Cidadeverde.com

Indústria é o 3º setor que mais produz riquezas do Piauí

Neste dia 25 de maio é comemorado nacionalmente o Dia da Indústria. 

A indústria é o 3º setor em participação no Produto Interno Bruto do Piauí e produziu R$ 4,7 bilhões em riquezas em 2015, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nos últimos 10 anos, o quadro evolutivo revela uma linha ascendente na geração de empregos e número de empresas industriais no estado. Eram 24.631 postos de trabalho em 2006 e em 2015, esse número já crescia para 30.884. A quantidade de empresas saltou de 2.315 para 2.762 no mesmo período.

Veja no vídeo abaixo mais informações sobre o avanço da indústria no Piauí. 

Sem combustível, voos entre Teresina e Brasília são cancelados

Foto: Carlienne Carpaso


O voo 1723 , da Gol, que sairia de Teresina com destino a Brasília foi cancelado na manhã desta sexta-feira (25). A chegada na capital federal estava prevista para 12h15.

A companhia ainda não prestou esclarecimentos sobre os motivos do cancelamento, nem mesmo para os passageiros, que já chegaram ao aeroporto. O Cidadeverde.com tentou contato com a assessoria de comunicação, sem sucesso. 

O açougueiro Francisco Mizael está com uma cirurgia marcada em uma clínica de São Paulo. O procedimento é para ocorrer amanhã às 9 horas. A cirurgia é para correção de um pino, que está causando dor. 

"Duas horas atrás estava tudo certo para o voo, e agora cheguei aqui e tem que está cancelado [na tela de avisos sobre voos]. Só sei que foi cancelado, mas nenhum atendente falou nada", disse o cliente.

Foto: Carlienne Carpaso

Outros cancelamentos

O Aeroporto de Brasília informou que a reserva de combustível se esgotou nesta manhã. Com isso, todos os voos que pousarem em Brasília e que precisem de abastecimento ficarão em solo até o fornecimento de combustível ser normalizado.

Até 10h30, cinco voos que partiriam de Brasília haviam sido cancelados, sendo um deles para Teresina (voo 1718, também da Gol).  Os demais cancelamentos foram dos voos: American Airlines 213 – que viria de Miami; American Airlines 214 – que iria para Miami; Latam 3705 - que iria para Congonhas (São Paulo); Azul - 2926 - que iria para Guarulhos (São Paulo).

(Foto: Bento Viana/Inframérica)

Pátio do aeroporto de Brasília

Sem taxas

Ontem, as companhias aéreas Latam e Azul anunciaram o cancelamento da cobrança de taxas, multas e diferenças tarifárias para remarcação de voos saindo do aeroporto de Teresina. A medida é provocada pelas restrições no abastecimento de aeronaves.

As companhias aéreas estão orientando seus clientes a se certificarem da situação dos voos antes de se dirigirem aos aeroportos. A Azul está informando sobre os cancelamentos em sua página na internet (clique aqui). A Gol disse que está aplicando medidas de contingência em toda operação, “mantendo as ações necessárias para minimizar os impactos aos seus clientes”.

 

Foto: Print da página da Gol

*Informações de Carlienne Carpaso, do aeroporto de Teresina

Com pouca mercadoria, preços na Ceasa começam a subir

Foto: Jordana Cury/Cidadeverde.com

Foto de arquivo

A greve dos caminhoneiros começou a ter reflexos mais expressivos no abastecimento de alimentos de Teresina. Na Ceasa, a movimentação de clientes é normal, mas somente dois caminhões haviam conseguido chegar ao local até esta manhã, levando carregamentos de tomate e cheiro verde.

A qualidade dos produtos também já está sendo afetada. Não há um colapso como o que está acontecendo no Sudeste do país, mas a situação começa a preocupar os permissionários.

O preço do quilo de alguns produtos já subiram: 

- Abacate: subiu de R$ 3,80 para R$ 5 e em alguns lugares já está em R$ 6;
- Melancia: subiu de R$ 0,90 para R$ 1,20;
- Batata: subiu de R$ 2,79 para R$ 3,50.

Ontem, a maior parte dos comerciantes fechou a banca mais cedo e a tendência deve ser a mesma nessa sexta-feira (25). 

 

*Com informações de Gorete Santos

Ubers fecham terminais e gasolina começa a faltar em Teresina

  • sem-comb4.jpg Carlienne Carpaso
  • sem-comb3.jpg Carlienne Carpaso
  • sem-comb2.jpg Carlienne Carpaso
  • sem-comb.jpg Carlienne Carpaso
  • editada-uber6.jpg Carlienne Carpaso
  • editada-uber5.jpg Carlienne Carpaso
  • editada-uber4.jpg Carlienne Carpaso
  • editada-uber3.jpg Carlienne Carpaso
  • editadauber-2.jpg Carlienne Carpaso
  • editada-uber.jpg Carlienne Carpaso

 

A previsão do Sindicato dos Proprietários dos Postos de Combustíveis do Piauí se confirmou. Já está faltando gasolina na capital. Alguns postos nem chegaram a abrir na manhã desta sexta-feira (25).

Segundo o presidente do Sindicato, Alexandre Cavalcante, os dois terminais de petróleo que atendem à capital estão interditados, o que provocou o desabastecimento. "Se a situação não se resolver rápido, corremos risco de colapso", alertou.

Alexandre disse ainda que recebeu um telefonema de uma empresária que abastece as ambulâncias da prefeitura, que afirmou não ter combustível suficiente para a demanda. "Ela estava extremamente preocupada porque o caminhão do posto dela está retido na base e ela só tinha mais mil litros de combustível. É uma situação bastante grave", considerou o presidente.

O empresário afirmou que vários de seus postos já estão sem estoque e que parte dessa situação acontece porque ontem as pessoas decidiram abastecer preventivamente. "A venda de ontem foi o dobro do normal. No geral, gasolina e etanol já estão faltando, diesel ainda tem alguma coisa nos postos", finalizou.

Terminais fechados

Os motoristas de transporte por aplicativo, principalmente da Uber, fecharam os dois terminais de Teresina e estão impedindo a entrada e saída de caminhões que abastecem os postos de combustíveis. O ato é uma manifestação de apoio à greve dos caminhoneiros, que entra em seu 5ª dia, mesmo após acordo assinado entre o governo federal e a maioria das categorias.A União dos Caminhoneiros não reconheceu o acordo e, por isso, o movimento continua.

Foto: Cidadeverde.com

A equipe do Cidadeverde.com foi a um dos terminais e constatou a interdição. A informação é de que há pelo menos 30 caminhões carregados de combustível para sair do local e abastecer os postos, mas a saída está bloqueada. 

Maria do Rosário Viana trabalha como Uber há 1 ano e 2 meses. Ela disse que quando começou as corridas o valor do litro de gasolina estava a R$ 3,19. Agora, a média é de 4,40. O aumento de quase 50%. "Os lucros reduziram. A carga tributária está altíssima e toda a população está sofrendo, especialmente quem trabalha como Uber, táxi, Mototaxi, todos que dependem da gasolina pra se locomover. A manifestação começou ontem e segue até alguém nos ouvir. Não é só a questão do diesel não, é também o preço da gasolina", conclui.

Zona Leste 

Um dos postos localizados na Avenida Nossa Senhora de Fátima, zona Leste de Teresina, já não tem combustível de nenhum tipo. E outro só tem gasolina aditivada, mas a previsão é que o combustível deve acabar antes de meio-dia e não tem previsão para chegada de carregamento.

No local, a consumidora Laurenice Sousa disse que já passou por alguns postos, mas estavam lotados. Hoje pela manhã uma das primeiras coisas que fez ao sair de casa para trabalhar foi abastecer o carro para não ficar sem gasolina. Ela afirma que costuma colocar a gasolina comum, mas como está faltando, ela precisou colocar a aditivada.

Por causa da demanda, há postos em que o preço do etanol já subiu e chega a R$ 4,99, mas ainda é possível encontrar por R$ 3,19.

Informações de Carlienne Carpaso, direto do local.

Mesmo com acordo, greve continua no Piauí e mais 17 estados

  • Untitled-20.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-19.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-18.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-17.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-16.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-15.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-14.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-13.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-12.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-11.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-10.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-9.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-8.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-7.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-6.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-5.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-4.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-3.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-2.jpg Gabriel Paulino
  • Untitled-1.jpg Gabriel Paulino

 

Mesmo após acordo entre o governo federal e entidades de caminhoneiros, que previa a suspensão da greve por, pelo menos 15 dias, o movimento continua no Piauí e mais 17 estados brasileiros: Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins. 

Segundo informações dos caminhoneiros que estão parados em Uruçuí, a cidade agora tem quatro pontos de bloqueio e nenhum caminhão está sendo liberado. Para a categoria, o acordo não passa de um "ato midiático" do governo e as entidades que o assinaram não representam todos os caminhoneiros.

Veja abaixo os principais pontos do acordo firmado:

Pela proposta, o governo federal assume os seguintes compromissos:

reduzir a zero a alíquota da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), em 2018, sobre o óleo diesel, bem como as necessárias providências decorrentes dessa medida;

manter a redução de 10% no valor do óleo diesel a preços na refinaria, já praticados pela Petrobras, nos próximos trinta dias, considerando as necessárias compensações financeiras pela União à Petrobras, no intuito de garantir a autonomia da estatal;

assegurar a periodicidade mínima de 30 dias para eventuais reajustes do preço do óleo diesel na refinaria, a partir do preço definido pelo critério do item b, considerando as necessárias compensações financeiras pela União à Petrobras, no intuito de garantir a autonomia da estatal;

reeditar, no dia 1º de junho de 2018, a Tabela de Referência do frete do serviço do transporte remunerado de cargas por conta de terceiro, bem como mantê-la atualizada trimestralmente, pela ANTT;

promover gestão junto aos estados da federação, para implementação da isenção da isenção da tarifa de pedágio prevista no art. 17 da Lei nº 13.103, de 2015 (não cobrança sobre o eixo suspenso em caminhões vazios). Em não sendo bem sucedida a tratativa administrativa com os estados, a União adotará as medidas judiciais cabíveis;

editar medida provisória, em até 15 dias, para autorizar a Conab a contratar transporte rodoviário de cargas, dispensando-se procedimento licitatório, para até 30% de sua demanda de frete, para cooperativas ou entidades sindicais da categoria dos transportadores autônomos;

não promover a reoneração da folha de pagamento do setor de transporte rodoviário de cargas;

requerer a extinção das ações judiciais possessórias, ou de qualquer outra natureza, propostas pela União em face das entidades relacionadas com o movimento paredista de caminhoneiros de que trata este termo;

informar às autoridades de trânsito competentes acerca da celebração do presente Termo, para instrução nos eventuais processos administrativos instaurados em face das entidades ou de seus associados em decorrência de atos praticados no curso do movimento paredista;

manter com as entidades reuniões periódicas para acompanhamento do adimplemento dos compromissos estabelecidos neste Termo, ficando desde já estabelecido o prazo de quinze dias para a celebração do próximo encontro;

buscar junto à Petrobras a oportunização aos transportadores autônomos à livre participação nas operações de transporte de cargas, na qualidade de terceirizados das empresas contratadas pela estatal;

solicitar à Petrobras que seja observada a Resolução/ANTT nº 420, de 2004, no que diz respeito à renovação da frota nas contratações de transporte rodoviário de carga.

Foto: Edenilton/Cidadeverde

Por parte das entidades em greve, assinaram a proposta de acordo:

Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA)
Confederação Nacional do Transporte (CNT)
Federação dos Caminhoneiros Autônomos de Cargas em Geral do Estado de São Paulo (Fetrabens)
Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Distrito Federal (Sindicam-DF)
Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg)
Federação Interestadual dos Transportes Rodoviários Autônomos de Cargas e Bens da Região Nordeste (Fecone)
Federação dos Transportadores Autônomos de Cargas do Estado de Minas Gerais (Fetramig)
Federação dos Transportadores Autônomos de Carga do Espírito Santo (Fetac-EC)
De acordo com o ministro Eliseu Padilha, a única entidade que não assinou foi a União Nacional dos Caminhoneiros.

Foto: Edenilton/Cidadeverde

Petrobras anuncia 3ª redução de preços em 3 dias

 

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (24) novo reajuste no preço da gasolina nas refinarias, a 3ª redução em 3 dias. O preço do litro da gasolina caírá 0,72% a partir desta sexta-feira (25), passando de R$ 2,0306 para R$ 2,0160.

Já o preço do diesel ficará congelado durante 15 dias em R$ 2,1016, conforme anunciou a estatal na véspera - uma tentativa de negociar com os caminhoneiros e parar a greve.

Essa redução representa 10% do preço do diesel nas refinarias. "É uma medida de caráter excepcional. Não representa uma mudança de política de preço da empresa", afirmou o presidente da estatal, Pedro Parente. "São 15 dias para que o governo converse com os caminheiros", acrescentou. A medida vale apenas para o diesel. Segundo a petroleira, durante esses 15 dias a perda estimada para a Petrobras será de cerca de R$ 350 milhões, com um impacto no caixa de R$ 100 milhões.

Começa a faltar gasolina em Teresina a partir dessa 6ª feira, alerta sindicato

Foto: Reprodução/TV Tambaú

O presidente do Sindicato dos Proprietários dos Postos de Gasolina, Alexandre Cavalcante, informou à Coluna Economia & Negócios, que a partir desta sexta-feira (25), a gasolina começará a faltar nos postos de Teresina, por causa da greve dos caminhoneiros, que está impedindo o abastecimento.

Segundo ele, já falta combustível em alguns postos de Timon-MA e alguns postos de Teresina operam com estoque abaixo da média nesta quinta-feira (23).

"Em Teresina não tem postos secos ainda, mas a partir de amanhã vai faltar", alerta o presidente do Sindicato. 

Racionamento de combustível

Alexandre explica que a Petrobras está vendendo gasolina apenas para os postos de contrato exclusivo, recusando a comercialização com postos de bandeira branca, que podem comprar em qualquer companhia. 

"E mesmo com essa medida está havendo racionamento. Se você pede 30 mil litros, a empresa só entrega 5 mil, como medida paliativa para tentar atender a todos", acrescenta.

Preços

Apesar do racionamento, o presidente do Sindicato diz não haver justificativa para aumentar o valor da gasolina nos postos de Teresina nesse momento. "Mas o preço praticado depende de cada empresário. A gente precisa, sim, melhorar nossa margem de lucro, mas não acho justo com a população aumentar o preço agora", pontuou.

Alexandre considera a paralisação dos caminhoneiros uma medida legítima de manifestação. "Nem os donos dos postos, nem os consumidores, nem os caminhoneiros, ninguém aguenta mais essas oscilações e as propostas que o governo tem dado não resolvem, não são efetivas ou duradouras. Eles querem dar uma promoção de 15 dias no valor do diesel, isso é uma piada. E para a gasolina, até agora, não tem propostas", ressalta o empresário.

Supermercados de Teresina correm risco de desabastecimento

Foto: Brazilkiwi

"Se a greve dos caminhoneiros não acabar hoje, corre um grande risco de faltar alimento nos supermercados de Teresina no final de semana" - a informação é do presidente da Associação Brasileira de Supermercados no Piauí, Raul Lopes.

Ele afirma que fez um levantamento na tarde desta quarta-feira (23) e ainda não havia falta de estoque nos supermercados da capital. "Teresina fica numa região estratégica, por isso ainda não tivemos esse problema, mas no interior do Piauí tem mais possibilidade de faltar", ressalta.

Raul Lopes explica que o risco maior de desabastecimento é de alimentos que são entregues diariamente e no final de semana, o risco é maior porque a movimentação nos supermercados aumenta. De acordo com informações nacionais da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), alguns estados já começaram a sofrer com o desabastecimento de alimentos, o que vai se estender para todo o país nos próximos dias, reafirmando o que disse Lopes.

A Abras diz ainda que "está buscando sensibilizar o governo federal para que uma solução seja tomada imediatamente. Evitando, assim, que a população sofra com a falta de produtos de necessidades básicas e com uma eventual elevação nos preços".

Na Nova Ceasa a situação já é preocupante, apesar de não ter faltado alimentos ainda. Segundo o gerente de mercado Marcos Massaranduba, o local está abastecido e atendendo os clientes normalmente, mas os atacadistas já estão sentindo dificuldade para locomover as cargas. "Ainda está chegando alguma coisa, mas se as rodovias continuarem bloqueadas, teremos cada vez mais dificuldades. Nosso modal é rodoviário, então precisamos que os caminhões transitem. A situação está bastante preocupante e esperamos que haja um entendimento logo, porque quanto mais as rodovias ficarem bloqueadas, mais teremos problemas", pontuou.

A ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) também alerta para a possibilidade de falta de carne nas gôndolas. Os bloqueios estão impedindo o transporte de aves e suínos vivos, ração e cargas refrigeradas destinadas ao abastecimento das gôndolas no Brasil ou para exportações.

"A continuar este quadro, há risco de falta de produtos para o consumidor brasileiro. Animais poderão morrer no campo com a falta de insumos. Já temos relatos de unidades produtoras com turnos de abate suspenso. Contratos de exportação poderão ser perdidos e há um forte aumento de custos logísticos com reprogramação de embarque de cargas", informa a entidade.

Petrobras reduz preço da gasolina e do diesel pelo 2º dia consecutivo

Foto: Compuletra

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (23), pelo segundo dia consecutivo, redução nos preços da gasolina e do diesel em suas refinarias. A partir de amanhã (24), o preço da gasolina cairá 0,62% e custará R$ 2,0306 o litro. O preço do diesel terá redução de 1,15% e passará a custar R$ 2,3083, de acordo com a estatal.

Em dois dias, as quedas acumuladas chegam a 2,69% para a gasolina e a 2,67% para o diesel. Apesar disso, a gasolina acumula altas de 12,95%, em maio, e de 16,76% em um mês. O diesel soma aumentos de 9,34%, em maio, e de 15,16% em um mês.

O alto valor do preço do combustível é o principal motivo para a manifestação nacional dos caminhoneiros, que começou no final da noite de domingo (20). Mas a redução dos preços nas refinarias nada tem a ver com os protestos, uma vez que os valores variam de acordo com o mercado internacional.

Feirão da Casa Própria oferece até R$ 13 mil em desconto para apartamento na zona leste

Fotos: Divulgação

O sonho da casa própria pode estar mais próximo. Isso porque, até o próximo domingo, dia 27 de maio, a MRV Engenharia realiza, no Riverside Shopping, o Feirão da Casa própria em Teresina. Com o objetivo de possibilitar a compra do primeiro imóvel, a construtora oferecerá maior facilidade e flexibilidade no pagamento, como mensais a partir de R$99,00, entrada parcelada em até 60 meses e zero de sinal. Ainda oferecerá desconto de até R$ 13 mil no valor dos imóveis. 

Segundo o gestor de vendas da MRV, Diogo Matos Lemos, a expectativas para esta edição do evento são as melhores possíveis. “Importante que os clientes tragam toda a documentação (CPF, RG, comprovante de residência, de renda, extratos bancários) para acertar o negócio. A aprovação do crédito será na hora”, orienta o gestor. 

A construtora oferece no evento mais de 300 unidades no residencial Parque Terrazzo Poti. Localizado no bairro Gurupi, o empreendimento com dois quartos e garagem fica próximo ao metrô, supermercado, panificadora. Com acesso as vias, como: Av. Joaquim Nelson, Av. Mirtes Melão, BR-226, Av. dos Expedicionários e Av. dos Ipês.

O condomínio faz parte das novas linhas de produtos lançadas o ano passado pela construtora e contará com vários diferenciais que aliam inovação e sustentabilidade ao projeto. “Um desses diferenciais é a geração de energia solar fotovoltaica para atender as áreas comuns do condomínio, que contará com salão de festas, playground, salão de jogos, quadra gramada, espaço gourmet, piscinas adulto e infantil, pomar e espaço kids”, conta o gestor.

A tecnologia, inédita para o setor, consiste na instalação de células fotovoltaicas no telhado do empreendimento, convertendo energia solar em energia elétrica. A carga gerada é transmitida para a rede de distribuição da concessionária de energia local e, ao final do mês, a energia produzida pelo sistema entra como saldo e é abatida da conta de luz mensal, podendo até mesmo cobrir quase totalidade da conta do condomínio.

Além disso, o projeto do residencial Parque Terrazzo Poti conta com novo design na fachada, com cores modernas e guarita com acabamento em eco granito. As unidades ainda terão tomadas com entrada USB e piso laminado nos quartos. 

Conheça mais sobre o residencial, acesse: mrv.com.br 

Sobre a MRV

Fundada em outubro de 1979, a MRV Engenharia é líder nacional no mercado de imóveis econômicos e a primeira construtora da América Latina a oferecer energia fotovoltaica para seu segmento de atuação. Presente em mais de 150 cidades de 22 Estados e no Distrito Federal, a construtora, em seus 38 anos de atividade, já vendeu mais de 300 mil unidades. 

 

Serviço – Feirão da Caixa Econômica Federal
Data: até 27 de maio
Horário: das 10h às 22h
Local: Riverside Shopping (Av. Ininga, 1201 - Jockey Clube)

 

 

Posts anteriores