Cidadeverde.com

Vendas do comércio piauiense registram o melhor desempenho do país

Foto: Arquivo / Cidadeverde.com

 

Em agosto, o Piauí registrou alta de 11,9% no volume de vendas do comércio varejista, quando comparado ao mês de julho. Este foi o melhor desempenho entre os estados brasileiros. Depois do Piauí, a maior alta entre um mês e outro foi de 4,3% no Amapá. 

Na comparação com o mês de agosto do ano passado, entretanto, foi constatada uma queda de 4,9%. Mesmo negativo, esse número foi bem melhor que os meses anteriores, cujas quedas foram de 15,3% (julho de 2019/julho de 2018) e 19,8% (junho de 2019/junho de 2018).

As informações são da Pesquisa Mensal do Comércio, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  

No acumulado do ano, de janeiro a agosto, o Piauí ainda está com um saldo muito negativo (-9,1%), assim como no acumulado dos últimos 12 meses (-7,5%).

Varejo ampliado

Quanto ao varejo ampliado, que inclui 10 atividades relacionadas (supermercados, combustíveis, móveis, veículos e materiais de construção, por exemplo), o saldo do Piauí também foi positivo entre julho e agosto. As vendas cresceram 4,6%. Esse foi o segundo melhor resultado do país, atrás apenas do Amapá, que cresceu 9,1%.

Na comparação entre agosto de 2019 e agosto de 2018, o saldo foi negativo (-6,4%), porém, assim como no varejo restrito, o resultado foi melhor que os meses anteriores (-8,8% em julho) e (-12,6% em junho).

O acumulado do ano mostra um saldo negativo de 4,4% para o Piauí. Nos últimos 12 meses, a queda nas vendas é de 2,5%.

Alta nas receitas

O Piauí também teve o melhor desempenho do país quanto à receita nominal do comércio varejista entre julho e agosto deste ano. A alta foi de 12,7%. Em segundo lugar ficou Amapá, com 3,8% de alta. 

Na comparação com o mês de agosto do ano passado, o saldo foi negativo em 1,8%. No entanto, bem melhor que os meses de julho (13,4%) e Junho (17,5%). 

No acumulado do ano, o estado ainda apresenta variação negativa (-5,7%), assim como no acumulado de 12 meses (-4,2%).

No comércio varejista ampliado, a receita de agosto seguiu o mesmo sentido. A alta foi de 6%, segunda maior do país (atrás apenas do Amapá, que cresceu 8,2%), quando comparada ao mês de julho. 

Na comparação com agosto do ano passado, houve queda de 3,6%, menor que julho (-7,5%) e Junho (-11,2%). No acumulado do ano, as vendas têm saldo negativo de 1,8%.

Já no acumulado de 12 meses, o número está positivo em 0,2%.