Cidadeverde.com

Atraso em obras de hidrelétricas aumenta preço da energia; Aneel pune empresas

Foto: Blog Belo Monte

Três das hidrelétricas mais importantes do país estão com atraso na construção e na oferta de energia que eram, por contrato, obrigadas a cumprir. Por esse motivo, a Aneel decidiu punir os consórcios responsáveis pelas obras. Nos três primeiros meses deste ano, o aumento médio foi de 43%, comparado ao mesmo período de 2014. 

As causas para o aumento da energia são as já divulgadas: seca, uso das térmicas e, segundo a Aneel, o atraso das obras nas usinas que prometiam colocar energia nova no mercado, mas até agora não fizeram isso. A hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, por exemplo, é a maior em construção e deveria ter começado a gerar energia no mês de fevereiro deste ano, mas o fornecimento foi adiado para fevereiro do ano que vem. Com tantos atrasos, quem paga a conta mais cara é o consumidor, que já está sentindo no bolso diretamente os efeitos. A Aneel também comprovou atrasos nas obras das usinas de Jirau e de Santo Antonio, em Rondônia. Nesses casos, já há geração de energia, mas não como consta no contrato. 

Punição

A Aneel decidiu que os consórcios responsáveis pelas três usinas terão que pagar as distribuidoras com quem tinham contrato e que tiveram que comprar no mercado à vista a energia que faltou, pra não deixar o consumidor sem luz. Esse ressarcimento que as hidrelétricas teriam que fazer seria de cerca de R$ 5,7 bilhões. As empresas alegam que as obras atrasaram por causa das greves e das invasões nos canteiros e, por isso não podem ser responsabilizadas. Algumas das empresas já acionaram a justiça. O governo, entretanto, disse que a decisão da agência reguladora não é definitiva e aguarda um parecer da Advocacia Geral da União.