Cidadeverde.com

Secretário diz que atrasar salários é 'pouco provável' no PI


O secretário da Fazenda do Piauí, Rafael Fonteles, voltou a falar do corte de gastos e contingenciamento de despesas que o Estado enfrenta. Mas, ele acredita que a possibilidade de atrasar o salário dos servidores é "pouco provável", apesar das constantes quedas no Fundo de Participação do Estado (FPE). O gestor afirmou que a arrecadação própria tem reagido bem e é a estratégia encontrada pelo governo para honrar os pagamentos da Folha e a continuidade dos serviços essenciais.

"No segundo semestre, continuará a constante queda do FPE, que tem gerado toda essa situação de equilíbrio muito tênue. A arrecadação própria reage bem, mas o FPE, todo mês, fica negativo. Por isso, continuamos com o sinal de alerta e com o contigenciamento de despesas. A auditoria na folha de pagamento também vai continuar. São medidas importantes para atravessar esse momento de crise sem grandes lesões", declarou Fonteles.

Rafael espera que, após a votação definitiva do impeachment, independente do resultado, serão tomadas medidas econômicas importantes para tirar o país da crise. "Muita coisa o Estado não pode fazer porque depende de leis federais e da votação no Congresso Nacional. O restante, o que podemos fazer aqui, estamos fazendo. Por isso acredito que é possível manter a folha em dia. É pouco provável que não consigamos honrar, mas tem que manter o sinal de alerta para não sermos pegos de surpresa", finalizou.

O Piauí ultrapassou o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal e, portanto, está impedido de contratar pessoal, reajustar salários e pagar horas extras. O próximo balanço sobre a situação fiscal do Estado será divulgado no final de setembro.