Cidadeverde.com

Governo acredita que PPP na rodoviária será "quebra de paradigma"

O governo acredita que a reforma da Rodoviária de Teresina - que está sendo realizada através de uma PPP (Parceria Público-Privada) representará uma quebra de paradigmas na administração estadual. Primeiro porque é uma forma de fugir da privatização; segundo porque tira do governo a obrigação de arcar com os gastos necessários para manter o padrão de qualidade do local. 

"Há uma privatização da gestão durante o prazo previsto no contrato, sob a regulação do Estado, que pode rescindir o contrato a qualquer momento. Portanto, o bem público não está sendo vendido. No final do prazo, o bem volta ao Estado, com todas as melhorias feitas, porque a empresa terá que manter o padrão de qualidade previsto no contrato", explica o secretário de Governo, Merlong Solano. 
 

A PPP foi assinada no dia 7 de dezembro e está na etapa de transição, que dura 3 meses. "O Estado ainda está lá, mas a empresa que ganhou a concessão, já está tomando as providências, concluindo os estudos de reformas estruturais e emergenciais. Enquanto isso, parte da iluminação e dos banheiros já estão em manutenção. O contrato é claro, após a transição, a empresa tem seis meses para concluir obras emergenciais e mais seis meses para outras mudanças", completou o gestor.