Cidadeverde.com

PIB brasileiro encolhe 4,6% no primeiro semestre

O IBGE divulgou nesta quarta-feira (31) que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro encerrou o primeiro semestre com retração de 4,6%. No segundo trimestre, o recuo foi de 3,8% em comparação com o mesmo período 2015 e de 0,6% em relação ao trimestre anterior. Pela sexta vez consecutiva, a economia brasileira apresenta retração - e a queda no segundo trimestre foi maior que a esperada pelos economistas: entre janeiro e março, a previsão de queda era de 0,5%; e em comparação com o segundo trimestre de 2015, era de 3,7%.

Os dados do IBGE mostram que quase todos os indicadores encolheram no primeiro semestre. Até a agricultura, que manteve alta nos seis trimestres de recessão, apresentou queda. Comparando os seis primeiros meses desse ano com o ano passado, a queda na agricultura foi de 3,4%, influenciada, principalmente, segundo o IBGE,  pelo desempenho negativo da produção de milho (-20,5%), arroz (-14,7%), algodão (-11,9%), feijão (-9,1%) e soja (-0,9%).

A indústria sofreu uma queda de 3%, puxada pela indústria de transformação, que produz máquinas e equipamentos, teve uma redução de 5,4%. Dentro do setor fabril, a construção também caiu 2,2% e o segmento extrativo mineral recuou 4,9%. O setor de serviços, nessa base de comparação, foi o que sofreu maior redução: de 3,3%. O comércio sofreu contração de 7,4% e os serviços de transporte, armazenagem e correio, de 6,5%. O consumo das famílias caiu 5%, sob influência da inflação, dos juros, do crédito mais restrito, da queda do emprego e da renda ao longo do período, conforme aponta o IBGE. Seguindo a mesma tendência, os gastos do governo recuaram 2,2%. Os investimentos também tiveram redução nessa base de comparação. Pelo nono trimestre seguido, a Formação Bruta de Capital Fixo recuou. Desta vez, a queda foi de 8,8%.