Cidadeverde.com

As principais dúvidas sobre o seguro-desemprego

Com a taxa de desemprego em 8,2% no mês de fevereiro, as dúvidas sobre o benefício do seguro-desemprego têm crescido - especialmente porque no ano passado as regras mudaram. Ontem (24), o Google divulgou uma lista com as perguntas mais buscadas sobre esse assunto nos últimos 90 dias. Veja quais são elas e os esclarecimentos:

1) Como calcular a duração do seguro-desemprego?
Resposta: a quantidade de parcelas varia conforme o tempo de trabalho, levando em conta os últimos 36 meses. Veja na tabela: 

2) Qual é o valor máximo pago pelo seguro-desemprego?
Resposta: O cálculo é feito com base na média salarial dos últimos três meses. Mas, existe limite. Veja na tabela:

3) Como solicitar o seguro desemprego para uma empregada doméstica?
Resposta: Tem direito ao benefício se for demitido sem justa causa e comprovar ter rabalhado como empregado doméstico pelo menos 15 meses nos últimos 24 meses; estar inscrito como Empregado Doméstico da Previdência Social e possuir, no mínimo, 15 contribuições ao INSS; ter, no mínimo, 15 recolhimentos ao FGTS como empregado doméstico; não estar recebendo nenhum benefício da Previdência Social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte; não possuir renda própria para seu sustento e de sua família. O requerimento do benefício precisa ser apresentado às unidades de atendimento do Ministério do Trabalho e Emprego ou aos órgãos autorizados, no prazo de 7 a 90 dias contados da data da dispensa. Para o empregado doméstico o valor máximo de cada parcela é de um salário mínimo.

4) Qual é o intervalo para pedir outro seguro-desemprego?
A partir da data da última dispensa que habilitar o trabalhador a receber o seguro-desemprego, deve-se contar 16 meses que compõem o período aquisitivo. Só então o desempregado pode requerer outro seguro.