Cidadeverde.com

Standard & Poor's eleva perspectiva para a nota de crédito do Brasil

A agência de classificação de risco de crédito S&P elevou na quarta-feira (11), de estável para positiva, a perspectiva para o rating de longo prazo em moeda estrangeira do Brasil, hoje em BB- (três degraus abaixo do selo de bom pagador). A decisão foi divulgada no mesmo dia em que o risco-país alcançou o menor patamar em mais de seis anos.

Embora preveja que a relação dívida/PIB do país deva continuar a crescer nos próximos três anos, a agência citou a perspectiva de melhora da posição fiscal do país, após a aprovação da reforma da Previdência e com a perspectiva de continuidade da agenda fiscal em 2020, embora o risco de reveses continue material. A S&P foi a primeira a retirar o grau de investimento do país em 2015.

Em entrevista à Folha em outubro, a analista principal da S&P para o rating soberano do Brasil, Livia Honsel, disse que a melhora da nota dependia de medidas para reduzir o déficit e estimular o crescimento de longo prazo. A expansão do PIB em 2020 já era vista como um fator fundamental tanto para a melhora da nota como para o apoio parlamentar à agenda econômica.