Cidadeverde.com

Mulheres que sofrerem assédio no Corso poderão denunciar no Observatório da Mulher

Todo ano a história se repete: puxões de cabelo, toques indesejados, beijos forçados e outros atos de violência contra a mulher são registrados durante o período de Carnaval. Com objetivo de coibir qualquer tipo de agressão e assédio contra as foliãs no momento das festas, uma unidade móvel da Coordenadoria de Estado de Políticas para as Mulheres do Piauí (CEPM) vai estar na avenida para receber as denúncias.

A instituição retoma uma campanha lançada há dois anos: “O Corpo da Mulher Não é Folia” e a primeira ação acontece no Corso de Teresina, evento que reúne milhares de pessoas em todas as edições.

Durante o Corso, as foliãs poderão denunciar casos de violência no “Observatório da Mulher”, que é uma unidade móvel que prestará atendimento psicológico e social.  A equipe da CEPM e a Comissão de Mulheres da OAB estarão preparadas para fazer o devido atendimento e encaminhar as denúncias para a delegacia de gênero. A ação conta também com a parceria da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM).

“Este ano vamos disponibilizar uma unidade móvel com uma equipe de psicólogas, assistente social e uma equipe da comissão da mulher da OAB, para que, qualquer mulher que passou por algum tipo de agressão, abuso e/ ou assédio, possa se dirigir até o nosso espaço, e lá nós a encaminharemos até a delegacia de gênero”, afirmou a coordenadora de Políticas para Mulheres, Haldaci Regina. 

Além disso, durante os eventos carnavalescos que ocorrem no interior do Piauí, serão entregues materiais de caráter preventivo e informativo.


Da redação
redacao@cidadeverde.com