Cidadeverde.com

Bitcoin registra nova alta e passa a valer mais que R$ 40 mil

Somente nesse ano, a bitcoin subiu cerca de 900%. Em outras palavras, quem apostou nessa moeda virtual conseguiu multiplicar seu capital além do imaginável em outros investimentos. Isso atraiu novos investidores e para eles, outra boa notícia: nas primeiras horas de hoje (29), a bitcoin superou o valor de US$ 10 mil, o que equivale a mais de R$ 40 mil.

Os ganhos estratosféricos, no entanto, devem ser vistos com cautela. Economistas do Banco Central alertam que a moeda é uma bolha financeira - um investimento não recomendado e com riscos imponderáveis. Ou seja, da mesma forma que se valoriza, pode desvalorizar, causando extensos prejuízos.

Criada em 2009, a bitcoin é a primeira moeda digital descentralizada. Por ser transferida diretamente de uma pessoa para outra pela internet, sem banco nem  intermediários, acaba acumulando vantagens, como taxas menores, possibilidade de uso em qualquer país, as contas não podem ser canceladas e não existem requisitos ou limites para compra e venda. Porém, ao contrário de outras moedas, como o dólar ou o real, o bitcoin não é emitido pelo Banco Central de um país. O responsável por sua "criação" é um complexo programa de computador - daí os riscos.

O valor da criptomoeda segue as regras de mercado - quanto maior a demanda, maior a cotação. Em 2014, a moeda sofreu uma forte desvalorização, mas nos anos seguintes conseguiu retomar sua popularidade e atualmente estão sendo registradas apenas valorizações. 

Portanto, o mais complicado da bitcoin é que não há nenhuma garantia de mercado: não há como predizer quanto essa moeda valerá na próxima semana ou no próximo mês. Não existem entidades encarregadas de sustentar a cotação da bitcoin no mercado internacional. O que se pode dizer é que, pela história da bitcoin, há boas expectativas quanto ao seu potencial, mas garantia de uma demanda estável não existe, portanto, o risco de mercado está sempre presente e a cotação será sempre flutuante, para o bem e para o mal.

Por tudo isso, antes de decidir começar a investir em bitcoins ou qualquer outra moeda digital, é bom estudar o assunto e pesar muito bem os prós e os contras.