Cidadeverde.com

BC quer destravar empréstimos que têm imóveis como garantia

Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

O Banco Central pretende elaborar medidas para destravar o crédito com garantia de imóvel. O objetivo é reduzir a burocracia que vai desde aos registros em cartório até a avaliação dos imóveis. O presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse que os custos cartoriais e de avaliação de imóveis ficam em torno de R$ 7 mil a R$ 8 mil. 

Com a facilidade de dar a casa ou apartamento como garantia, o consumidor terá acesso a juros mais baixos com crédito de longo prazo, mas acaba perdendo o imóvel se não conseguir pagar.

Para o BC, o destravamento dessa modalidade deve injetar R$ 500 bilhões na economia, dobrando a carteira atual de crédito imobiliário. Atualmente, empréstimos com garantia de imóvel representam cerca de 3% do Produto Interno Bruto (PIB). Com o estímulo à modalidade, esse percentual poderá chegar a 20% do PIB, em 20 anos.

O diretor da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), Miguel de Oliveira, disse que o crédito com garantia é naturalmente mais barato porque o risco de inadimplência é menor. Assim, os bancos, que são obrigados a fazer reservas para as operações de crédito, podem reservar um volume menor de dinheiro e isso reduz o custo do empréstimo. “Se a operação é mais segura, o risco é menor e a taxa de juros é menor. É mais uma medida que possibilita fazer uma operação com garantia real”, disse.