Cidadeverde.com

Maioria dos brasileiros tem dificuldade em adotar consumo consciente

Foto: Pixabay / reprodução gratuita


A grande maioria dos brasileiros (97%) tem dificuldades em adotar medidas de consumo consciente. A população do país é considerada ainda "em transição" quando o assunto é consciência ambiental.

Mais da metade (58%) mantém práticas de consumo consciente, mas em frequência aquém da desejada. Já três em cada dez (29%) se encaixam como ‘consumidor consciente’, enquanto 13% somam os pouco ou nada conscientes.

Os principais entraves mencionados pelos entrevistados para a falta de hábitos mais responsáveis são:

- alto preço dos produtos orgânicos (37%)
- obstáculos em separar o lixo para a reciclagem (32%)

Além disso, 30% reconhecem não conseguir reduzir a quantidade de lixo gerado e outros 30% enfrentam barreiras em engajar os vizinhos nessa prática.

Aspecto financeiro

No Brasil há uma visão de consumo consciente mais voltada ao aspecto financeiro: para 41%, ser sustentável significa adotar hábitos que evitem o desperdício e as compras desnecessárias. 

Ao mesmo tempo, 32% entendem a necessidade de se refletir sobre as consequências de uma compra antes de concretizá-la, sabendo que o consumo produz impactos sociais, ambientais e econômicos para todos. 

Outros 14%, por sua vez, pensam em atitudes que tem como foco economizar dinheiro, enquanto 11% correlacionam a ação de economizar com a preservação do meio ambiente.

Medidas conscientes

Quando se observa os principais comportamentos ligados à preservação do meio ambiente, com relação ao uso racional de energia elétrica, os hábitos mais presentes no cotidiano dos consumidores são:

- apagar as luzes de ambientes que não estão sendo utilizados (96%) 
- controlar o valor das contas do mês (93%)

Já considerando o meio ambiente de forma mais ampla, se destacam os hábitos de:

- doar ou trocar algum item antes de jogá-lo fora (89%)
- dar preferência a produtos cujas embalagens são recicláveis (83%).

Nota

Em uma escala de 1 a 10 de auto avaliação sobre a prática de consumo consciente no dia a dia —  em que 1 corresponde a “nada consciente” e 10 significa “muito consciente” —, os entrevistados atribuíram a si mesmos a nota média de 7,7. 

Os dados são do Indicador de Consumo Consciente (ICC), que em 2019 atingiu 73%, mantendo-se estável em relação ao ano passado. A pesquisa é divulgada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).