Cidadeverde.com

Sem reforma da Previdência, país paralisa em 7 anos, diz Temer


"Em sete anos, paralisamos o Brasil" - essas foram as palavras ditas pelo presidente Michel Temer para justificar a necessidade urgente da reforma da Previdência. Segundo o presiente, é preciso "aproveitar" esse momento de apoio do Congresso Nacional para fazer a reforma, do contrário, o país para. Ele considerou que a questão dos trabalhadores rurais e dos portadores de deficiência ainda poderá ser negociada. 

Temer afirma que todos os estudos estatísticos mostram que se não houver reformulação previdenciária, em 2024 o país só terá verbas para pagar servidores públicos. “Estamos fazendo regras de transição que permitam que, muito brevemente, as finanças públicas possam estar mais equilibradas e que não possa gerar o que ocorreu na Grécia, em Portugal, na Espanha e na França, que tiveram de reduzir valores de aposentadorias e de salários de servidores”.

Propostas polêmicas

A proposta de reforma da Previdência prevê que a contribuição do trabalhador rural passe a ser individual e obrigatória. A base contributiva e a alíquota devem ser menores do que a dos demais trabalhadores. Eles teriam uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria, com 25 anos de contribuição. Na regra atual, a aposentadoria é garantida para os trabalhadores rurais que contribuíram ou não com a Previdência aos 55 anos (mulheres) e 60 anos (homens). Já o BPC é concedido hoje para pessoas com deficiência e idosos carentes (a partir de 65 anos) com renda familiar per capita de 1/4 de salário mínimo. A proposta eleva para 70 anos.