Cidadeverde.com

Custo de vida em Teresina acumula maior alta em 15 anos

Itens da Alimentação e do Transporte foram os responsáveis pelos maiores aumentos inflacionários no mês de novembro último em Teresina, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida), calculado mensalmente pela Fundação Cepro. A pesquisa registrou, ao longo do mês de novembro de 2015, aumento de 1,01% (comparativamente aos preços praticados no último mês de outubro). A inflação acumulada nos onze primeiros meses de 2015 ficou em 9,38%, e nos últimos 12 meses, em 10,39%. “Um elemento a ser destacado neste momento, em relação ao índice acumulado nos últimos 12 meses, é o rompimento da barreira de um para dois dígitos, que ocorreu pela última vez em dezembro de 2003”, enfatiza Elias Alves Barbosa, diretor de Estatística.
 
Em novembro, os grupos analisados tiveram os respectivos aumentos: 

Transporte (1,88%); 
Alimentação (1,58%); 
Serviços Pessoais (0,93%); 
Saúde e Cuidados Pessoais (0,70%);
Habitação (0,25%). 

Já os segmentos Vestuário e Artigos de Residência tiveram quedas de -0,44% e -0,03%, respectivamente. 

Cesta básica

Durante o mês de novembro de 2015, o custo da Cesta Básica, indicador de mensuração do poder de compra do salário mínimo, registrou aumento de 1,83%, resultado influenciado pelo aumento de preços verificado principalmente no Açúcar Cristal (28,48%), Tomate (2,83%), Carne Bovina de 2º (2,56%), Óleo Vegetal (1,34%) e Arroz (2,17%). Nos últimos 12 meses a variação acumulada da cesta básica foi de 11,32%. No mês atual o preço da cesta básica equivale a 37,20% do salário mínimo.