Cidadeverde.com

Vendas recuam até nos supermercados; Famílias adotam o "atacarejo"

O mês de julho foi o sexto mês consecutivo que o varejo brasileiro recuou. A comparação com junho registrou baixa 1% maior - a maior desde 2000, quando teve início essa pesquisa do IBGE. As vendas do comércio varejista estão 7,2% abaixo do ponto mais alto da série, alcançado em 2014. A maioria dos segmentos registrou queda e os maiores destaques foram para equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (- 5,5%) e móveis e eletrodomésticos (- 1,7%).

A crise chegou dentro de casa e a prova disso é que até as compras nos supermercados reduziram em 1%. Para amenizar a situação, as famílias estão priorizando o que chamam de "atacarejo". Elas se reúnem, compram por fardos - o que gera uma economia de até 30% no orçamento - e depois dividem a compra segundo a necessidade de cada família. Comprando no fardo, alguns produtos podem ficar até 40% mais baratos.