Cidadeverde.com

Inflação em Teresina fecha em 10,67% e a alimentação é o que mais pesa

 

Não teve jeito! Teresina fechou o ano de 2015 com a inflação em dois dígitos: 10,67% - mesmo percentual da inflação nacional, medida pelo IPCA. A informação é da Fundação Cepro, órgão oficial responsável pelo cálculo do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no Piauí. Em novembro, este número já havia chegado aos dois dígitos, porém, segundo o diretor de estatísticas responsável pela pesquisa, Elias Alves Barbosa, não se esperava um aumento tão significativo no último mês do ano. “Todo mês de dezembro temos alta em determinados setores, mas há muitos anos não se chegava a tanto. Tivemos agora um aumento de 1,18% no Custo de Vida do teresinense e isso dado, principalmente, aos produtos alimentícios que, sozinhos, aumentaram 2,64%”, descreve o pesquisador.

Os principais responsáveis pelo aumento anual da Inflação na capital foram exatamente aqueles que pesam diretamente sobre o orçamento das famílias de menor poder aquisitivo:

- Alimentos (+13,55%)
- Transportes (+13,77%)
- Serviços de Natureza Pessoal (+13,41%)
 

Por outro lado, houve deflação de 1,42% no setor de vestuário. A Cepro atribui o resultado à diminuição do poder de compra do consumidor, que está com gastos limitados. "O setor teve que baixar preços para atrair teresinenses. Vimos isso neste último mês e vamos ver isso se repetir nos próximos, com certeza”, explica o diretor de estatística.