Cidadeverde.com

Governo espera arrecadar R$ 300 milhões com venda de imóveis

Foto: Google Maps

Sede do antigo BEP será um dos imóveis colocados no mercado

Imóveis pertencentes ao Governo do Estado serão colocados em consulta pública no início de maio, para que interessados em alugar, comprar ou assumir uma concessão possam se manifestar democraticamente. Os recursos serão destinados à criação de um fundo para a Previdência Social e outras áreas.

A estimativa é de que inicialmente sejam arrecadados R$ 300 milhões. O valor poderá aumentar à medida que novos imóveis sejam colocados para consulta pública, através do site imóveis.pi.gov.br (que só estará disponível dentro de alguns dias). 

Até agora 130 locais já foram cadastrados. A princípio somente sete serão colocados à disposição dos interessados. Os prédios da Secretaria de Saúde e Secretaria de Educação, por enquanto, não entram na lista de consulta. Alguns dos locais já disponíveis serão os prédios do antigo escritório regional do Emater; da antiga sede do Banco do Estado do Piauí (BEP) e o da Agência de Fomento do Piauí.

A ação faz parte do Plano de Desmobilização de Ativos Imobiliários (PDEPI), para fomentar a economia estadual e otimizar espaços públicos que não estão sendo utilizados. Projetos parecidos já foram executados com êxito em Minas Gerais e São Paulo.

A superintendente de Parcerias e Concessões do Estado do Piauí (Suparc), Viviane Moura, explica que o objetivo é identificar imóveis, residenciais ou comerciais, que estejam subutilizados ou não utilizados. “Vamos avaliar junto ao mercado, e transformar estes locais em potenciais geradores de receita, esse é o objetivo macro do programa. Alguns podem ir para venda, outros para concessão ou especulação imobiliária”, explica.

Site

Os imóveis ficarão disponíveis no site mostrando fotos e localização deles. Ele será um meio de comunicação entre o estado e o mercado imobiliário. Os interessados terão a oportunidade de conhecer quais são esses imóveis e como eles podem ser aproveitados. Depois do lançamento da página, o resultado da consulta pública será avaliado. O grupo técnico responsável pelo programa irá analisar as sugestões recebidas do mercado, caso sejam aprovadas virarão processos administrativos e depois processos licitatórios.