Cidadeverde.com

Falsos funcionários do Sine cobram até R$ 880 para dar entrada em seguro

Falsos funcionários do Sine Piauí estão cobrando de R$ 150 a R$ 880 para agendar e agilizar o processo de entrada do seguro-desemprego. A informação é da direção do próprio Sine (Sistema Nacional de Empregos), que alerta aos piauienses sobre os golpes, que estão sendo aplicados até pela internet.

"O Sine não tem agentes externos para dar entrada no seguro-desemprego. Não existe esse cargo. Mas já soubemos por diversas pessoas que existe gente se dizendo 'facilitador' do benefício e que chega cobrar até a primeira parcela toda (R$ 880) para dar andamento e agilidade no processo", enfatiza o gerente de intermediação do Sine no Piauí, Rafael Torres.

O gerente acrescenta que os únicos agentes externos que realmente trabalham para o Sine são os que fazem as captações de vagas de emprego junto às empresas. "Não temos outro tipo de agente externo. Serviços como dar entrada no seguro-desemprego ou na Carteira de Trabalho só podem ser feitos pessoalmente, na sede do Sine", garante Torres.

Ele também afirmou que existem sites na internet que prometem agendar o seguro-desemprego - atividade que não é segura. "O único local onde é possível agendar virtualmente o atendimento para dar entrada no benefício com segurança é no site do Ministério do Trabalho e Emprego [clique aqui], mas existem sites que exibem um link prometendo esse agendamento 'rápido'. Alguns até redirecionam a página para o MTE, mas mesmo assim não é seguro porque os dados da pessoa podem ser roubados", disse o gerente.

Rafael acrescentou que em São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí, existe um caso de requerimento do seguro-desemprego sendo investigado pela Polícia Federal, mas não há muitas informações sobre o assunto. "O que estamos orientando a população é a não pagar nada para fazer o agendamento. Esse serviço é completamente gratuito", finalizou.