Cidadeverde.com

Dia do comerciante: burocracia e altas taxas são desafios em Teresina

Foto: Arquivo/Revista Cidade Verde

No dia 16 de julho é comemorado o dia do comerciante no Brasil. Considerada uma das profissões mais antiga do mundo, o comércio é, para muitas pessoas, a principal fonte de renda. E a atividade tem crescido em Teresina, especialmente entre os jovens.

Para o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado do Piauí (Sindilojas), Tertulino Passos, o sentimento de empreender é a principal razão para se abrir um negócio. "O principal motivo é o espirito empreendedor, depois são as oportunidades de desenvolvimento de um negócio, a expectativa de lucros e crescimento como pessoa", conta o presidente. 

Segundo dados do Sindicato, o número de pessoas que investem no comércio em Teresina está crescendo, apesar de grandes dificuldades. O presidente do Sindicato ressalta que quem deseja abrir um comércio na cidade ainda enfrenta grande burocratização e que as vezes desestimula quem deseja ser comerciante. 

"Ser comerciante em nossa capital tem muitas dificuldades, a primeira delas vem pela legalização da empresa, onde muitas vezes você demora para conseguir as licenças. Outra coisa que é complicada é a consulta de viabilidade do local, que passa pela análise do contrato na Junta Comercial e que, em muitos casos, o analista faz interpretação diversa do que as partes acertam no contrato. Muitas vezes para que o contrato seja registrado precisa ser alterado aquilo que foi acertado entre os sócios", explica. 

Para o empresário José Alves Neto, para ter sucesso é preciso ter determinação, experiência e credibilidade. Ele afirma que atualmente o comércio está mais desafiador de se trabalhar, por conta da crescente concorrência. "Agora o número de pessoas com algum negócio aumentou e atualmente para o comerciante ficou mais complicado conquistar os clientes", ressalta o empresário. 

José Neto também relata que a burocratização e as altas taxas que os comerciantes precisam pagar também é um grande problema para quem deseja abrir uma empresa. "Temos uma burocratização muito grande no nosso país para abertura de uma firma, o que acaba atrapalhando muitas vezes em expandir o comércio. Também pagamos taxas altíssimas para manter o comércio aberto", comenta. 

Com toda sua experiência de 51 anos, o empresário afirma que é bom ser comerciante e que para quem se dedica a essa profissão, ela não decepciona. "Para quem deseja abrir uma empresa, eu aconselho que sempre faça as coisas dentro de suas possibilidades. Seja honesto, pois é a melhor forma de evoluir tanto pessoalmente como profissionalmente", finaliza.