Cidadeverde.com

Concurso Sejus: protesto pede curso de formação com 316 classificados


Os classificados no último concurso para agentes penitenciários do Piauí estão realizando uma série de protestos em Teresina, exigindo que todos os 316 candidatos considerados aptos após a realização das cinco etapas do certame sejam convocados para o curso de formação. Eles também pedem que seja divulgado um cronograma de nomeações. 

"Temos, no Piauí, quase 5 mil presos e somente 600 agentes na ativa. A resolução do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitênciaria estabelece pelo menos 1 agente para cada 5 presos. O governo quer fazer um curso de formação só com 75 candidatos, um número ínfimo, tendo em vista que no dia 17 de outubro o governador decretou estado de emergência do sistema penitenciário do Piauí", reclamou Carlos Eduardo de Sousa, um dos candidatos.

Os candidatos criticam a demora do concurso da Sejus, que teve orçamento aprovado ainda em 2015. "Estamos vendo novos presídios sendo inaugurados, em Altos e Campo Maior, sem recursos humanos para trabalhar. Estão removendo agentes da Casa de Custódia, onde o efetivo já é baixo, para as novas penitenciárias. Há 350 agentes aptos à aposentadoria e seriam necessários, pelo menos, mil para suprir o déficit", enfatiza o candidato.

Cronograma

O concurso para Agentes Penitenciários já finalizou as cinco fases exigidas no edital, mas ainda não há uma previsão oficial de quantos classificados serão chamados para o curso de formação.

À Coluna Economia & Negócios, o secretário da Justiça, Daniel Oliveira, afirmou que o curso de formação começará dia 3 de janeiro e as regras só serão divulgadas em dezembro - tanto a duração do curso, quanto o número de convocados.

O concurso não tem aprovados por causa da limitação imposta pela Lei de Responsabilidade Fiscal, mas desde o início, o governo garantiu que serão chamados pelo menos os 75 primeiros lugares imediatamente. Ainda ficou em aberto a convocação dos demais, ao longo de 2018.