde 2014. O governo calculava, então, que estava no rumo certo da recuperação econômica do país.

Os dados alvissareiros sobre a retomada do emprego formal se somavam a outros indicadores econômicos acumulados em um ano de governo que mostravam luz no fim do túnel: queda da inflação, redução das taxas de juros e aumento da credibilidade do país junto aos investidores externos. Tudo isso animava o governo também a levar adiante as reformas trabalhista e previdenciária no Congresso, onde contava com ampla e sólida maioria.

O governo ainda estava no primeiro brinde quando a bomba explodiu: o plantão da Globo informava que o dono da JBS-Friboi, Joesley Batista, havia gravado o presidente da República dando aval para comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), preso pela Lava-Jato, e para obstruir a Justiça.

Delação

O Jornal Nacional dava os detalhes do caso e informava que a gravação era fruto de uma delação premiada do empresário ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, homologada pelo ministro Edison Fachin, do STF. A delação teria sido fechada em tempo recorde, se comparada com a das empreiteiras Odebrecht e OAS. As conversas teriam começado em março e os depoimentos realizados de abril a maio.

O jornal O Globo informava também que os diálogos e as entregas de malas com dinheiro haviam sido filmadas pela Polícia Federal. Além disso, as malas estavam com chips para que o caminho do dinheiro pudesse ser rastreado.

Toda a imprensa repetia as mesmas informações no dia seguinte e não havia dúvida: naquela mesma quarta-feira, 17, o presidente renunciaria. Em nota à imprensa, o Palácio do Planalto garantiu que o presidente Michel Temer "jamais solicitou pagamento para obter o silêncio" de Eduardo Cunha.

O presidente fez um pronunciamento à nação, na tarde do dia 17, confirmou o encontro com o empresário, mas negou peremptoriamente as denúncias. E avisou que não renunciaria.

Balança, mas não cai

À noite, o Supremo autorizou a divulgação dos áudios da conversa do empresário com o presidente e eles não confirmaram as denúncias. Houve, na verdade, uma interpretação das falas. Muitos trechos inaudíveis. A gravação está sendo periciada pela Polícia Federal.

O fato é que, depois disso, o presidente Michel Temer nunca mais foi o mesmo. Ainda no mesmo dia começaram a pipocar os pedidos de impeachment, que totalizam 18.

A agonia de seu governo completa um mês hoje.  E muita coisa aconteceu. A principal delas é a guerra declarada entre Ministério Público Federal e Governo.  Houve também a devolução da mala com R$ 500 mil entregue por um executivo da JBS ao deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto do grupo. O próprio Loures acabou preso e vem sendo apontado como homem-bomba.

Até aqui, falharam as datas dadas como certas para o fim do governo. No dia da renúncia, deu o fico; no dia da cassação da chapa Dilma-Temer, no TSE, uma solução apontada para a crise, deu absolvição. O presidente vem sobrevivendo a duras penas, respirando com o que lhe resta de sustentação no Congresso.

Nova investida

A próxima investida contra ele será a denúncia da Procuradoria-Geral da República, que precisa ser aprovada pela Câmara Federal para seguir em frente. Ela precisará estar bem fundamentada, com provas, para ser aceita. Os parlamentares desconfiam que, se o presidente cair, eles podem ser os próximos.

O noticiário sobre a crise vem perdendo força, pois, na falta de algo mais devastador, a imprensa vem derivando para outras pautas menos impactantes, como reformas nas casas de uma filha e da sogra do presidente pagas supostamente com dinheiro de origem duvidosa. Algo parecido com os tais pedalinhos do sítio de Atibaia, que enfraqueceram as denúncias da Lava-Jato contra o ex-presidente Lula. 

Quem cedo madruga

Quem não está muito interessado em eleição, faz como o prefeito Firmino Filho, que apresenta uma desculpa razoável para se manter fora da disputa de 2018. Ele alegou que a crise política e econômica não autoriza, no momento, o encaminhamento de acordos para as próximas eleições estaduais.

O prefeito vem sendo assediado por lideranças da oposição para marchar com elas a partir de agora. A ideia é transformar Firmino em uma das opções para a sucessão estadual do ano que vem. O tucano não abandonou o sonho de ser governador, mas, pelo que adiantou, não está disposto a se meter em aventura.

Quem, ao contrário do prefeito, tem vontade de ser candidato de verdade faz como o governador Wellington Dias, que madrugou e começou a sua campanha de reeleição já depois de ser eleito em 2014. Ele chamou para a sua equipe todos os deputados eleitos pelo PTB, um a um, à margem do comando partidário.

Sua estratégia praticamente implodiu o PTB no Piauí. Àquela altura, o partido tinha condições de apresentar um candidato próprio à sucessão de 2018, o senador Elmano Férrer, cuja liderança foi sendo minada e ele acabou se transferindo para outro partido, o PMDB.

O governador investiu também contra as bases de outro potencial concorrente para as próximas eleições, o PP do senador Ciro Nogueira. Em relação ao PP, porém, sua estratégia falhou, pois o partido conseguiu avançar no interior do Estado nas eleições municipais do ano passado.

Ao longo do tempo, Wellington fez muitas outras articulações para fortalecer a sua candidatura. A última foi a de levar o PMDB para o seu governo. Ao mesmo tempo, procura acalmar os companheiros do PT que são contra a renovação da aliança com o PP para as eleições de 2018.

Foto: Pablo Cavalcante

O deputado Rodrigo Martins nos estúdios da Rádio Cidade Verde

Sem recesso

O deputado federal Rodrigo Martins (PSB) entende que o Congresso Nacional não deve entrar de recesso em julho.

Segundo ele, diante da gravidade da crise política, o parlamento deve estar a postos para ajudar a encontrar soluções.

Delação

O jornal O Estado de S. Paulo publicou ontem que o Grupo J&F, dono da JBS, encaminhou aos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal um levantamento no qual compara os números da delação do empresário Joesley Batista, um dos acionistas do grupo, com a de outros colaboradores.

Pelo crivo do STF

O material faz uma defesa prévia do acordo homologado pelo relator da Lava Jato na Corte, ministro Edson Fachin – o termo tem sido criticado por supostos excessos nos benefícios aos colaboradores.

A homologação do acordo de delação dos acionistas e executivos da J&F será discutida pelo plenário do Supremo.

Campeão

Segundo o levantamento, Joesley foi quem mais delatou agentes públicos. O empresário e o diretor da J&F Ricardo Saud, conforme o documento, citaram 1.893 pessoas.

Na comparação, a delação de Marcelo Odebrecht aparece em segundo lugar (70 políticos). Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia (50), Otávio Marques Azevedo, da Andrade Gutierrez (32), Sérgio Machado, ex-diretor da Transpetro (31) e Ricardo Pernambuco, da Carioca Engenharia (9) aparecem nessa ordem no material.

Saco de bondades

Um dos pontos mais contestados do acordo da JBS, a imunidade concedida a Joesley e aos outros seis executivos delatores de seu grupo. Dos outros colaboradores, todos cumprirão algum tipo de pena.

Embora o número de políticos citados seja considerado o principal “trunfo” de Joesley para justificar o acordo de delação, no material enviado ao Supremo não há detalhes sobre como cada repasse foi feito nem quais contrapartidas foram pagas por cada político.

Foto: cidadeverde.com

Senador Ciro Nogueira: retomada do Luz Para Todos

Luz Para Todos

O senador Ciro Nogueira (PP) anunciou que em 30 dias será retomado o Programa Luz Para Todos no Piauí. Ele disse que todas as articulações nesse sentido já foram feitas em Brasília.

O Luz Pata Todos está parado no Piauí há vários anos. Faltam mais de 16 mil ligações.

O Piauí será o último Estado a concluir o programa.

Internado

O ex-prefeito de Corrente, Jesualdo Cavalcanti, foi internado na UTI do Hospital Unimed Primavera, em Teresina.

Segundo a esposa, Socorro Cavalcanti Rocha Barros, Jesualdo apresentou febre discreta desde domingo, quando retornou de uma visita ao município de Corrente.

Na quarta-feira, após consulta aos médicos e realização de exames, foi constatada uma infecção do canal biliar que acarretou uma crise de insuficiência renal.

Ontem, o ex-prefeito fez diálise e submeteu-se a um procedimento para desobstruir o canal biliar.

Foto: portalcorrente.com

Jesualdo Cavalcanti: internado

* O ex-presidente Fernando Henrique voltou à cena política fazendo campanha para Lula.

* O limite de velocidade máxima nas BRs do Piauí caiu para 100 km/h. Muita gente ainda não sabe disso.

* A 8ª Caminhada da Fazenda da Paz será realizada dia 25, na Avenida Frei Serafim.

* Ontem, foi realizada em Teresina a Marcha para Jesus, organizada pelos evangélicos piauienses, com a participação de milhares de pessoas.

Começo e fim

Do humorista Fraga:

- Longevidade: esse movimentado intervalo entre as primeiras peraltices e as últimas patetices.

Posts anteriores