Cidadeverde.com
Diversidade

Lançamento dos livros 'A bacia de Proust' e 'Uma questão de jeito' -Livraria Anchieta

As peças que se encontram reunidas nesta proposta de publicação lidam com temas bastante contemporâneos e que causam muito debate em torno de algumas questões tabus e que dialogam com a pós-modernidade.

Na coletânea, estão textos que já foram encenados A BACIA DE PROUST, premiado com o Troféu em cena 2018: melhor texto; ENTREGA PARA JEZEBEL: contemplado com o PROAC-SP, entre outros que já foram lidos (Leituras dramáticas) em cidades como São Paulo, Brasília, Goiânia e Teresina.

A peça A BACIA DE PROUST é um solo dramático de um homossexual que precisa realizar banhos de assento para curar suas feridas emocionais. Este ritual o coloca em constante questionamento e rememoração de suas atitudes passadas e o envolvimento que tem com um cara que o visita regularmente. Os banhos se tornam uma constante em sua vida e estes momentos de preparação do banho promovem profundo questionamento de sua sexualidade; suas angústias e seu passado lúdico.

A peça ENTREGA PARA JEZEBEL tem como protagonista travesti que enfrenta todos os problemas da sociedade e da cidade que a engole viva. Ainda por cima, cuida de Eduardo, menino abandonado pela melhor amiga, cuja tutoria fica ao cargo de Jezebel. Os conflitos desta travesti que ora se vê nas ruas, ora se vê nas funções da maternidade são o leitmotiv desta peça que foi criada para a empregabilidade de artistas trans no cenário teatral local.

A peça O CADERNO VERMELHO DE ATOS IMPUROS trata de uma história de um duplo (com leva inspiração na vida de Pasolinni). O diálogo é travado entre aquele que seria Pasolini e o outro o seu último amante e algoz. A peça se estrutura numa ação dinâmica e psicológica, tentando enveredar pelo caminho dos amantes e sua trágica história.

A peça ONDE ESTÁ A REVOLUÇÃO é uma sátira ao estado acirrado de opiniões sobre a questão das ideologias e crenças políticas. Está para um pastiche da obra de Beckett, Esperando Godot, na qual dois malucos tentam criar uma revolução dos comportamentos.

A peça DOROTHY tematiza a questão do estupro de vulnerável, um monólogo forte e visceral sobre a vida de uma mulher que viveu este drama

Fonte: ASCOM