Cidadeverde.com

"A vitrine é 50% da venda"; veja dicas sobre como organizar a exibição

A consultora de vendas Cristiane Gurgel, em palestra ministrada em Teresina, destacou que a vitrine é 50% do processo de venda. “A vitrine é o primeiro ponto, o mais importante para a venda. Através da vitrine você estabelece uma relação com o seu cliente.  O cliente, através da sua vitrine, conhece quem você é, sua marca, que produto você oferece, como oferece. Se você tem uma vitrine bonita, bem elaborada, com o seu produto em destaque, já tem 50% da venda feita no emocional do cliente. Com isso, você já cativou o cliente emocionalmente. Outro 50% é a parte racional, a necessidade do produto, o preço, a forma de pagamento”, afirmou.

Cristiane apresentou a palestra "Dicas práticas para montagem de vitrines" para os empresários que participarão do Liquida Teresina neste ano. A campanha oferecerá descontos em vários setores e deve ter início nos próximos dias. A data exata ainda não foi divulgada. O ciclo de workshops segue nesta quinta-feira, dia 25, com o palestrante Gonçalo Pontes, que ministrará palestra sobre “A postura ideal no mundo real”. 

Veja outras dicas sobre vitrines citadas pela consultora:

- Vitrine de sucesso
 
“É necessário um visual atraente e surpreendente. Não pode faltar uma boa iluminação, exposição do produto adequada. Então é importante que o produto esteja em destaque, bem colocado, com um visual harmonioso. O cliente tem que passar e enxergar o produto. Se ele tiver mal colocado, mal iluminado, em um manequim feio, em uma posição escura, você já perdeu a oportunidade de contar o seu produto”.

- Vitrine em época de crise
 
“O ideal é mudar a vitrine pelo menos uma vez na semana. Tem empresas que chegam a mudar duas, três vezes por semana. Mas isso depende do produto e da campanha. Para criação, o papel é um excelente aliado. Temos recursos muitos simples, às vezes material recicláveis, que a gente pode transformar em peças muito interessantes e criar algo novo. Então, não tem desculpa de dizer que é caro, é possível criar com o que se tem”.