Cidadeverde.com

Professores que faltarem ao trabalho terão ponto cortado, diz Franzé

Fotos: João Neto / Cidadeverde.com

O secretário estadual da Administração Pública, Franzé Silva, confirmou que os professores que insistirem na greve e faltarem ao trabalho nesta segunda-feira (13) terão o ponto cortado. 

"Com o ponto eletrônico integrado à folha de pagamento, quem faltar terá desconto automático", explica o gestor. Em entrevista ao Notícia da Manhã, Franzé enfatizou que o Piauí já pagava valor superior ao piso nacional e que, mesmo assim, foi dado o reajuste de 7,64%. 

"O valor que o piso determina agora é R$ 2.298. O Piauí já pagava R$ 2.693. Não teria nem a necessidade de aplicar reajuste, mas o governador está aplicando linearmente os 7,64%. Nenhum estado está fazendo isso, nem os mais ricos. Temos essa política de valorização dos professores e o Piauí tem crescido nos indicadores da educação. Não entendemos a posição do Sinte [Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Pública do Estado do Piauí], porque eles sabem que nenhum Estado cumpriu o piso no ano passado, a não ser o Piauí", argumentou o secretário.

O Sinte deflagrou a greve na última sexta-feira (10) por não aceitar o reajuste parcelado. A categoria exige que os 7,64% seja pago de forma integral. Na entrevista, Franzé destacou que os 4% prometidos para janeiro já foram incluídos nos salários. O restante será colocado em julho. "Nós cumpriremos o prometido, como cumprimos no ano passado. Ainda poderemos nos reunir com o Sinte para discutir a questão, mas esperamos que, a partir de hoje, a rede estadual esteja funcionando, para o bem dos alunos", completou.

O governador Wellington Dias (PT) já declarou que o movimento de greve é "ilegal e descabido" e anunciou que a Procuradoria Geral do Estado vai pedir a ilegalidade da greve na Justiça.