Cidadeverde.com

Cesta básica de Teresina ficou 10% mais cara em 2016

O valor da cesta básica em Teresina aumentou 10,29% em 2016, segundo levantamento do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Dos 12 itens pesquisados, 11 tiveram alta - somente o tomate recuou (variação: - 15,25%). 

No mês de dezembro, a cesta básica estava custando R$ 378,95. Com esse valor, a capital do Piauí tem a 19ª cesta mais cara entre as 27 cidades pesquisadas. Apesar de ter registrado alta no ano, o conjunto de itens ficou 2,96% mais barato, quando comparado a novembro. De um mês para o outro, os preços que subiram foram:

- banana: + 3,71
- farinha de mandioca: + 3,46%
- tomate: + 2,64
- óleo de soja: + 2,27%
- açúcar: + 1,61%
- café em pó: + 1,02%
- carne bovina de primeira: + 0,70%

Tempo de trabalho

O trabalhador teresinense que recebe apenas um salário mínimo (R$ 880 até dezembro), precisou cumprir uma jornada de 94 horas e 44 minutos para comprar os itens da cesta básica. Em novembro, eram necessárias 95 horas e 53 minutos. 

Levando em conta o salário líquido - após os descontos previdenciários - o trabalhador da capital piauiense comprometeu 46,81% de seu salário com a cesta em dezembro. 

Em dezembro de 2016, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.856,23, ou 4,38 vezes o mínimo de R$ 880,00 - levando em consideração a cesta mais alta, que é a de Porto Alegre (R$ 459,02).