Cidadeverde.com

PI adere à greve dos Correios e cobra reajuste salarial de 8%


O Piauí está entre os 20 Estados que aderiram à greve dos Correios. Segundo o presidente do Sindicato no Piauí, Edilson Santos, os servidores reivindicam 8% de aumento salarial e 10% de reajuste nos benefícios, além de se posicionarem contra a retirada ou alteração de cláusulas importantes do atual acordo coletivo.

"Estamos fazendo uma reivindicação enxuta. Queremos um aumento salarial e até agora a empresa não apresentou nenhuma contraproposta, mas retirou ou alterou 41 itens do atual acordo coletivo, que dizem respeito a férias, indenizações por acidente de trabalho, etc", completa o sindicalista.

O Estado tem atualmente 192 agências, a maioria, de acordo com o sindicato, aderiu ao movimento. 

Entre os outros motivos alegados para a greve estão o fechamento de agências por todo o país, a pressão para a adesão ao plano de demissão voluntária, ameaças de demissão por causa da crise financeira e ameaça de privatização, além do corte de investimentos para o órgão. 

Os servidores afirmam ainda que houve uma mudança significativa no plano de saúde e tiveram o direito à férias suspenso, exceto os funcionários que já tinham férias vencidas. 

Os sindicatos que aderiram à greve foram:  Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Brasília (DF), Campinas (SP), Ceará, Espírito Santo, Goiás, Juiz de Fora (MG), Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Ribeirão Preto (SP), Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Maria (RS), Santos (SP), São José do Rio Preto (SP), Sergipe, Santa Catarina, Uberaba (MG) e Vale do Paraíba (SP). Dos 31 sindicatos ligados à Fentect, somente três ainda não realizaram assembleia: Acre, Rondônia e Roraima.

Agências franqueadas não estão em greve. 

A última greve dos Correios que afetou o Piauí ocorreu em maio deste ano. Com a greve, o setor de serviço -  entrega de documentos e encomendas - está suspenso.