Cidadeverde.com

Liberação do FGTS inativo reduz número de inadimplentes em Teresina

A liberação do FGTS das contas inativas já registrou bons efeitos no comércio de Teresina. Segundo o Sindicato dos Lojistas, o total de clientes inadimplentes recuou de 7% para 5%.

"Isso é bastante significativo. Apesar de não termos visto aumento nas vendas, estamos vendo mais gente que estava com as contas atrasadas buscarem uma forma de pagar a dívida. Isso é bom porque quando a pessoa volta a ter crédito, ela volta a consumir", argumenta o presidente do Sindicato dos Lojistas, Tertulino Passos. 

Dar aos brasileiros a oportunidade de pagar as dívidas foi exatamente o que motivou o governo federal a liberar os saques do FGTS. 

60 milhões endividados

Pesquisa do SPC Brasil e da CNDL (Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas) aponta que a inadimplência recuou pelo terceiro mês consecutivo no país. Houve queda de 0,50% em maio na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Ainda assim, o número total de inadimplentes é grande. Estima-se que aproximadamente 60,1 milhões de brasileiros estejam com restrições ao CPF, enfrentando problemas para contratar empréstimos, financiamentos ou realizar compras parceladas, o que representa quase 40% da população brasileira adulta. Apenas nos últimos 30 dias, houve um saldo líquido de 1,1 milhão de brasileiros que passaram a fazer parte da lista de devedores.

Quem mais deve

O indicador revela que é na faixa etária entre 30 e 39 anos que se observa a maior incidência de brasileiros negativados: mais da metade da população compreendida nesta faixa etária (51%) possui contas em atraso, totalizando aproximadamente 17,3 milhões de inadimplentes em número absoluto. E o motivo? É geralmente nessa idade que as pessoas já são chefes de família e têm um número maior de compromissos a pagar, como aluguel, água, luz, entre outras despesas domésticas.

Também merece destaque o fato de que quase metade da população com idade entre 40 e 49 anos (48%) está negativada, totalizando 13,2 milhões de consumidores com contas em atraso. Entre os mais jovens, com idade entre 25 e 29 anos, o percentual também é elevado: 47% deste grupo está inadimplente, somando mais de 8 milhões de devedores.