Cidadeverde.com

FMI recomenda que Brasil mude o cálculo do salário mínimo

O FMI - Fundo Monetário Internacional - recomendou a revisão da fórmula que calcula o salário mínimo no Brasil, a aprovação de um teto para gastos públicos e a reforma trabalhista e previdenciária. O relatório foi divulgado ontem (29), em uma missão oficial no país para analisar a situação econômica. 

"A fórmula para as revisões do salário mínimo afeta o crescimento de pensões e outros benefícios e é, portanto, uma grande fonte de pressão fiscal no médio prazo. O vínculo entre benefícios sociais e o salário mínimo merece revisão, enquanto a fórmula do salário mínimo deveria ser revisada para melhor refletir as melhoras em produtividade", afirma o relatório.

O salário mínimo no Brasil é calculado a partir da inflação do ano anterior, somado ao crescimento do PIB de dois anos atrás. Em 2015, o Congresso aprovou a fórmula com vigência até 2019. 

O relatório diz ainda que, para mitigar o impacto das mudanças sobre os pobres, a reforma previdenciária deveria incluir disposições destinadas a proteger os mais vulneráveis e que a reforma trabalhista seja destinada a facilitar o emprego produtivo e reduzir incentivos à informalidade promoveriam criação de empregos, investimento e crescimento.