Cidadeverde.com

7 principais erros de quem estuda pra concurso

Virar a noite estudando, deixar de se divertir, fazer milhões de sacrifícios... nada disso adianta se o equilíbrio tênue entre dedicação, repouso, leitura, exercício, confiança e preocupação com a prova não for encontrado. O site da Exame revelou, após ouvir especialistas no assunto, quais os 7 pecados que não se pode cometer - de jeito nenhum - quando se quer aprovação em concurso.

1. Procrastinar
Não ter uma rotina de estudos - e então se permitir adiar o trabalho quando for conveniente - é um hábito que destrói as chances de qualquer candidato. 

2. Desconhecer o edital 
O documento contém detalhes sobre o programa das provas, os critérios para a candidatura e as fases do processo seletivo. Dar pouca atenção a ele  - ou mesmo acreditar que ele será igual ao das provas anteriores - é um erro grave e muito comum.

3. Desconhecer a banca
Tão grave quanto negligenciar o edital é não saber qual é o perfil dos organizadores do concurso. Cada banca tem um jeito próprio de atuar.  Algumas se concentram no texto da lei, enquanto outras se atêm aos autores e suas doutrinas, ao passo que outras cobram mais jurisprudência.

4. Não fazer resumos
Muitos pedagogos defendem que escrever é uma excelente forma de fixar conteúdo. Por isso, ler e grifar textos teóricos é importante, mas também é obrigatório fazer um fichamento deles com as suas próprias palavras. Além de facilitar a assimilação e a retenção da matéria, o resumo ainda pode ser consultado posteriormente pelo candidato no lugar do livro - o que gera uma preciosa economia de tempo. Só não vale pegar um fichamento pronto na internet, já que ele será uma leitura como qualquer outra.

5. Não treinar 
Sem fazer simulados e questões de provas anteriores, o candidato não vai aplicar a teoria que estudou, não saberá quanto tempo demora para concluir o exame e nem como o conteúdo poderá ser cobrado na prova.

6. Ceder ao “terrorismo” 
Quem é concurseiro sabe: não faltam fóruns e grupos de discussão na internet que só servem para alimentar a ansiedade e tirar a segurança de quem vai fazer a prova. Para não perder tempo com o “terrorismo”, é melhor se concentrar nos seus próprios estudos e manter-se confiante.

7. Abdicar do lazer
A capacidade de relaxar - na medida certa - é virtude. Uma rotina sem lazer é nociva à saúde e ao próprio desempenho do candidato, já que leva à exaustão. Investir em repouso e diversão é essencial para que você se sinta bem e dê seguimento a uma preparação de qualidade.