Cidadeverde.com

Em 2016, PIB brasileiro deve ter o pior tombo desde 1990

 

Os economistas do mercado financeiro estimam uma retração de 3,88% do PIB em 2016 - se confirmado, este será o maior encolhimento em 26 anos. A previsão representa a 14ª piora do indicador. O maior tombo do PIB, até então, havia sido em 1990, quando recuou 4,35%.


Para 2016:
Inflação pela IPCA: caiu 7,08% para 6,98% (ainda acima do teto de 6,5%, mas foi a 7ª queda seguida).
PIB: contração de 3,88%; na semana passada era de 3,8%.
Taxa de juros (Selic): caiu de 13,38% ao ano para 13,25%. 
Câmbio: dólar estável em R$ 3,80.
Balança comercial: subiu de US$ 45,5 bilhões para US$ 48 bilhões de resultado positivo
Entrada de investimentos estrangeiros: inalterada em US$ 55 bilhões.

Para 2017:
Inflação pela IPCA: caiu de 5,93% para 5,80%,
PIB: subiu de 0,20% para 0,30%.
Taxa de juros (Selic): caiu de 12,25% para 12%.
Câmbio: dólar permanece em R$ 4.
Balança comercial: estável em US$ 50 bilhões.
Entrada de investimentos estrangeiros: subiu de US$ 55 bilhões para US$ 60 bilhões.