Cidadeverde.com

BC corta mais uma vez os juros e Selic cai para 5,5%

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil


O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu cortar a taxa básica de juros da economia brasileira em 0,5 ponto percentual. Com isso, a Selic chega a 5,5% ao ano, permanecendo com o status de menor patamar da história.

A decisão já era esperada por praticamente todo o mercado. A expectativa é que na próxima reunião, nos dias 30 e 31 de outubro, o Copom corte ainda mais os juros, descendo a Selic para 5% ao ano.

Esse percentual deve permanecer, segundo a previsão do mercado, até o final de 2020.

Clique aqui para ver mais informações sobre a Selic.

Presidente da CNI visita escolas no PI e promete "recursos consideráveis"

  • presidente_do_CNI-34.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-33.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-32.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-31.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-30.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-29.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-28.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-27.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-26.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-25.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-24.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-23.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-22.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-21.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-20.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-19.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-18.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-17.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-16.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-15.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-14.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-13.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-12.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-11.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-10.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-9.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-8.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-7.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-6.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-5.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-4.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-3.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI-2.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • presidente_do_CNI.jpg Roberta Aline / Cidade Verde


O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, está em Teresina nesta quarta-feira (18) para visitar uma escola do Sesi e uma do Senai que serão reconstruídas. A visita também serve para definir o valor de novos investimentos no setor industrial do Piauí.

Segundo o presidente da Federação das Indústrias do Piauí (Fiepi), Zé Filho, grande parte dos recursos para as obras é proveniente do departamento nacional e foi autorizada por Robson Braga. 

A primeira escola visitada foi a Escola Sesi Conselheiro Saraiva, no Distrito Industrial. O presidente da CNI foi recebido com carinho pelos estudantes, que apresentaram a ele uma série de projetos desenvolvidos na escola na área de tecnologia e inovação.

"Nos dá muito ânimo quando vemos a indústria investir na formação das crianças. Aqui vejo meninos inteligentes, preparados. Isso é que vai mudar o Brasil. Junto com o presidente da Fiepi, José Filho, vamos viabilizar mais investimentos necessários", declara Robson Braga.

O presidente da CNI não revelou o valor dos próximos investimentos, apenas garantiu que serão de grandes proporções. "Vamos colocar muitos recursos aqui para modernizar as escolas e são investimentos importantes na educação fundamental e básica e também na profissional, bastante consideráveis", afirmou.

Os projetos apresentados ao presidente da CNI foram: uma prótese de braço, um sistema de adaptação para que as cadeiras de rodas possam subir calçadas com mais facilidade, um aplicativo que avisa quando o botijão de gás está secando e um robô programado para resgatar vítimas em locais de difícil acesso.

Zé Filho acrescenta que a visita de Robson Braga tem o objetivo de mostrar o que a indústria tem feito pela educação local e avaliar novas formas de investimento.

"Nós vamos reformar essas escolas. Quando ele voltar para inaugurar, vai ver a diferença. Essas escolas são da década de 70. Ele também veio ver como precisamos desses investimentos. Queremos preparar a nossa juventude para o futuro, a meninada para essa nova fase da tecnologia e inovação, da indústria 4.0", disse.

A Escola Sesi Conselheiro Saraiva tem capacidade para 715 alunos, do ensino infantil ao médio. Com a reconstrução, a capacidade subirá para 2.210 alunos. A obra está em fase de licitação. Quando for iniciada, os alunos serão transferidos para outro prédio. A educação tecnológica está presente na grade curricular da escola do 1º ano do ensino fundamental até o final do ensino médio, com o objetivo de qualificar os alunos para o mercado de trabalho, já que a falta de mão de obra qualificada é um dos principais desafios do setor industrial.

A segunda escola a ser visitada foi o Centro de Formação Profissional do Senai Candido Athayde, no bairro Primavera. Lá, as obras já foram iniciadas.

Indústria no Piauí

Robson Braga considerou que, apesar da produção industrial do Piauí ainda ser pequena, o estado tem muito potencial em diversas áreas, especialmente na agroindústria. 

"É um estado muito rico para o plantio de diversas culturas e isso está despertando interesse de pessoas do Sul que querem vir para cá e, certamente, isso vai atrair indústrias de diversos tipos. Tem a questão da mineração e a proximidade do Piauí quanto aos Estados Unidos, a saída para o mar, isso facilita a implantação de empresas voltadas para exportação", pondera.

O presidente destacou que voltou há pouco tempo do Encontro Econômico Brasil Alemanha (EEBA) e que viu que os europeus estão percebendo "que o Brasil não é só Sul e Sudeste".

Palestra

Na noite desta quarta-feira, o presidente da CNI vai ministrar uma palestra aos empresários piauienses, no Bliss Favorito Bufett, e receberá a Medalha do Mérito Industrial Simplício Dias.

"Vou conversar com empresários daqui, sentir as dificuldades que eles estão sentindo, especialmente em relação à reforma tributária e trabalhista, necessidade de investimento em infraestrutura. Quero entender melhor as demandas, as necessidades, para poder defender o empresariado do Piauí no Brasil", explicou.

Índice que reajusta aluguel registra deflação na 2ª prévia do mês

Foto: Arquivo / Agência Brasil

O índice que reajusta os contratos de aluguel (IGP-M) registrou deflação de 0,28% na segunda prévia de setembro. Na segunda prévia de agosto o IGP-M teve uma deflação mais intensa, de 0,68%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (18) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Acumulado

Com o resultado da segunda prévia de setembro, o IGP-M acumula inflação de 3,80% no ano e de 3,08% em 12 meses.

Causas

Segundo a FGV, alta da taxa da prévia de agosto para setembro foi provocada pelo aumento de dois subíndices. A taxa de inflação do Índice Nacional do Custo da Construção subiu de 0,15% na segunda prévia de agosto para 0,67% na segunda prévia de setembro.

Já a deflação do Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, teve uma deflação mais moderada no período. Se na prévia de agosto registrou queda de preços de 1,11%, em setembro a deflação ficou mais moderada (-0,52%).

Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, teve queda na taxa, ao passar de uma inflação de 0,21% em agosto para uma deflação de 0,05% em setembro.

BNB prevê aplicar R$ 2,5 bilhões com recursos do FNE no Piauí em 2020

Foto: Ascom / BNB

O Banco do Nordeste promoveu na terça-feira (17) um amplo debate com entidades parceiras e representantes dos setores produtivos do Estado para programar a alocação de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para 2020. O crédito total pode chegar a R$ 2,5 bilhões.

De acordo com o estabelecido em reunião, a expectativa para divisão dos recursos do FNE deverá contemplar, inicialmente: R$ 660 milhões para agricultura;  R$ 315 milhões para pecuária; R$ 55 milhões para indústria; R$ 55 milhões para agroindústria, R$ 15 milhões para turismo, além de R$ 410 milhões para comércio e serviços. Somente para projetos de infraestrutura no Estado, o BNB deve direcionar mais R$ 1 bilhão.

"Avaliar, de forma participativa, como melhor aplicar nossos recursos, é de suma importância para o Banco do Nordeste. Ressaltamos que, se o Piauí necessitar de mais recursos, o BNB disponibilizará novos recursos para investimentos, para apoiá-los. Temos, como nossa missão, desenvolver a Região Nordeste, ver as pessoas melhorando suas condições de vida, gerando suas próprias rendas. Esse é nosso maior patrimônio, nosso maior lucro", afirmou o diretor de Negócios da instituição, Antônio Rosendo.

O encontro também contou com prestação de contas relativa às contratações efetivadas, pelo BNB, em 2017, 2018 e primeiro semestre deste ano, conduzida pelo superintendente estadual, Expedito Neiva."Em 2018, nossas aplicações tiveram acréscimo de 15% quando comparadas ao exercício anterior. Neste ano, já superamos o montante aplicado em 19%. Almejamos ultrapassar o estabelecido para 2019, para que possamos fazer mais e melhor pela classe produtiva piauiense", enfatizou o gestor.

Além de representantes da Superintendência do Banco do Nordeste no Piauí e diretor de Negócios, participaram do evento, pelo BNB, gestores da rede de agências do Estado, bem como o gerente do Ambiente de Políticas de Desenvolvimento, Irenaldo Rubens Nunes Soares.

O que é o FNE

O FNE é uma conquista regional obtida na Constituição de 1988, que destinou 1,8% do produto da arrecadação dos impostos sobre renda e proventos de qualquer natureza e sobre produtos industrializados para aplicação em programas de financiamento aos setores produtivos da área de atuação da Sudene. O Banco do Nordeste é o gestor do Fundo.

*Matéria originalmente publicada na terça-feira e atualizada às 10h desta quarta-feira.

PPP do Piauí Center Moda é lançada; empresa terá que revitalizar o local

Foto: Divulgação / Suparc


Foi lançado na terça-feira (17) o edital de licitação para a concessão do Piauí Shopping Center Modas, que é o pavilhão de feiras e eventos Governador Guilherme Mello. Pelo edital, a parceria com a iniciativa privada (PPP) tem o objetivo de viabilizar a reforma, ampliação, modernização, operação e manutenção do equipamento.

A ideia é revitalizar o espaço, transformando-o em um shopping vocacionado e popular para fortalecer os setores têxtil, calçadista e de acessórios de produção local, bem como gerar emprego e renda para a população.

A concessionária contratada terá que ampliar os produtos oferecidos para o atacado e varejo, privilegiando o ramo da moda, além de oferecer à população novos espaços de consumo, entretenimento e serviços. O edital prevê: 

- Renovação do piso
- Nova cobertura termo acústica com renovação da fachada
- Iluminação de leds de alta performance
- Implantação do sistema de ar condicionado na praça de alimentação
- Implantação de amplo sistema de segurança com equipe treinada e equipada
- Ambientação e mobiliários contemporâneos
- Construção de um deck na praça de alimentação
- Sistema de sonorização
- Controle de estacionamento
- Ampliação do estacionamento em mais de 20 mil metros quadrados (capacidade para 800 veículos simultaneamente)

O shopping está localizado no cruzamento das BRs-316 e 343, uma área que tem circulação de aproximadamente 15 mil veículos por dia. 

Atualmente, o espaço conta com 134 unidades comerciais e forte comércio no setor de vestuário e calçadista. O prazo de concessão será de 25 anos e a empresa terá o período de 12 meses para promover as obras de requalificação do local.

O edital de licitação já está disponível (clique aqui). A sessão de licitação será no dia 21 de outubro de 2019, às 09h, no Auditório da Secretaria da Administração e Previdência do Estado do Piauí (Seadprev).

Governo prorroga concurso para agente penitenciário por mais 2 anos

Foto: Sejus / divulgação

O governador Wellington Dias (PT) assinou a prorrogação, por mais dois anos, do concurso da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), cuja validade seria encerrada no dia 20 de outubro de 2019. O concurso foi homologado em 2017 e convocou mais de 100 novos agentes para os quadros da administração pública. 

O secretário de Estado da Administração e Previdência, Merlong Solano, destaca que a medida permite ao Estado ter tempo para superar as limitações da Lei de Responsabilidade Fiscal, a fim de que seja possível fazer novas nomeações. 

Dentre os candidatos aprovados que fizeram o curso de formação no ano passado, 43 aguardam nomeação, além de 166 candidatos classificados que estão à espera do início de um novo curso de formação. 

“É natural que o Estado necessite recompor o quadro de servidores ao longo do tempo em virtude de mortes e aposentadorias, e do próprio crescimento da população carcerária. Paralelo a isso, teremos a inauguração da Cadeia Pública de Altos, aumentando a demanda por agentes”, explica o secretário de Estado da Justiça, Carlos Edilson.

Festa do Bode acontece de 10 a 13 de outubro em Batalha

Foto: Divulgação do evento

 

O município de Batalha será palco da 12ª Feira do Bode, que reúne gastronomia, ecoturismo, shows , leilão, artesanato e oportunidade de negócios.  O evento é uma das mais importantes exposições agropecuárias norte do estado e acontece de 10 a 13 de outubro. 

Realizada pela Prefeitura, em parceria com o Sebrae e Governo do Estado, a feira tem o objetivo de promover a cadeia produtiva da caprinovinocultura e estimular o turismo local.  Na programação, palestras, seminários e cursos voltados para criadores, empresários e a escolha do rei e Rainha do Bode. 

A noite, o palco receberá grandes atrações, como  Desejo de Menina, Moleca Sem Vergonha, Conde do Forró, Casadões do Forró, Toda Boa, Japa, Marcus Julião, Jorge dos Teclados e Bil Bala.

Thiago Nigro revela o 'pilar da riqueza' e como investe o próprio dinheiro

Foto: Ascom / Ópera Projetos

 

"O segredo é investir primeiro e gastar só depois. A fórmula é essa: receita - investimento = despesas". Essa foi a base da palestra de Thiago Nigro, um dos maiores Youtuber da área de finanças no Brasil e autor do livro “Do Mil ao Milhão: sem cortar o cafezinho”.

Em Teresina, o criador do canal “O primo rico” defendeu que ao receber sua renda, a pessoa deve primeiro "se pagar", ou seja, investir uma parte. O que sobra é o que fica para os gastos. 

"As pessoas estão seguindo a fórmula errada. Estão fazendo: receita - despesas = investimentos. Não é assim. Tem que primeiro investir e gastar o que sobra, e não gastar e investir o que sobra", reforçou.

Em cerca de 1h30, com auditório lotado, Nigro enfatizou a importância do que ele chama de "os três pilares do enriquecimento":

- Gastar bem
- Investir melhor
- Ganhar mais

"Você gastar errado uma vez na vida não é o problema. O problema é quando você gasta errado todo mês. Os gastos devem ser planejados. A mentalidade de 'pobre' é gastar por impulso. Gastar errado todo mês te deixa miserável", destacou.

Foto: Ascom / Ópera Projetos

Nigro chamou uma pessoa da plateia para montar a carteira de investimentos ideal. Entre as ideias defendidas pelo Youtuber, estão: poupar o suficiente para ter o equivalente a 6 vezes o seu custo de vida, investir esse valor em renda fixa de alta liquidez e depois que atingir esse valor, investir para longo prazo.

Foto: Reprodução Instagram / @thiagonigro

No exemplo que ele usou, a participante tinha custo de vida mensal de R$ 20 mil. Ela precisaria, portando, de R$ 120 mil (20x6) para sua reserva de emergência. Esse valor poderia ser investido em CDB diário, no Tesouro Direto ou em conta corrente remunerada, por exemplo, contanto que fosse em renda fixa (risco baixo) e liquidez diária (poder tirar quando precisar). Ter essas duas características implica em uma rentabilidade menor.

Já para atingir sua liberdade financeira, o guru das finanças aconselha a investir em longo prazo, com risco médio, baixa liquidez e alta rentabilidade.

"Meu patrimônio é dividido assim: 25% em ações no Brasil; 25% em investimentos internacionais; 25% em fundos de investimento e 25% na renda fixa para fazer caixa", explicou. 

A palestra foi promovida pela Ópera Projetos.

Feira de Imóveis começa hoje e promete condições especiais

Foto: Ascom / Sinduscon

 

A Feira de Imóveis 2019 começa nesta terça-feira (17), no Teresina Shopping. O evento vai oferecer condições especiais para quem quer comprar a casa própria. 

Estão sendo oferecidos imóveis de 10 construtoras diferentes, com várias faixas de preços. A Caixa disponibilizará financiamentos com as menores taxas de juros do mercado. 

Francisco Reinaldo, presidente do Sinduscon, ressalta a expectativa animadora para a realização de bons negócios.  O evento segue até dia 22 de setembro.

“As empresas estão preparadas para oferecer diversos imóveis aos clientes e já pensando no lançamento de futuros empreendimentos. A feira é destinada para o público de um modo geral e representa uma oportunidade muito boa para adquirir o imóvel tão desejado. A Caixa Econômica é o maior agente financeiro na parte habitacional e estamos juntos em uma parceria com o objetivo de alavancar as vendas”, disse Francisco Reinaldo. 

A Caixa vai disponibilizar a modalidade de financiamento imobiliário atrelado ao IPCA, que reduz o valor das primeiras parcelas.

Começa a reunião para definir se haverá novo corte na taxa de juros

Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil

Começa nesta terça-feira (17), em Brasília, a 6ª reunião deste ano do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que vai definir a taxa básica de juros – a Selic. 

A reunião do Copom termina amanhã (18), quando o valor da Selic será anunciado. 

O mercado financeiro aposta na redução da Selic em 0,5 ponto percentual. Atualmente a taxa básica de juros da economia brasileira está em 6% - que já é o menor patamar da história.

Se confirmada a queda prevista, a Selic vai para 5,5% ao ano. A estimativa do mercado, entretanto, é que na próxima reunião, que acontece em outubro (30 e 31), a taxa caia para 5%. Já na última reunião do ano, em dezembro (11 e 12), o Copom deve optar pela manutenção da taxa. 

Na reunião passada, no final de julho, o Copom cortou 0,5 ponto percentual, surpreendendo o mercado, que esperava corte de, no máximo, 0,25 p.p.

Meta de inflação
A taxa básica de juros é o principal instrumento do banco para alcançar a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Neste ano, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. Para o mercado financeiro, a inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar abaixo do centro da meta, em 3,54%. Para 2020, a previsão também está abaixo da meta (4%), em 3,82%.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, o Copom precisa estar seguro de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

Foto: Imagem Copom (divulgação)

Posts anteriores