Cidadeverde.com

Efetivo de bovinos cai pela sexta vez consecutiva no Piauí

Foto: Ascom / Expoapi / Arquivo

O efetivo de bovinos no Piauí registrou, em 2018, a sexta queda consecutiva. Desde 2013, o rebanho de bovinos tem sofrido redução, segundo apontam os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Dentre as causas está a dificuldade de manter animais de grande porte, especialmente no período de longas secas. Para os criadores, é mais fácil - e vantajoso - investir em animais de médio e pequeno porte.

De acordo com os dados, o rebanho piauiense de bovinos somou 1.464.196 cabeças, o que representa uma queda de 9,9% em relação ao ano de 2017.

O efetivo de bovinos do Piauí equivale a cerca de 0,69% do total do país, o Estado na 19a. posição dentre as unidades da Federação. 

Entre 2013 e 2018, o rebanho bovino no Piauí foi reduzido em 12,12%.  Há, no Piauí, a substituição da criação de animais de grande porte por animais por animais de médio porte, como os caprinos, ovinos e suínos, os quais, inclusive, apresentam uma possibilidade de retorno financeiro do investimento muito mais rápido para o produtor.

Veja abaixo a quantidade de cabeças do rebanho bovino no Piauí nos últimos nove anos:

Produção de leite

Como consequência da redução do rebanho bovino, a produção de leite também caiu no Estado. Entre 2017 e 2018, a queda foi de 2,2%. O Piauí produziu 73,3 milhões de litros em 2017 e 71,6 milhões no ano seguinte.

Desde 2012, a produção de leite no Piauí sofre reduções consecutivas. De 2011 a 2018, a queda foi de 19,5%.

Dados nacionais 

No Brasil, o efetivo de bovinos registrou, em 2018, a segunda queda consecutiva (-0,7%), totalizando 213,5 milhões de animais. Em 2017 o rebanho diminuiu 1,5% frente a 2016. O ano de 2018 foi marcado por crescimento do abate e recorde de volume de carne bovina exportada. 

O Centro-Oeste, que detém o maior efetivo nacional desde 1981, também apresentou queda no ano de 2018 (0,4%), e com um efetivo de 73,8 milhões de cabeças de bovinos foi responsável por 34,6% do total nacional. Apenas as regiões Norte (0,2%) e Nordeste (0,2%) apresentaram crescimento no ano, com destaque para a região Norte que apresenta crescimento contínuo desde 2008.

Já a produção brasileira de leite voltou a crescer em 2018, 1,6%, somando 33,8 bilhões de litros. O ranking dos três municípios com maior produção foram Castro (PR), Patos de Minas (MG) e Carambeí (PR). Pela primeira vez, a produtividade nacional de leite ultrapassou os 2 mil litros por vaca ao ano, crescimento de 4,7% frente a 2017. O preço médio foi de R$ 1,16 por litro de leite, aumento de 4,7%, resultando em um valor de produção de R$ 39,3 bilhões.