Cidadeverde.com

Livre da aftosa, Piauí exportou mais de 65 mil cabeças de gado em 2016

Termina na próxima quarta-feira (31) a primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa no Piauí. A meta é imunizar mais de 95% do rebanho piauiense e o gerente de Defesa Animal da Adapi, Idílio Moura, está fazendo o chamamento dos produtores para que o objetivo seja cumprido. 

"Com a vacinação, os animais ficam protegidos e imunizados, o produtor tem o rebanho valorizado, o que valoriza também a pecuária piauiense. Além disso, quem não vacinar será multado", afirma Moura. Os produtores devem comparecer ao escritório da Adapi até o dia 15 de junho para declarar a vacinação. A segunda etapa da vacinação ocorre em novembro. 

Até 2014, o Piauí era considerado área de risco da febre aftosa, por isso, os criadores não podiam exportar os animais para outros estados. O selo de área livre rompeu essa barreira, além de valorizar os animais piauienses. O governo espera avançar na classificação sanitária até 2020, adquirindo o selo de área livre da aftosa sem vacinação. 

"Mas precisamos do empenho do setor produtivo para continuar vacinando. O Piauí já sentiu no bolso os benefícios do status sanitário, porque antes éramos isolados do resto do país por termos o risco. Agora, com a vacinação, o ganho foi significativo. Só em 2016, foram 65 mil cabeças de gado vendidas do Piauí para outros estados, sem contar com caprinos e ovinos", destaca Idílio