Cidadeverde.com

Governo vai aumentar outros impostos, se CPMF não for aprovada

A Folha de São Paulo informou nesta sexta-feira (11), que o governo federal prepara uma espécie de Plano B, para caso a CPMF não seja aprovada no Congresso, já que o Orçamento deste ano já conta com esses R$ 10 bilhões que seriam arrecadados com a volta do imposto sobre movimentações financeiras. 

A saída estudada é aumentar os impostos já existentes - e isso seria mais fácil nos itens que não precisam da aprovação do Legislativo, como o IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) e o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Contribuições como o PIS/Pasep só poderiam ser alteradas após mudanças na lei, e somente seriam adotadas 90 dias após a aprovação. 

Toda essa preocupação piorou após as últimas reviravoltas do quadro político, relacionadas à Operação Lava Jato. No final das contas, se a CPMF não for aprovada, o governo poderia simplesmente admitir um resultado pior nas contas públicas, mas essa não parece ser uma alternativa para a presidente. O governo alega que há espaço para elevar alguns impostos e contribuições, porque a carga tributária caiu 1% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2008 para cá. Essa redução foi provocada pelas desonerações concedidas pelo governo para combater os efeitos da crise econômica.