Cidadeverde.com

Câmara vota distribuição dos recursos arrecadados nas loterias

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A distribuição do dinheiro arrecadado com as loterias estará em debate no Plenário da Câmara dos Deputados a partir desta terça-feira (19). É que está pronta para ser votada a Medida Provisória 846/18, que traz novas regras para a divisão desses recursos entre diversos setores.

No ano passado, as loterias arrecadaram quase R$ 14 bilhões em apostas. Cerca de R$ 3 bilhões foram distribuídos para educação, cultura, esporte e segurança pública. A MP 846 quer aumentar o que é destinado para segurança, saindo dos cerca de R$ 400 milhões no ano passado para mais de R$ 1 bilhão no ano que vem.

Como o dinheiro que vai para as outras áreas é praticamente mantido, o texto tem consenso entre os partidos e poderá ser aprovado com facilidade. O assunto já passou por uma longa negociação, inicialmente com fortes reações e até protestos das classes artísticas e esportivas.

Natal: consumidores gastarão, em média, R$ 116 por presente neste ano

Foto: Ravena Rosa / Agência Brasil / Fotos Públicas

No natal deste ano, mais de 110 milhões de brasileiros pretendem ir às compras e desembolsar, em média, R$ 116 por presente. Lojas de departamento, internet e shoppings são os principais locais de compra. Mais da metade dos consumidores pagara à vista. 

Este é o resumo da última pesquisa da câmara nacional de dirigentes lojistas e significa que, apesar da recuperação ainda lenta da economia, o natal vai aquecer o varejo.  As projeções permanecem no mesmo patamar do último ano e indicam uma injeção de aproximadamente R$ 53,5 bilhões na economia. Em termos percentuais, 72% dos brasileiros planejam comprar presentes para terceiros no Natal deste ano. 

Apenas 9% disseram que não vão presentear — quase um terço porque não gosta ou não têm o costume, 23% por estarem desempregados e 17% por não ter dinheiro - outros 19% ainda não se decidiram.

O consumidor pretende comprar entre quatro e cinco presentes. Considerando que o ticket médio será de R$ 116 por item, o consumidor deve desembolsar entre R$ 450 e R$ 600 somente em presentes para terceiros.

Pesquisa de preço

Mas o comércio deve ficar atento as boas estratégias de venda porque 85% dos consumidores vão pesquisar preços antes de comprar presentes e a internet será a principal aliada nessa intenção de comparação de preços. 

Quanto ao local escolhido para as compras de Natal, este ano as lojas de departamento, com 42% das intenções de compra, dividem a preferência dos consumidores com as lojas online, com 40%. 

Como já é tradicional, as roupas continuam sendo o item mais procurado para o Natal e os filhos mantêm lugar cativo como os mais presenteados.

 

Começa o pagamento do 5º lote do Pis/Pasep ano-base 2017

Começa nesta terça-feira (20) o pagamento do quinto lote do abono salarial PIS/Pasep 2018-2019, ano-base 2017. O lote inclui os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em novembro e os servidores públicos com final de inscrição 4. A estimativa do Ministério do Trabalho é que mais de R$ 1,4 bilhão sejam pagos a aproximadamente 1,8 milhão de trabalhadores. O PIS é pago na Caixa Econômica Federal e o Pasep, pelo Banco do Brasil. Correntistas da Caixa e do Banco do Brasil tiveram os valores depositados em suas contas respectivamente nos dias 13 e 14.

Quem tem direito

Tem direito ao abono salarial ano-base 2017 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias naquele ano, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos, e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O valor do benefício é proporcional ao tempo trabalhado formalmente em 2017. Assim, quem esteve empregado o ano todo recebe o valor cheio, equivalente a um salário mínimo (R$ 954). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é de 1/12 do salário mínimo, e assim sucessivamente. Os trabalhadores nascidos entre julho e dezembro recebem o abono ainda este ano. Já os nascidos de janeiro a junho poderão realizar o saque em 2019 (veja tabela abaixo). O prazo final de recebimento para todos os trabalhadores favorecidos pelo programa é 28 de junho de 2019.

 

 

Black Friday Teresina: lojas do Centro abrirão até 18h neste sábado

Foto: Ravena Rosa / Agência Brasil

Os lojistas do Centro de Teresina já se preparam para intensificar as promoções nesta semana, de olho na Black Friday. A data marcada para a promoção é o dia 23 de novembro, sexta-feira, mas o comércio continuará em promoção também no dia 24. Para atender à demanda, as lojas funcionarão até às 18h no sábado. 

"Estamos muito engajados. Os descontos estão, em média, em cerca de 40%, mas há até 60% de corte nos preços. Estamos com promoções em todos os setores e, nos produtos que não há como dar desconto, estamos dando um prazo maior para o pagamento", explica o presidente do Sindicato dos Lojistas de Teresina, Tertulino Passos. 

O Sindicato está confiante de que, neste ano, o fluxo de vendas será bastante significativo, diferente do ano passado. "Em 2017, não teve a força que esperávamos. Mas, agora, já estamos sentindo uma boa diferença, principalmente nas lojas que estão em promoção desde o começo do mês", acrescenta Passos.

O presidente disse ainda que durante toda a semana haverá grandes promoções no Centro de Teresina.

Horário estendido

Neste ano, diferente dos anos anteriores, o horário especial do comércio no Centro vai começar desde o dia 1º de dezembro, com lojas abertas nos sábados até as 18h, inclusive no dia 8 de dezembro, que é o lançamento da campanha de Natal. Nos domingos dos dias 16 e 23 as lojas também ficarão abertas. Mais detalhes serão divuldados a partir da próxima semana. 

 

 

Previsão: gasto médio na Black Friday supera R$ 1 mil

Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

A pouco menos de uma semana da Black Friday, que este ano será no dia 23 de novembro, milhares de pessoas aguardam a mega liquidação para aproveitar as ofertas. Pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que 6 em cada 10 (58%) consumidores têm a intenção de fazer compras na Black Friday, um expressivo aumento de 18 pontos percentuais em relação ao ano passado. Por outro lado, 32% só devem ir às compras caso encontrem boas ofertas e apenas 10% não pretendem comprar nada.

Entre os que pretendem comprar produtos de olho nos descontos:

- 70% consideram a data uma oportunidade de adquirir itens que estejam precisando com preços mais baixos. 

- Cerca de 30% querem antecipar os presentes de Natal de olho nas promoções.

- 12% planejam aproveitar as ofertas mesmo sem ter necessidade de comprar algo no momento. 

Já entre os que não pretendem fazer compras na Black Friday, os principais motivos apontados são falta de dinheiro (28%) e o fato de não precisar comprar nada (22%).

Foto: Arquivo / Agência Brasil

Média de gasto supera R$ 1 mil

Os consumidores devem comprar, em média, três produtos e desembolsar de R$ 1.145,75 – chegando a R$ 1.268,63 entre os homens e R$ 1.646,67 nas classes A/B. A pesquisa também investigou os principais locais que os brasileiros farão as compras. Os sites e aplicativos de varejistas nacionais (66%) mantêm a preferência dos consumidores. Na sequência, estão os shopping centers, as lojas de rua e os supermercados, mencionados por 39% dos entrevistados. A grande maioria (95%) faz pesquisa de preços antes de comprar, sendo que 53% procuram se certificar de que os produtos estão realmente em promoção e 42% procuram lojas em que os produtos estão mais baratos. 

 

 

Mercado reduz expectativa de inflação para este ano e para 2019

Foto: Jaelson Lucas / SMCS / Fotos Públicas


Pela quarta semana consecutiva, o mercado financeiro brasileiro reduziu as estimativa para a inflação deste ano. Veja abaixo mais detalhes do Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (19), pelo Banco Central:

PIB 
- 2018: estimativa estável em 1,36%. 
- 2019: estimativa mantida em 2,50%.
- 2020: economia deve crescer 2,50%
- 2021: economia deve crescer 2,50%

INFLAÇÃO (IPCA)
- 2018: estimativa recuou de 4,23% para 4,13% (portanto, dentro da margem de tolerância da meta, que é entre 3% e 6%).
- 2019: estimativa estável caiu de 4,21% para 4,20%.

(Lembrando que o sistema de metas para a inflação em 2019 é entre 2,75% e 5,75%, com centro em 4,25%).

JUROS
- 2018: estimativa mantida em 6,5% até ao final do ano. Atualmente, a Selic está nesse patamar.
- 2019: estimativa mantida em 8% ao ano. 

DÓLAR
- 2018: estimativa permanece em R$ 3,70.
- 2019: estimativa estável em R$ 3,76.

BALANÇA COMERCIAL
- 2018: estimativa de superávit subiu de US$ 56,7 bilhões para US$ 57 bilhões.
- 2019: estimativa de superávit subiu de US$ 51 bilhões para US$ 51,5 bilhões.

INVESTIMENTOS
- 2018: estimativa subiu de US$ 68,5 bilhões para US$ 70 bilhões.
- 2019: estimativa avançou de US$ 72,5 bilhões para US$ 75,35 bilhões

O Boletim Focus é realizado semanalmente, ouvindo especialistas de mais de 100 instituições financeiras. O resultado é divulgado todas as segundas-feiras pelo Banco Central.

Documentário internacional sobre cera da carnaúba é filmado no PI

Foto: Ascom/MPT

Uma empresa holandesa de grande atuação na Europa, uma das principais compradoras da cera de carnaúba do Piauí e do Ceará, está produzindo um documentário com enfoque na extração e produção desta matéria-prima utilizada em diversos segmentos da indústria mundial. O documentário tem por finalidade divulgar na Europa a ideia de comercializar produtos apenas das empresas que cumprem a legislação trabalhista brasileira e valorizam a sustentabilidade social em toda a cadeia produtiva.

As gravações aconteceram durante inspeção conjunta entre Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério do Trabalho (MTb) no município de Ilha Grande, ao norte do Estado do Piauí, onde trabalhadores faziam a extração da palha da carnaúba. A gravação também contou com a participação dos auditores fiscais do trabalho que atuam na fiscalização das atividades de corte da palha e extração de pó de carnaúba. Durante as filmagens, o procurador fez uma retrospectiva dos trabalhos realizados pelo MPT desde 2012. O projeto passou pelas fases de conscientização, fiscalização e colheita de termos de ajuste de conduta com toda a cadeia produtiva da palha da carnaúba no Piauí, inclusive com as empresas exportadoras. Em razão desse trabalho, muitas empresas já se ajustaram. 

Brasil: 91% dos idosos contribuem com o orçamento de casa

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Com a crise econômica que ainda afeta o bolso dos consumidores e o aumento do desemprego entre a população jovem, em muitos lares os idosos acabam sendo a principal fonte de renda. 

Um levantamento realizado em todas as capitais pela CNDL e pelo SPC Brasil revela que 43% dos brasileiros acima de 60 anos são os principais responsáveis pelo pagamento de contas e despesas da casa - o percentual é ainda maior (53%) entre os homens. 

De modo geral, 91% dos idosos no Brasil contribuem com o orçamento da residência, sendo que em 25% dos casos colaboram com a mesma quantia que os demais membros da família. 

Mudança demográfica

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, não é só a crise econômica que explica esses números, mas também uma mudança demográfica e comportamental dessa população. 

“Há muitos casos em que a renda do aposentado é a única maneira para sustentar o lar de uma família que perdeu emprego, mas o aumento da expectativa de vida dos brasileiros e suas atitudes nesta fase da vida também são fatores importantes. Hoje, os idosos são mais ativos, têm mais autonomia financeira e trabalham por mais tempo, seja por necessidade ou porque se sentem dispostos”, explica a economista.

Empréstimos para terceiros

Com a importância dos idosos para o orçamento da casa, muitos acabam emprestando seu nome para outros realizarem compras. De acordo com o levantamento, pouco mais de um quarto (26%) dos idosos brasileiros já fez empréstimo pessoal consignado em seu nome para emprestar o dinheiro a terceiros. 

Na maior parte dos casos (17%), o empréstimo foi um pedido de filhos, conjugues ou outros parentes, enquanto em 9% dos casos o idoso se ofereceu para ajudar a pessoa.

 

Economia brasileira cresce 1,74% no terceiro trimestre, diz Banco Central

Foto: Arquivo / Agência Brasil

A economia brasileira teve expansão de 1,74% no terceiro trimestre deste ano, quando comparado ao segundo trimestre de 2018. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (16), pelo Banco Central. 

O cálculo é feito com base no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), e os dados são dessazonalizados, o que significa que os efeitos típicos de cada mês são retirados do número para possibilitar a comparação. No mês de setembro, contudo, a economia do país teve uma retração de 0,09%, ainda segundo o indicador.

Receita paga hoje restituições do 6º lote do Imposto de Renda

Foto: Arquivo Agência Brasil

A Receita Federal paga nesta sexta-feira (16) o sexto lote da restituição do Imposto de Renda Pessoa Física da declaração de 2018. O pagamento também contempla lotes residuais das declarações de 2008 a 2017. Ao todo, a Receita restituirá R$ 1,9 bilhão a 1.142.680 contribuintes. Desse total, 991.153 declarações são do Imposto de Renda deste ano, cujo pagamento totalizará R$ 1,676 bilhão. A consulta ao sexto lote foi liberada na sexta-feira, dia 9.

As restituições terão correção de 4,16%, relativa às declarações de 2018, a 106,28%, para as declarações de 2008. Os índices equivalem à taxa Selic – juros básicos da economia – acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês. A relação dos contribuintes está disponível na página da Receita Federal na internet. A consulta também pode ser feita pelo telefone 146 ou nos aplicativos da Receita Federal para tablets e smartphones.

Caso o valor não seja creditado nas contas informadas na declaração, o contribuinte deverá receber o dinheiro em qualquer agência do Banco do Brasil. Também é possível ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, no nome do declarante, em qualquer banco.

Posts anteriores