Cidadeverde.com

Gasolina mais cara: preço chega a mais de R$ 5 no cartão

  • galeria07.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • galeria06.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • galeria05.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • galeria04.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • galeria03.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • galeria02.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • galeria-01.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com

 

O reabastecimento dos postos de gasolina em Teresina veio com uma surpresa para o consumidor. Apesar de a Petrobras ter anunciado baixas consecutivas nos valores da gasolina nas refinarias, os postos de combustível reajustaram para cima os preços. 

Na bomba, os valores do combustivel variam. Em um posto na Zona Sul, a gasolina comum (única modalidade vendida no estabelecimiento), custa R$ 4,79, para vendas em dinheiro ou cartão de débito. Para vendas em Cartão de crédito o valor chega a R$ 5,09. "Estamos vendendo com este valor no crédito porque os postos podem fazer valor diferenciado desde o ano passado" disse o gerente Alessandro Gomes.

Foto: Wilson Filho / Cidadeverde.com

Na avenida João XXIII, tem posto vendendo gasolina ao valor de R$ 4,48. A justificativa é que "a nossa carga de ontem chegou sem o reajuste por isso estamos com este valor", disse o gerente Roberth Mendes. "Mas temos que dizer que este valor pode ser reajustado durante o dia, com a chegada de nova carga. Tudo depende do preço que recebemos. No nosso caso também estamos vendendo nesse valor para atrair o consumidor, ja que ficamos tanto tempo parado", afirmou.

Foto: Wilson Filho / Cidadeverde.com

O reabastecimento dos postos de gasolina de Teresina segue desde a noite de ontem (28), o terminal de Petróleo foi liberado pelos manifestantes.

Agora pela manha novas filas se formaram em vários postos da cidade. Até meio dia cerca de 10% dos postos estarão abastecidos, segundo o Sindicato dos Postos de Gasolina. Acredita-se que em sete dias no máximo todo o abastecimento estará regularizado. 

 

Atualizada às 11h05

Sindicato se posiciona: preço deve cair quando abastecimento normalizar

De acordo com o presidente do Sindicato dos Donos dos Postos de Combustível, Alexandre Cavalcante, o reajuste no preço do litro da gasolina no Piauí, que aumentou cerca de R$ 0,30 devido à paralisação dos caminhoneiros, ocorre devido à escassez do álcool anidro, substância que é misturada à gasolina para barateá-la. No Estado, a gasolina chega via trem, mas o álcool chega por meio de caminhões, o que causa o problema. 

A carência do álcool anidro tem forçado postos do Piauí, e a maioria dos postos do Brasil, a vender gasolina "mais pura", com percentual da substância abaixo da média. “A tomada de decisão do preço é de cada um dos empresários. Estou dando essa explicação de que mudou o percentual do etanol porque realmente os postos estão comprando mais caro, do que antes da greve. Mas realmente é uma situação pontual, acredita-se que assim que normalizar os estoques de anidro, o teor da mistura deve voltar aos níveis normais e a composição do preço vai ser outro”, explicou.

Antes da paralisação, o percentual de álcool na mistura era de 27%. Após a greve, a quantidade foi reduzida - mudança que foi autorizada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) em todo o país.

OAB de olho

A Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor da OAB-PI enviou nota à imprensa informando estar atenta contra possíveis abusos nas relações consumeristas em virtude da crise de abastecimento. 

Em razão disso, o órgão se coloca à disposição para receber denúncias acerca de valores abusivos sendo aplicados, formas de pagamento e ausência de informações ao consumidor. Caso sinta que seus direitos estão sendo violados, o cidadão pode procurar a OAB-PI para que a situação seja verificada e encaminhada aos órgãos competentes. Disk Denúncia: (86) 2107-5841.

 

Com informações de Érica Paz, do local.