Cidadeverde.com

Boate da Acessiblidade é 1º caminhão a adentrar a avenida do Corso

  • 14.jpg Arquivo pessoal
  • 9.jpg Arquivo pessoal
  • 10.jpg Arquivo pessoal
  • 11.jpg Arquivo pessoal
  • 8.jpg Arquivo pessoal
  • 1.jpg Arquivo pessoal
  • 2.jpg Arquivo pessoal
  • 3.jpg Arquivo pessoal
  • 4.jpg Arquivo pessoal
  • 13.jpg Arquivo pessoal
  • 5.jpg Arquivo pessoal
  • 6.jpg Arquivo pessoal
  • 12.jpg Arquivo pessoal
  • 7.jpg Arquivo pessoal

O primeiro caminhão a entrar na avenida Raul Lopes no Corso de Teresina, que acontece neste sábado (30) a partir da 16h, tem o tema Boate da Acessibilidade, onde vão desfilar pessoas portadoras de deficiências, como cadeirantes, muletantes, com síndrome de Down, além de outros. 

São cerca de 65 foliões em cima do carro, que de acordo com uma das organizadoras, a empresária Gilmara Costa, acaba sendo um caminhão da diversidade, porque também vão estar presentes representantes do movimento LGBT, ou qualquer pessoa que quiser participar.

Ela explica que há dois anos, a Prefeitura determinou que ele seja o primeiro veículo a adentrar a Raul Lopes, logo depois da passagem do Rei Momo e da Rainha do Carnaval.

“A gente quer agregar o maior número de pessoas possíveis que tenham interesse em ir no nosso caminhão. Portanto, ele não é um carro em que só participam pessoas com deficiência. A gente recebe quem quiser participar”, conta Gilmara

Ela explica que há uma escada adaptada que é acoplada ao veículo para facilitar a entrada e saída das pessoas com necessidades especiais e que a concentração do carro acontece no bairro Lourival Parente, zona sul de Teresina.

Gilmara conta que a empolgação e a alegria na avenida é sempre a mesma e que está crescendo ainda mais, porque percebe que a classe com deficiência é a cada dia mais respeitada nos seus direitos. Para ela, um bom exemplo é o destaque e o espaço que a Prefeitura dá para as pessoas com deficiência no pré-carnaval do Corso.

O caminhão é animado pela banda Xenhenhém desde 2014 e prometem fazer a festa neste ano novamente. 

“Hoje a gente vê que as pessoas com deficiência têm mais espaço, que elas são mais respeitadas, e um exemplo disso é o nosso caminhão, que agora é o primeiro que entra na avenida”, fala a organizadora demonstrando a satisfação de participar da festa", finaliza Gilmara.  

 A filha de Gilmara, Maria Eduarda, foi homenageada no caminhão de 2014 e no ano passado o tema foi Heróis da Superação. 

 

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com