Cidadeverde.com

Comércio emprega 9,6 milhões de brasileiros

A data de 30 de outubro marca a homenagem a um dos ramos profissionais mais importantes para a economia brasileira e que envolve um dos maiores contingentes de trabalhadores do país. O Dia dos Comerciários, celebrado nesta segunda-feira (30), foi criado depois que uma determinação do então presidente da República, Getúlio Vargas, reduziu a carga horária da categoria de 12 horas diárias para 8 horas, em 30 de outubro de 1932.
 
A importância do comerciário na economia brasileira pode ser sentida pelo número de trabalhadores envolvidos nas atividades do setor. A Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC) conta hoje com 25 federações filiadas e mais de 800 sindicatos vinculados, representando 12 milhões de trabalhadores no comércio e serviços em todo o país.
 
Os setores de Comércio e Serviços respondem por mais da metade do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, aproximadamente 55%, o que implica também uma alta participação no total de empregos do mercado de trabalho.

 
Empregos 
Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2016, divulgada neste mês de outubro pelo Ministério do Trabalho, na série de 2010 a 2016 houve um crescimento relativo e absoluto dos setores de Comércio e Serviços como principais empregadores. Juntos, eles ampliaram sua participação de 51,6% (2010) para 56,4% (2016), um incremento da ordem de 3,2 milhões de empregos no período. Segundo a Rais, o Brasil tinha 16,70 milhões de empregados formais em Serviços e 9,6 milhões no Comércio, em dezembro de 2016.
 
Os trabalhadores do comércio também estão encontrando uma nova realidade no mercado de trabalho, após os dois anos de crise de emprego que o país enfrentou. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontou o Comércio como o segundo maior destaque no mês de setembro, com crescimento do emprego e saldo positivo de 15.040 postos de trabalho. Esse resultado refletiu o desempenho dos subsetores do Comércio Varejista (com saldo de +13.174 postos) e do Comércio Atacadista (+1.866 empregos).
 
Diante da retomada do crescimento econômico, a expectativa é de que a categoria seja cada dia mais valorizada.