Cidadeverde.com

Vendas a prazo ficam mais caras; Economista orienta comprar à vista

O número de consultas ao banco de dados do SPC e a CNDL para vendas a prazo recuou 2,03% em março na comparação com o mesmo mês do ano passado. Este foi o segundo declínio consecutivo, após a queda de 2,85% registrada em fevereiro. Na comparação mensal, o dado de março segue a duas fortes desacelerações consecutivas: de 28,85% em janeiro e de 4,83% em fevereiro. Como resultado, as consultas de vendas a prazo acumulam resultado negativo no ano: -1,03%. Para a economista chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o principal motivo dessa queda acumulada é o atual cenário econômico brasileiro, que apresenta:

- menor crescimento da massa salarial;
- alta dos juros;
- redução de emprego;
- inflação elevada. 

A soma desses fatores gera encarecimento das parcelas e corrosão do poder de compra. E, com o alto custo das compras a prazo, o conselho é uma postura preventiva. "O ideal para este ano é pagar à vista e fazer reservas financeiras", completa a economista.