Cidadeverde.com

Teresina: professores da rede municipal devem ter reajuste de 12,84%

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com


A Prefeitura de Teresina deve conceder, integralmente, o reajuste de 12,84% no piso dos professores da rede pública, anunciado ontem (16), pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A Coluna Economia & Negócios do Cidadeverde.com apurou que o prefeito Firmino Filho (PSDB), já se reuniu com o secretário de Finanças, Francisco Canindé, e pediu um estudo sobre o impacto do reajuste nas contas municipais - mas já autorizando o pagamento.

Teresina já paga acima do mínimo necessário. Enquanto o piso estava em R$ 2.557,74, na capital do Piauí, o mínimo pago aos professores era R$ 3.700. Com o reajuste de 12,84%, o salário vai para mais de R$ 4.100.

Presidente da APPM: alta de 12,85% no piso dos professores 'vai ser muito difícil'

Foto: Arquivo / Cidadeverde.com

O piso salarial dos professores da educação básica terá aumento de 12,84% em todo o país. A informação foi confirmada na noite de quinta-feira (16) pelo próprio presidente, Jair Bolsonaro (sem partido) e pelo ministro da Educação Abraham Weintraub.

Com a revisão, o valor do salário base para os professores da rede pública da Educação Básica passou de R$ 2.557,74 para R$ 2.888,24. Este é, de acordo com o MEC, o maior aumento desde 2009, sem levar em consideração a inflação.

O reajuste pegou os prefeitos do interior do Piauí de surpresa. Segundo o presidente da Associação Piauiense de Municípios (APPM), Jonas Moura, será muito difícil conseguir cumprir o piso porque o aumento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) é de apenas 5,1% para o Nordeste.

"Os municípios terão que fazer uma complementação de quase 8% para chegar a esse reajuste. Vai ser muito difícil conseguir cumprir esse piso. Hoje, a grande maioria dos municípios já paga os professores com dificuldade. Ano passado o reajuste foi bem menor. Esse ano surpreendeu", declara Jonas Moura.

O presidente da APPM diz que até terça ou quarta-feira da próxima semana (dias 21 e 22) será apresentada uma proposta ao Ministério da Educação. "Queremos uma contrapartida para conseguir pagar esse reajuste", enfatiza.

Cálculo

O cálculo automático é atrelado à variação do Fundeb.  Na conta, é considerada a variação no investimento mínimo por aluno nos estados com menor arrecadação no exercício anterior. No ano passado, os alunos desses estados receberiam R$ 3.238,52 por ano. Com a melhora na arrecadação dos estados, no fim do ano, esse valor subiu para R$ 3.440,29 - alta de 12,84%.

Setor de Serviços do Piauí registra o 2º maior crescimento do país

Foto: Jordana Cury / Economia&Negócios / Cidadeverde.com

Em novembro de 2019, o setor de serviços no Piauí teve crescimento de 1,6% frente ao mês anterior. Com isso, registrou o segundo maior crescimento do país, atrás apenas de Roraima, que teve alta de 5,2%. 

Apenas 10 estados registraram alta no setor de serviços em novembro, segundo os dados divulgados nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em comparação com o mês de novembro do ano passado, entretanto, o volume de serviços apresentou retração de 2,5%. Apesar da queda, o número foi bem melhor que a comparação dos meses anteriores com o ano passado: outubro: -7% e setembro: - 6,1%.

Por causa dos meses de queda significativa, os acumulados do ano e dos últimos 12 meses estão negativos (-5,6% e -5,7%, respectivamente).

Receita 

A receita nominal do setor de Serviços do Piauí também teve crescimento (1,8%) em novembro, quando comparado a outubro, e também só ficou atrás de Roraima (3,4%). Comparado ao mesmo mês do ano passado, entretanto, o número é negativo (-1,9%).

No acumulado do ano (-5,1%) e dos últimos 12 meses (-4,9%) permanecem negativos.

Números nacionais

Em novembro de 2019, o setor de serviços no Brasil mostrou ligeira variação negativa (-0,1%) frente ao mês anterior, após crescimento acumulado de 2,2% entre setembro e outubro. Na série sem ajuste sazonal, contudo, o total do volume de serviços avançou 1,8% em novembro de 2019 frente a igual mês do ano anterior, alcançando a terceira taxa positiva consecutiva.

Só 1 em cada 10 brasileiros têm renda para pagar despesas do início do ano

Foto: Yasmim Cunha / Cidadeverde.com

Passada a euforia das compras de Natal e das comemorações de Réveillon, chega o momento de organizar o pagamento das tradicionais contas de início de ano.

Levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que apenas 11% dos consumidores brasileiros têm condições de pagar as despesas sazonais deste período, como IPTU, IPVA e material escolar, com os próprios rendimentos, sem que seja necessário fazer uma economia ou reserva financeira ao longo do ano.

A pesquisa ainda mostra que 22% dos entrevistados não fizeram qualquer planejamento para pagar esses compromissos em 2020.

Como se organizaram

- 26% tiveram de economizar nas festas e com as compras de Natal para conseguir pagar as despesas de início de ano

- 21% guardaram ao menos parte do 13º salário para honrar os compromissos

- 17% disseram ter montado uma reserva ao longo de 2019 para cobrir os gastos no futuro

- 14% passaram a fazer algum bico para acumular uma renda extra.

Quem já se organizou para este momento está em situação mais confortável do que aqueles que terão de parcelar as despesas.

De acordo com um levantamento do SPC Brasil, na média, o brasileiro que parcelou suas compras natalinas vai terminar de pagar essas prestações somente no mês de abril, o que sinaliza um orçamento comprometido para além do primeiro trimestre do ano.

Economia Fácil: os prós e os contras de abrir uma franquia

 

Por venderem negócios com modelos já estabelecidos, as franquias são consideradas uma opção menos arriscada para os empreendedores, mas essa facilidade tem um preço e, por isso, costumam ser mais caras que as empresas criadas do zero.

Isso acontece porque, para abrir uma franquia, você precisa pagar a taxa de franquia, que costuma ter um valor razoável, e seguir as regras de instalação impostas pelo contrato. Isso inclui, por exemplo, móveis, máquinas e materiais específicos, que muitas vezes são enviados pela própria marca e, portanto, você não tem a opção de pesquisar preços mais baixos.

O local de instalação do negócio é determinado ou tem que ser aprovado pela direção da franquia. Além disso, há também valores mensais a serem pagos, como os royalties, que é o que você paga por usar a marca, e a taxa de publicidade e propaganda. Esses valores, geralmente, são cobrados em percentuais sobre o faturamento, mas têm um valor mínimo, que no começo pode pesar bastante. 

Em outras palavras, você vai ser dono do seu próprio negócio, mas vai ter que obedecer regras de terceiros.

Para muitos especialistas, esse é um bom começo para quem está entrando no mundo dos empreendedores porque as franquias costumam fazer treinamentos de venda e de administração do negócio e você acaba tendo uma assistência maior em vários aspectos.

Mas, antes de fechar negócio com a franquia, avalie bem dois pontos:
1 – Veja se a franquia é filiada à Associação Brasileira de Franchising, porque pra fazer parte da ABF é preciso ter critérios de qualidade indispensáveis, que tornam sua escolha mais segura. 
2 – Peça a Circular de Oferta da Franquia, que é o COF. Esse documento traz detalhes do que a franquia vai exigir de você, qual o faturamento médio do negócio, o tíquete médio dos clientes, o valor mínimo para começar a operação, o balanço financeiro da empresa, a lista de franqueados ativos e também os que se desligaram da franquia nos últimos 12 meses.

Você deve tirar várias dúvidas com a direção da franquia, mas converse também com outros franqueados e com esses que se desligaram. Escolha aleatoriamente, não aceite a sugestão da franquia.

São essas pessoas que vão te falar os macetes do negócio, os pontos fortes e fracos, vão apontar os defeitos e, se você tiver sorte, talvez eles lhe mostrem como fugir de alguns problemas iniciais.

Pra fechar sua decisão, pese bem os prós e os contras. Veja se você realmente está disposto a seguir as regras e se a franquia não está prometendo resultados impossíveis. Para ter certeza, converse com um contador. 

Outra coisa, veja se você tem afinidade com a marca e com o tipo de negócio. Para abrir um bar, por exemplo, você terá que trabalhar nos finais de semana e às noites e isso desanima muita gente. 

O quadro Economia Fácil é exibido todas as quinta-feiras, no Notícia da Manhã. Veja abaixo os quadros das últimas semanas:

Economia fácil: veja como investir ajuda a controlar a inflação

Economia Fácil dá dicas de como economizar na compra de material escolar

Economia Fácil traz dicas para não se endividar na compra dos presentes

Economia Fácil explica por que não se deve deixar a dívida prescrever

Economia Fácil: como a mudança na Selic impacta no seu bolso

Economia Fácil traz dicas sobre como financiar o próprio negócio

Economia Fácil: os 5 erros mais comuns na hora de começar um negócio

Produtores de soja discutem formas de aumentar a lucratividade do negócio

Com o alto custo de produção, devido à falta de condições de infraestrutura, os produtores de soja do Piauí estão buscando otimizar seus lucros através do conhecimento técnico. Eles estarão reunidos no próximo dia 6 de fevereiro em evento coordenado pela Aprosoja Piauí.

Em debate estará a recuperação de créditos tributários - o agronegócio do Piauí quer entender melhor como pode ter mais benefícios fiscais e ampliar, aproveitar possibilidades de isenção e recuperar impostos pagos indevidamente.

O tema será discutido durante o 1º Workshop Novas Tendências do Agro. Outro tema a ser debatido diz respeito ao Direito do Trabalho e as modificações na lei trabalhista. Assunto que será abordado pelo advogado Otávio Brito Lopes, procurador do Trabalho que já foi membro do Conselho Nacional do Ministério Público.

Governo projeta PIB mais forte para 2019 e 2020

O Ministério da Economia revisou para cima as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 e 2020. As estimativas foram divulgadas nesta terça-feira (14), pela Secretaria de Política Econômica.

A expectativa para o avanço da atividade econômica em 2019, que estava em 0,9%, em boletim divulgado em novembro, avançou para 1,12%. O dado fechado do ano passado ainda não foi divulgado pelo IBGE. Para 2020, o Ministério da Economia espera um avanço do PIB de 2,40%, ante projeção anterior de 2,32%.

As projeções econômicas servem de base para as avaliações do andamento da política fiscal. Com uma expectativa melhor para a atividade, por exemplo, a equipe econômica deve ampliar as estimativas de arrecadação de impostos. Esses cenários são levados em conta nas avaliações bimestrais que servem de base para que o governo decida se precisa cortar ou não verbas de ministérios.

"Os indicadores de emprego e atividade têm apresentado um cenário consistente para a retomada da economia em 2020", diz o relatório da secretaria.

Dedução de empregado doméstico no Imposto de Renda é extinta

Foto: Yasmim Cunha / Cidadeverde.com

A dedução de gastos com empregados domésticos não será mais aceita pela Receita Federal nas declarações do Imposto de Renda feitas a partir deste ano. A norma que trazia essa permissão perdeu a validade e não foi renovada pelo governo.

O benefício teve validade até as declarações de 2019 e só poderia ser mantido neste ano se o Congresso aprovasse uma alteração na lei. Mas a equipe econômica, no entanto, é contra as deduções no Imposto de Renda.

A justificativa é que o mecanismo beneficia famílias mais ricas e as isenções acabam sendo compensadas por cobranças mais elevadas sobre o restante dos contribuintes.

Vale destacar que nos planos do governo para a reforma tributária, que ainda não foi apresentada, a ala econômica defende a extinção de todas as deduções do Imposto de Renda. Em troca, dizem que seria possível amenizar as cobranças do imposto.

No ano passado, cada contribuinte foi autorizado a compensar até R$ 1.200 em gastos com empregado doméstico no ajuste anual do Imposto de Renda. A renúncia fiscal, segundo dados da Receita, foi de R$ 674 milhões. Para este ano, a economia aos cofres públicos com o fim do benefício é estimada em R$ 700 milhões.

Mercado prevê inflação abaixo de 4% em 2020; Selic deve ficar em 4,5%

O mercado financeiro prevê que a inflação de 2020 feche o ano em 3,58%, portanto abaixo do centro da meta, que é de 4%. A previsão para o PIB e para a taxa básica de juros da economia brasileira se mantém estáveis. Veja mais detalhes do Boletim Focus desta segunda-feira (10).


INFLAÇÃO (IPCA)
- 2020: previsão caiu de 3,60% para 3,58%.
- 2021: previsão continua em 3,75%
- 2022: previsão estável em 3,50%
- 2023: previsão de 3,50%

(Em 2020, a meta central é 4%, mas também fica oficialmente cumprida entre 2,5% e 5,5%).

PIB  

- 2020: estimativa estável em 2,30%.
- 2021: estimativa estável em 2,50%
- 2022: estimativa estável em 2,50%
- 2023: estimativa em 2,50%

JUROS
- 2020: previsão estável em 4,50% ao ano.
- 2021: previsão caiu de 6,50% ao ano para 6,25%.
- 2022: previsão estável em 6,50% ao ano.
- 2023: previsão em 6,50% ao ano

DÓLAR

- 2020: estimativa caiu de R$ 4,09 para R$ 4,04.
- 2021: estimativa estável em R$ 4,00.
- 2022: estimativa caiu de R$ 4,05 para R$ 4,02.
- 2023: estimativa em 4,10
 
BALANÇA COMERCIAL
- 2020: estimativa de superávit caiu de US$ 38,20 bilhões para US$ 37,31 bilhões.
- 2021: estimativa de superávit caiu de US$ 35,60 bilhões para US$ 35,00 bilhões.
- 2022: estimativa de superávit caiu de US$ 39,25 bilhões para US$ 32,70 bilhões.
- 2023: estimativa de superávit é US$ 31,10 bilhões.

INVESTIMENTOS 
- 2020: estimativa estável em US$ 80,00 bilhões.
- 2021: estimativa subiu de US$ 84,40 bilhões para US$ 84,75 bilhões.
- 2022: estimativa caiu de US$ 85,30 bilhões para US$ 85,00 bilhões .
- 2023: estimativa é de US$ 87,00 bilhões

O Boletim Focus é realizado semanalmente, ouvindo especialistas de mais de 100 instituições financeiras. O resultado é divulgado todas as segundas-feiras pelo Banco Central.

Supermercados preveem contratação de cerca de 1800 novos funcionários

Foto: arquivo Cidadeverde.com

A Associação de Supermercados do Piauí prevê a contratação de cerca de 1.800 novos funcionários no primeiro semestre de 2020. 

O número inclui a chegada de uma nova loja, que deve contratar cerca de mil pessoas - e deve ser inaugurada em maio -, e a ampliação e reforma de algumas unidades já existentes.

Mas um impasse com o Sindicato dos Comerciários vem como um balde de água fria para os empresários do setor. 

Recentemente, uma das grandes redes de supermercados de Teresina anunciou que passará a funcionar 24h, mas o sindicato é contra. 

A Associação de Supermercados do Piauí afirma que a rede está seguindo toda a legislação necessária para funcionar 24h e que os funcionários aceitaram a proposta oferecida, que inclui mais folgas e pagamento de horas extras com adicional noturno, além de transporte. 

Mas o sindicato exige a contratação de pessoal extra além do possível, nas palavras do presidente da associação, Raul Lopes. "Vamos marcar uma audiência com o poder público. Eles querem que sejam contratadas pessoas novas, toda equipe nova. Isso não dá certo, está prejudicando o setor, impedindo o crescimento", argumenta.

Lopes destaca que o Sindicato dos Comerciários está descumprindo a última convenção coletiva, de 2019 / 2020, que permite o funcionamento 24 horas.

Já o Sindicato afirma que a convenção só permite a abertura ininterrupta se houver acordo com a categoria. "Isso não aconteceu. O supermercado simplesmente anunciou que abrirá 24 horas, sem comunicar ao sindicato. Nós colocamos uma proposta a eles e estamos esperando a empresa responder", diz Gilberto Paixão, presidente dos Comerciários.

A proposta do sindicato inclui aumento salarial de R$ 1.160 para R$ 1.200, turnos específicos de 0h às 6h, transporte ida e volta e uma cesta básica. "A proposta é que eles contratem 15 pessoas apenas. Essas 15 pessoas iriam trabalhar pela madrugada, e assim não mexeria com as pessoas que já estão trabalhando e já têm horário definido. Não dá para ser o mesmo quadro de gente, vai sobrecarregar as pessoas. Além disso, não tem necessidade nenhuma de ter abertura 24 horas em Teresina", finaliza.

Posts anteriores