Cidadeverde.com

Alta no custo da energia puxa prévia da inflação em agosto

Fonte: Arquivo / Agência Brasil

A prévia da inflação (IPCA-15) variou 0,08% em agosto. A taxa é muito próxima da variação de julho (0,09%). No acumulado do ano, o IPCA-15 tem alta de 2,51% e, em 12 meses, 3,22%, um pouco abaixo dos 3,27% do acumulado nos 12 meses fechados em julho. Em agosto do ano passado a taxa foi 0,13%. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira (22). 

Deflação

Dos nove grupos pesquisados, quatro apresentaram deflação:

- Transportes (-0,78%), que segue a tendência de queda verificada em julho (-0,44%)

- Vestuário (-0,07%), que segue a tendência de queda verificada em julho (-0,19%)

- Alimentação e bebidas (-0,17%), que em agosto subiu 0,03%

- Saúde e cuidados pessoais (-0,32%), que em agosto subiu 0,34%

No grupo transportes, o maior impacto foi o preço da gasolina, que caiu 1,88%. O etanol registrou -1,09%, o óleo diesel -1,70% e o gás veicular -0,07%. Já as passagens aéreas apresentaram queda de 15,57%, após as altas de 18,98% em junho e de 18,10% em julho.

A alimentação no domicílio teve queda de 0,45%, influenciada pelo preço do tomate, que caiu 14,79%, da batata-inglesa (-15,09%), das hortaliças e verduras (-6,26%) e do feijão-carioca (-5,61%). As frutas subiram 2,87% e a cebola teve aumento de 15,21%.

Altas

Os grupos que apresentaram alta foram:

- Habitação, com variação de 1,42%.

- Artigos de residência subiram 0,82%

- Comunicação teve alta de 0,44%

- Despesas pessoais ficaram 0,27% mais caras 

- Educação teve aumento de 0,07%.

O resultado do grupo habitação foi influenciado pelo preço da energia elétrica, que subiu 4,91% em agosto, o sétimo mês seguido de alta, com entrada em vigor da bandeira vermelha, após a bandeira amarela em julho. São Paulo teve a maior alta no item, com 7,51%. O item gás de botijão teve queda de 0,42%, após a redução de 8,17% nas refinarias a partir de 5 de agosto.