Cidadeverde.com

Cartão bloqueado com a fatura paga? Veja o que pode ter acontecido

Imagine estar com o carrinho do supermercado cheio, enfrentar uma fila imensa e na hora de pagar, surpresa! O cartão de crédito é negado. Você, no meio do constrangimento, tenta explicar que a fatura está paga e que não sabe o que aconteceu. A essa altura, você pensa logo em processar a operadora do cartão, mas, fora o não pagamento, existem, pelo menos, outros 6 motivos para o banco cancelar o seu cartão. Veja quais são: 

1 - Compras consecutivas: Se o cartão for utilizado várias vezes em um curto espaço de tempo, principalmente se forem compras em pequenos valores, o banco pode realizar o bloqueio, uma vez que isso pode indicar que o cartão esteja sendo testado por alguém que o furtou, para ver se está ativo.

2 - Compras atípicas: Se o cartão for utilizado para realizar uma compra de alto valor em um comércio eletrônico da Tunísia, por exemplo, o banco faz o bloqueio, mas somente se o cliente não costumar fazer compras nesses estabelecimentos.

3 - Compras em locais distantes - O cartão é bloqueado se ele for utilizado, por exemplo, no Brasil e minutos depois na Europa. Se o outro país ainda utilizar a tarja magnética, pode ser que o banco bloqueie apenas essa modalidade.

4 - Compras de valor muito alto - Nesse caso, o mais comum é que, se a compra está dentro do limite do cartão de crédito, o banco entre em contato com o cliente para confirmar a compra. Somente se o contato não for possível é realizado o cancelamento.

5 - Bloqueio do titular - Se o titular cancelar seu cartão, os dependentes são automaticamente cancelados. O titular pode também cancelar apenas os cartões dependentes, sem a necessidade de informar ao usuário. 

6 - Manutenção do sistema  - Alguns casos de manutenções no sistema dos bancos podem causar o bloqueio momentâneo do cartão, mas, via de regra, essa manutenção deve ser informada com antecedência, para evitar constrangimentos aos clientes.

E se o problema for realmente a fatura em aberto?

Nesse caso, o cliente pode evitar a permanência do bloqueio fazendo um acordo com o banco para pagar, ao menos, o mínimo da fatura. Dessa forma, serão cobrados os juros do parcelamento do restante, que está em 118,2% ao ano. Caso não pague, o cliente se submete ao crédito rotativo, que está em cerca de 372% ao ano.