Cidadeverde.com

Veja o que muda nas declarações do IR deste ano

A Receita Federal estima que 230 mil contribuintes devem enviar a declaração do Imposto de Renda no Piauí. Em entrevista ao Notícia da Manhã desta quinta-feira (2), o contador Elias Caddah chamou atenção dos contribuintes para dois pontos: a exigência do CPF dos dependentes maiores que 12 anos (completados até 31 de dezembro de 2016) e a obrigatoriedade de declarar todos os bens, inclusive os financiados e os vendidos em 2016.

"O rigor é maior ano após ano. Havia casos em que o pai e a mãe declaravam o mesmo filho como dependentes e agora, com a obrigatoriedade do CPF do dependente maior de 12 anos, a Receita analisará os dados mais rapidamente. Vale lembrar que os médicos também terão os dados cruzados com as declarações dos pacientes a partir deste ano", completou o contador.

Para tirar o CPF das crianças, o responsável deve comparecer pessoalmente às agências dos Correios, Caixa Econômica e Banco do Brasil, com os documentos pessoais das crianças e o do responsável. A taxa é de R$ 7.

De olho nas deduções

Os gastos com educação são dedutíveis até o limite de R$ 3.561,50, mas o limite por dependente é de apenas R$ 2.275,08. Não podem ser declarados gastos com material escolar e cursinhos de pré-vestibular.

Gastos com empregados domésticos têm o limite de R$ 1.093,77. 

Para saúde não há limite. Porém, não são dedutíveis gastos com medidamentos, mesmo os de uso contínuo. Podem ser declarados gastos com médicos, fisioterapeutas, psicólogos, tratamentos, etc. 

Bens declarados

Elias Caddah reforça que todos os bens devem ser declarados no Imposto de Renda - inclusive os que foram vendidos e os que são financiados. 

"Tem que colocar o valor das parcelas já pagas porque a empresa ou construtora que vendeu o imóvel também está fazendo a declaração. Este é um dos erros que faz o contribuinte cair na malha fina. Dessa mesma forma, os que venderam imóveis devem declarar, com o CPF do comprador e o valor recebido pelo bem, mesmo que o dinheiro tenha sido usado para a compra de outro bem", explica Caddah.