Cidadeverde.com

Economia do PI cresce 86% em 12 anos; 2ª maior expansão do país

  • IMG_9314.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9304.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9268.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9260.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9257.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9247.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9243.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9232.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9214.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9208.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9200.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9193.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9190.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9186.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9185.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9184.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9171.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9167.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9166.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com
  • IMG_9165.jpg Wilsonfilho/cidadeverde.com

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), comemorou o resultado do PIB do Piauí referente ao ano de 2014 e considerou que os resultados de 2015 também serão positivos. Durante a apresentação dos dados levantados pela Fundação Cepro, o governador destacou que de 2002 a 2014, o Estado cresceu 86%, perdendo apenas para o Mato Grosso nesse mesmo período.

"Especificamente em 2014, perdemos apenas para o Tocantins (6,2%). O balanço é positivo. Estamos comemorando o desempenho da economia do Piauí. Nossa renda não é mais a menor do Brasil. Subiu uma casa e está empatada com várias outras, na 26ª posição. Vamos crescer ano a ano. Em 2015, também teremos um bom resultado", declarou Wellington Dias.

Veja mais detalhes sobre o PIB do Piauí em 2014.

O governador também ressaltou que no ano passado, o Piauí foi o único Estado brasileiro com saldo positivo de empregos e afirmou que as ações que estão sendo implantadas para transformar a realidade do Estado estão voltadas para educação e qualidade de vida. "Muitas coisas foram feitas. Temos uma evolução na educação e hoje estamos acima da média brasileira. Tínhamos atraso na qualidade de vida, as pessoas tinham medo de vir para o Piauí, hoje estamos na média", enfatiza.

Apesar dos dados positivos, os números revelam uma dependência econômica da adiministração pública, mas para Wellington, essa é uma realidade que já está mudando no Estado. "Quem trabalha para a prefeitura, o Estado, o governado federal e autarquias, correspondia a 43% de toda a economia do Estado. Esse percentual já reduziu para 31%. Isso é um avanço, mas o ideal é 25%", pondera. 

Jordana Cury e Carlienne Carpaso