Cidadeverde.com

Economia Fácil: acaba neste mês o prazo para o saque-imediato do FGTS

No final deste mês de março acaba o prazo para você fazer o saque-imediato do FGTS, que é aquele saque de R$ 500 - ou de R$ 998 (no caso das pessoas que tinham apenas até esse valor na conta do FGTS no ano passado). 

Todo e qualquer trabalhador de carteira assinada que não tenha realizado o saque pode ir até a Caixa Econômica Federal para solicitá-lo até o dia 31 de março, independente de ter ou não conta na Caixa ou em qualquer outro banco. 

Esse saque-imediato é pago apenas uma vez e não interfere de forma alguma na sua rescisão. Então, se acontecer de você ser demitido sem justa causa, vai receber todo o valor da conta do FGTS normalmente.

Já no dia 1º de abril será iniciado outra modalidade de saque do FGTS, que é o saque-aniversário. Nesse caso, você vai receber um valor anual, que varia de acordo com o saldo da sua conta do FGTS. Quanto maior o saldo, mais você recebe, conforme a tabela abaixo:

Nesse caso do saque-aniversário, se você for demitido não vai poder sacar os valores que sobrarem na conta imediatamente, mas vai receber os 40% da multa que o empregador tem que pagar sobre tudo que ele depositou ao longo do seu tempo de trabalho, e vai continuar recebendo o que ficou na conta de forma parcelada todos os anos, até zerar. Veja o cronograma do saque-aniversário para este ano:

Vamos ao exemplo:

Todos os meses, o seu patrão tem que depositar 8% do seu salário em sua conta do FGTS, sem descontar nada do seu salário. Se você ganha R$ 2 mil, todos os meses são depositados R$ 160 na sua conta do FGTS. Em 5 anos de trabalho, você vai ter R$ 9.600 mais os juros, que são bem baixos, mas pelo menos existem.

Se você não optou pelo saque-aniversário, você vai receber R$ 9.600 + 40%, que dá, no final das contas R$ 13.440.

Se você optar pelo saque-aniversário, vai receber todos os anos uma quantia, mas quando você for demitido, vai poder receber, de imediato apenas os 40% da multa, que dá R$ 3.840, nesse caso. O restante do dinheiro permanece na conta do FGTS para ser liberado anualmente até zerar ou você pode usá-lo para comprar uma casa. 

No Economia Fácil da próxima semana o assunto é como usar o FGTS para comprar uma casa ou para ajudar a pagar o financiamento. 

O quadro Economia Fácil é exibido todas as quinta-feiras, no Notícia da Manhã. Veja abaixo os quadros das últimas semanas:

Economia Fácil: os 5 erros mais comuns na hora de começar um negócio

Economia Fácil: os prós e os contras de abrir uma franquia

Economia Fácil explica como funciona o Cadastro Positivo

Economia Fácil: é melhor pagar o IPVA à vista ou parcelado?

Economia Fácil: a renda fixa não rende mais como antes

Economia Fácil explica o que são dos Fundos Imobiliários

Economia Fácil: como o dólar afeta o bolso do consumidor brasileiro