Cidadeverde.com

Teresinense precisa trabalhar mais de 12 dias para comprar cesta básica

A Cesta Básica do mês de março de 2016 em Teresina custou R$ 385,80 - com esse valor, ela é a 13ª mais cara entre as 27 cidades pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). O preço da cesta básica na capital piauiense é mais alto que em cidades como Salvador, Aracaju e Recife.Veja na tabela:

 

O levantamento mostra ainda que para pagar a cesta básica, o teresinense que recebe um salário mínimo precisaria trabalhar 96 horas e 27 minutos (considerando o dia de trabalho de 8 horas, seriam necessários 12 dias). No mês anterior, era preciso trabalhar duas horas a menos. Verifica-se também que o trabalhador comprometeu, em março, 47,65% do salário mínimo líquido para adquirir o conjunto dos produtos alimentícios básicos. A alta na cesta básica foi de 2,08% em relação ao observado em fevereiro, cujo custo foi de R$ 377,93.  Veja abaixo quanto custa cada item da cesta básica em Teresina:

Dos 12 itens alimentícios:
- 8 registraram aumento de preço;
- 2 apresentaram retração;
- somente, o feijão carioquinha e o arroz agulhinha não variaram;
- Banana (12,80%), farinha de mandioca (11,67%), óleo de soja (3,52%), café em pó (2,79%), tiveram elevações acima da registrada no total da cesta (2,08%);
- Leite integral (1,89%), manteiga (1,84%), açúcar (1,42%), pão francês (0,76%) apresentaram variações inferiores;
- As retrações foram observadas no preço do tomate (-1,70%) e da carne bovina (-0,32%).

Banana: a grande vilã

A banana registrou a maior alta dentre os produtos da cesta. Pelo segundo mês consecutivo, teve seu preço majorado. Entre fevereiro e março, a taxa foi de 12,80%. A fruta continua apresentando elevação no preço pela queda da oferta em consequência da entressafra do tipo prata.

A farinha de mandioca seguiu em alta e registrou elevação de 11,67%, em relação à fevereiro. Apesar da melhora no mercado, a oferta da mandioca ainda está abaixo do esperado para o período.

O preço do óleo de soja aumentou 3,52%, pressionado pelo preço da soja no mercado internacional e pela alta das exportações de soja, que também pressiona a cotação internamente.

O preço do café em pó registrou variação de 2,79%, devido a menor oferta, ocasionada pela entressafra. 

A manteiga, derivada do leite, registrou alta de 1,84%. O leite aumentou na capital e apresentou variação de 1,89%. A redução da oferta, devido ao período de entressafra, provocou elevação no valor do leite, influenciando também o preço dos derivados.

O quilo do tomate continua apresentando queda (-1,70%). A intensificação da colheita tem ocasionado no aumento da oferta, diminuindo o preço para o consumidor.