Cidadeverde.com

Empresas aéreas ainda não decidiram quanto vão cobrar por mala

A Justiça do Ceará decidiu, na última sexta-feira (28), pela liberação da cobrança extra no despacho de bagagens. Desde o último sábado (29), as companhias aéreas poderiam ter cobrado pela mala na venda de novas passagens, mas ainda não há previsão de quando as novas regras terão início. 

Veja o que diz cada uma das empresas aéreas:

- A Gol informou que está "reavaliando o assunto internamente e assim que houver uma decisão comunicará os seus clientes. As regras de despacho de bagagem por enquanto continuam as mesmas." Antes, a empresa havia decidido que o valor cobrado por mala seria maior, de acordo com a quantidade de itens, e que a primeira mala seria mais barata que a segunda. 

- A Latam disse que “segue a legislação do setor” e que não definiu quando vai colocar em prática os valores. Antes, a empresa havia informado que cobraria R$ 50 por mala despachada em voo nacional. Em voos internacionais, o despacho de até duas malas é gratuito. 

- A Azul limitou-se a dizer que segue o posicionamento da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Antes, a empresa havia dito que criaria uma classe tarifária promocional para quem viajar sem mala e que cobraria R$ 30 pela primeira mala.

- A Avianca Brasil informou que manterá a mesma decisão do mês passado de não cobrar por despacho de bagagens, pois prefere estudar essa questão mais profundamente durante os próximos meses.