Cidadeverde.com

36% das pessoas compram para "aliviar estresse"

O SPC e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) realizaram pesquisa em todas as capitais brasileiras sobre o perfil do consumo do país e revelou que 36,3% dos entrevistados admitiram que comprar é um ato para aliviar o estresse do dia a dia. Além disso, 47,7% afirmaram que fazem compras para "se sentir bem". O estudo mostrou ainda que o hábito de comprar para aliviar o estresse vem principalmente das mulheres (43,7%) e 40,2% dos consumidores pertencem às classes A e B. Veja mais detalhes do levantamento:

- 3 em cada 10 (29,5%) consumidores concordam que fazer compras melhora o humor;
- 24,5% confessam realizar compras quando se sentem deprimidos;
- As mulheres são mais suscetíveis às emoções quando compram por impulso - elas admitem a sensação de prazer ao comprar algo sem planejar (37,7% contra 26,5% dos homens), além de serem as que mais citam o ato de fazer compras como o tipo de lazer preferido (35,9% contra 23,3% do total de entrevistados).
- As mulheres também são o maior percentual que compram por impulso quando estão deprimidas (30,5% contra 18,3% dos homens). 
- Os mais jovens são os que ficam mais entusiasmados e se divertem ao comprar produtos não planejados (41,8% contra 19,6% das pessoas acima de 55 anos);
- 40,3% dos entrevistados estão ou já estiveram com o nome sujo por extrapolar nas compras sem pensar.
- A maior parte dos entrevistados (44,5%) não consegue resistir aos próprios desejos porque acredita que se não realizar aquela compra, mesmo que o produto seja desnecessário, vai desperdiçar uma “boa oportunidade”;
- 36,9% admitem que quando surge o desejo de comprar algo, eles não sossegam enquanto não concretizarem a compra, sobretudo as mulheres (41,6%). 
- 30,1% dos entrevistados gastam mais do que o previsto em promoções com medo de acabar se arrependendo depois;
- quase um terço (32,9%) admite que, geralmente, compra produtos que nem tinha a intenção de adquirir antes de entrar numa loja;
- 30,7% admitem que ao ver um produto atrativo não pensam nas consequências da compra antes de efetivá-la;
- mais de um quarto (25,8%) dos entrevistados reconhecem não ter o costume de avaliar todos os aspectos envolvidos numa compra;
- 30,8% dos consumidores reconhecem que estão com as finanças pessoais descontroladas por causa de compras impulsivas.