Cidadeverde.com

Subcomissão da Câmara vai avaliar preços das passagens aéreas

Foto via Shutterstock

Como os preços das passagens aéreas não caíram após ser permitida a cobrança pelo despacho de malas, foi criada na Câmara Federal a Subcomissão Especial das Empresas Aéreas, que será subordinada à Comissão de Defesa do Consumidor e também presidida pelo deputado federal piauiense Rodrigo Martins (PSB).

O objetivo é acompanhar, avaliar e propor medidas sobre os direitos e deveres das empresas aéreas, especialmente porque, depois de autorizada a cobrança pelas malas, as empresas também passaram a cobrar taxas pela marcação dos assentos e limitar os programas de milhagens.

Passagens caras
Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) constata que entre junho e setembro de 2017 a alta dos preços chegou a 36%. Já de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a quantidade de passageiros que viajaram de avião diminuiu após as novas regras. Em maio do ano passado, antes da aprovação da cobrança de bagagem, 7,1 milhões de brasileiros compraram passagens. Esse número caiu para 6,9 milhões nos meses seguintes.

Rodrigo Martins explicou que a subcomissão debaterá sobre a Resolução n° 400 da Anac, que estabelece as condições gerais aplicáveis ao transporte aéreo regular de passageiros, doméstico e internacional. “Nós entendemos que a Anac estendeu a sua função e passou até mesmo a legislar, dando liberdade para que essas empresas possam fazer vendas relacionadas às cobranças de bagagens despachadas, cobrança na hora da marcação dos assentos”, disse.

A subcomissão discutirá ainda sobre o cancelamento de passagens, garantido pelo Código de Defesa do Consumidor, que estabelece um prazo para que isso seja feito. No entanto, devido a resolução da Anac, as empresas aéreas podem alterar esse prazo. “São inúmeras irregularidades, ilegalidades que nós entendemos e que infelizmente não estão tramitando da maneira que deveria”, destacou o parlamentar.